Hiroshi Bogéa On line

Bandidos como testemunhas

 

 

No Luis Nassif:

 

Sobre provas testemunhais

Há um evidente desconhecimento jurídico na maneira como alguns setores estão qualificando o testemunho do ex-PM preso em Brasília que tenta incriminar o Ministro dos Esportes Orlando Silva.

Por definição, cúmplices e bandidos são testemunhas dos crimes. A partir dessa obviedade, alguns analistas sustentam que todo depoimento de criminoso deve ser considerado porque, por cúmplice, ele é uma testemunha privilegiada.

Acontece que por sua própria condição – de bandidos – o que se espera deles são basicamente pistas e provas documentais. Nenhum tribunal sério do mundo – e nenhuma publicação séria, saliente-se – confiaria apenas na palavra do bandido.

Há um dito no meio que diz que a prova testemunhal é a prostituta de todas as provas. Basta qualquer pessoa falar, confessar ou acusar sem apresentar provas. E se a pessoa é um preso, indiciado, mais ainda.

Veja tem dito que o acusador tem provas.

É simples tirar a prova do pudim: basta que as provas sejam apresentadas. A questão é que Veja tem uma tradição de divulgar que possui provas – gravações e fotos – que nunca são apresentadas.

Post de 

2 Comentários

  1. fabio

    19 de outubro de 2011 - 21:23 - 21:23
    Reply

    dinheiro de corrupcao nao tem recibo caro nassif

  2. Anônimo

    18 de outubro de 2011 - 10:16 - 10:16
    Reply

    http://esporte.uol.com.br/ultimas-noticias/2011/10/18/orlando-silva-compra-a-vista-terreno-sobre-duto-da-petrobras.htm

    Está também foi inventada por bandido? Esse ministro se sujeitou por muito tempo as vontades de Ricardo Teixeira e o presidente do COB Carlos Arthur Nuzman, sem nunca se impor. Esta pagando por isso. Nunca usou sua autoridade de Ministro para se impor contra esses dois marginais que tanto prejudicam o esporte brasileiro, acho que já vai tarde.

Leave a Reply to fabio

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *