Confronto na Santa Bárbara: 25 estariam feridos

Publicado em 21 de junho de 2012

 

 

Já passariam de 25 o número de feridos no confronto ocorrido esta manhã entre  seguranças do Grupo Oportunity e sem-terras, na entrada da antiga fazenda Cedro, na BR-155.  Números foram fornecidos agora há pouco por membro do MST.

Inicialmente, falava-se em doze pessoas feridas, inclusive uma criança. Depois o número subiu para vinte.

Agora, seriam 25 pessoas entre militanets dos movimentos sociais e seguranças da fazenda Santa Bárbara.

A troca de tiros ocorreu quando  manifestantes chegaram à guarita da propriedade para realizar ato de protesto, sendo recebidos, segundo relatos, por tiros desferidos pelos funcionários de uma empresa de segurança armada.

Com o passar das horas, o  número de sem-terra aumenta em frente a fazenda. A rodovia continua interditada,

O MST, em nota liberada aos veículos e blogues, informa que a manifestação programada seria para protestar contra a ação de grileiros, uso de agrotóxicos e desmatamento.

Assessoria de imprensa do Grupo Santa Bárbara liberou fotos e deu sua versão sobre o confronto, garantindo que a agressão teria partido dos sem-terra.

Feridos estão  internados em hospitais de Eldorado de Carajás e de Marabá,  encaminhados às pressas pela coordenação do movimento e pela direção da fazenda.

Na nota, o Grupo Agro Santa Bárbara  relata que a fazenda foi invadida pela manhã por cerca de 300 integrantes do MST fortemente armados, utilizando violência e destruindo parte da propriedade.

“A Agro Santa Bárbara responsabiliza o MST pelo início do confronto e pelos danos pessoais e materiais provocados. Os fatos ocorrem devido à iniciativa única e exclusiva de um grupo do MST já acampado na Fazenda Cedro. A empresa acionou as autoridades competentes e vê, mais uma vez, o seu patrimônio ser destruído e seus funcionários e familiares serem expulsos de suas moradias numa afronta ao direito à propriedade”, registra a nota.

Detalhe: não se constata, no comunicado do grupo Santa Bárbara, nenhum parágrafo alusivo aos sem-terra feridos.