Hiroshi Bogéa On line

Consertando cacos

A coluna do poster, na edição de hoje do Diário do Pará, publica a seguinte nota:

Não tem jeito
A famosa Santa Bárbara, pequena construtora contratada pelo Valdir Ganzer, há mais de ano recuperando 180 km das rodovias Pa-150 e Pa-275, já concluiu algumas pontes de concreto, entre Marabá e Parauapebas. Mas o serviço, da pior espécie, ao invés de assegurar o tráfego seguro na rodovia permitirá o aumento de assaltos. A cabeça das pontes, deixada com altos desníveis em relação à estrada, obriga a parada dos veículos para sua travessia, facilitando a ação dos bandidos. A porcaria deverá ficar por isso mesmo, porque não existe nenhuma movimentação próxima às obras sinalizando algum serviço de acabamento.

Agora há pouco, Pedro Medina, assessor de Imprensa da Setran, enviou o seguinte comunicado:

Prezado Bogea, a SETRAN já está tomando providências quanto a tua denúncia sobre as cabeças de pontes das PAS 150, 275. Embora não faça parte do escopo do projeto, a empresa Santa Bárbara, que cuida apenas do asfaltamento das rodovias, vai providenciar a adequação das cabeceiras das pontes se igualando ao nível da plataforma diminuindo os perigos e dando mais segurança aos motoristas.

Nota do blog: “Embora não faça parte do escopo do projeto”, o nivelamento da cabeça de ponte à plataforma da rodovia é uma praxe rudimentar em qualquer obra do gênero. Se não faz parte, é porque a coisa está  sendo levada mesmo na barriga pela construtora, sem projeto.

O serviço dessa tal Santa Bárbara é uma porcaria. Imundice mesmo.

Post de 

4 Comentários

  1. rachel

    9 de março de 2010 - 20:31 - 20:31
    Reply

    Essa é a marca da equipe governista. O diretor da Setran em C. do Araguaia é total analfabeto. Quando foram escolhe-lo houve resistência ao seu nome, então ele retrucou: – O Ganzer não entende nada desse setor e é secretário, porque eu não posso dirigir esse orgãozinho? Aí ele assumiu é claro!

  2. Hiroshi Bogéa

    3 de março de 2010 - 18:07 - 18:07
    Reply

    Querido Pinheiro, prazer tê-lo sempre aqui na caixinha de comentários. Continuo lhe aguardando num final de semana pra gente relembrar nossos "anos dourados". Sabemos que você está representando o Pará, com muita comepetência no Conselho Federal de Medicina. Abs

  3. Anonymous

    3 de março de 2010 - 17:18 - 17:18
    Reply

    Hiroshi
    Te acompanhando por onde ando,hoje estou em Florianopolis representando o Pará na reunião dos Conselhos de Medicina.Parabens pelas abordagens lucidas e esclarecedoras.
    Antonio Pinheiro

  4. Alberto Lima

    2 de março de 2010 - 19:44 - 19:44
    Reply

    Não concluir as cabeceiras das pontes em uma obra de pavimentação, é como se uma casa fosse construída e esquecessem de fazer a entrada e as portas!
    não servem pra nada!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *