Hiroshi Bogéa On line

Agruras da base aliada

Está se tornando consenso na base aliada de Sebastião Miranda (PTB) de que ele fez pouco caso pela sua sucessão, medindo o movimento dos ventos ao sabor da popularidade do governo sem fazer a conta de que em política uma grande aliança pesa muito na hora da onça beber votos.

As principais cabeças interessadas no processo com assento às conversas informais de Miranda (entenda-se pré-candidatos), confessam preocupação com as cores do horizonte, listando alguns questionamentos.

Primeiro, perguntam se Tião Miranda estaria mesmo interessado em dedicar-se de carne e osso à campanha eleitoral como principal agente, lutando para eleger seu sucessor. Há controvérsias.

Segundo, indagam por que o prefeito não caracterizou seu candidato a tempo suficiente de torná-lo familiar ao crivo da população, disponibilizando-o ao favoritismo das pesquisas com pelo menos 15 percentuais, de preferência pública.

Dos nomes conhecidos supostamente integrantes da base aliada do prefeito (Asdrúbal Bentes, Ítalo Ipojucan, João Salame e Maurino Magalhães), dois deles, Asdrúbal e Maurino – exatamente os que aparecem bem à frente das pesquisas, empatados tecnicamente em torno de 25% -, não são do coração de Miranda.

Asdrúbal Bentes, apesar de demonstrar fidelidade ao administrador, foi co-autor da ação eleitoral que cassou o mandato do prefeito pelo período de cinco meses, criando profundas feridas até agora não cicatrizadas, apesar das aparências e gestos de demonstração em contrário.

Maurino Magalhães, enquanto permaneceu prefeito no período da cassação de Sebastião Miranda, tomou decisões administrativas contrárias a orientação do titular, além de ter dado declarações compreendidas pelo staff do cassado como de implantação de novo status quo político.

O que mais irritou Sebastião Miranda foi ter retornado ao cargo para administrar, por um bom tempo, dívidas herdadas do curto período de Maurino, que ao assumir a interinidade encontrou nas contas bancárias da prefeitura saldo superior a R$ 7 milhões.

Os outros pré-candidatos, deputado João Salame (PPS) e o atual vice prefeito Ítalo Ipojucan, não superam a casa de dois dígitos, em todas as pesquisas realizadas, apesar de ambos terem baixa rejeição.

Nos últimos dias, quando intensificaram rumores de que o prefeito de Marabá teria optado pela escolha do nome do deputado estadual do PPS, nos bastidores, o descontentamento dos demais personagens da base aliada foi geral. Sem admitirem publicamente, Ítalo e Asdrúbal passaram a conversar com outras pré-candidaturas numa sinalização de que podem rachar o grupo que dá sustentação ao prefeito marabaense caso o ungido seja João Salame.

Ao dar para si mesmo o prazo de 15 de junho como data limite para aguardar a definição do prefeito, o deputado Asdrúbal Bentes sinaliza a preocupação de não querer ficar isolado no processo. Nas ultimas horas, sabe-se que ele andou conversando demoradamente com lideranças nacionais do Partido dos Trabalhadores.

O encontro do Chefe da Casa Civil, Cláudio Puty, com o vice-prefeito Ítalo Ipojucan, nesta quinta-feira, é um indicador da impaciência a dominar os principais personagens da base aliada de Sebastião Miranda.

De repente, a leitura que se faz é de que o prefeito de Marabá teria perdido o time do processo, ficando a reboque dos acontecimentos.

Post de 

13 Comentários

  1. Anonymous

    14 de junho de 2008 - 23:41 - 23:41
    Reply

    Por isso que o PPS não vai a lugar nenhum, não tem projeto de poder. É uma legenda de aluguel, pra no máximo fazer deputado e vereador.

    Quanto a achar que eleitor não está nem aí pra partido, vc que diz isso.

    Sem um partido forte, com identidade, com gente contra e com gente a favor, um candidato não vai a lugar nenhum.

    É só ver o mundo ao seu redor.

    PPS só ganha onde se forma um vácuo.

    Vide o exemplo do José Fogaça, em Porto Alegre. Abandonou o PPS e foi para o PMDB. Sabe ele que em uma legenda sem identidade, sem estrutura, sem lideranças com brilho próprio, não dá. Não vinga.

    Não conheço o Dep. João Salame, e aqui não vai com o intuito de desaboná-lo, mas o partido que ele está não tem condições de bancar uma candidatura, nem ele, o próprio Salame, firma nesse sentido.

    O cara que quer ele diz: sou candidato, aconteça o que acontecer. Se não acontecer aí ele não é candidato.
    Mas essa de só sou se “alguém me apoiar, se alguém deixar”.
    Essa candidatura não vinga. Parece óbvio.

  2. Anonymous

    13 de junho de 2008 - 20:14 - 20:14
    Reply

    Quem pensa que Tiao Miranda transfere votos está redondamente enganado pois o mesmo nem leva jeito para político e se ocupa um lugar agradeca ao falecido Dr. Veloso.
    Quanto as pesquisas nao tem nenhum valor pois sao feitas da mesma forma que a eleicao para empresário do ano ou seja na beira do rio com no máximo o pessoal que lá frequenta.

  3. Anonymous

    13 de junho de 2008 - 19:19 - 19:19
    Reply

    Esse anônimo das 11:01 não conhece o Salame. Se conhecesse sabe que ele não é de ser dominado por ninguém. Inclusive é por isso que o Tião nao bateu o martelo no nome dele. É independente demais. Mas ele tá certo: passou esses anos todos elogiando a administração do tião, se elegeu com o apoio do grupo do tião, portanto não pode ficar contra ele. É coerente. E teve a coragem de escrever e assinar em baixo. Mas que ele não será controlado pelo Tião e por ninguém se virar prefeito isso pode escrever. Pode ser leal, mas não submisso. Eu conheço ele e sei o que estou dizendo. O galeguinho tá ficando é cada vez mais esperto pra atingir seus objetivos. Anotem o nome dele. Quanto a esse negócio de partido o eleitor tá c..pra isso. Partidão, partidin, etc, é conversa pra boi dormir.

  4. Anonymous

    13 de junho de 2008 - 17:46 - 17:46
    Reply

    O orgulho do Tião está acima de tudo…

  5. Anonymous

    13 de junho de 2008 - 14:01 - 14:01
    Reply

    Olha um candidato “aba de chapéu” não vai a lugar nenhum. Não ganha, quando ganha o governo é desastroso.

    Esse negócio de “só vou se Tião me deixar ir” ou “onde o Tião for eu vou”, não é postura de alguém preparado para ser prefeito de uma cidade como Marabá, punjante e bela, que precisa de alguém que saiba caminhar com as próprias pernas.

    Uma candidatura tem que ter brilho próprio, não pode ficar à sombra, como se fosse um réptil, um rastejante.

    Infelizmente o PPS tem se mostrado uma legenda menor, sem brilho próprio, rastejando à sombras de governos, independendo de qualquer coloração ideológica.

    Um trite fim para grande nomes do antigo PCB, como o do próprio Roberto Freire.

    João Salame é reflexo e causa de um partido sem razão pra existir. Uma sigla que em sí já configura um estelionato, já que nada tem de POPULAR e de SOCIALISTA.

    O PPS não sofre de crise existencial, pelo simples motivo de não existir.

    Oh! PCBão, onde fostes parar…

  6. Anonymous

    13 de junho de 2008 - 00:47 - 0:47
    Reply

    O ASDRUBAL NÃO FOI CO-AUTOR DA AÇÃO QUE CASSOU TEMPORARIAMENTE O ATUAL GESTOR MUNICIPAL DE MARABÁ, POIS QUEM AJUIZOU A AÇÃO NA JUSTIÇA ELEITORAL FOI A ENTÃO DEPUTADA ESTADUAL ELZA MIRANDA. E PODEM ESPERAR COMO ALGUM CANDIDADO VAI ACABAR CORRENDO ATRÁS DA EX DEPUTADA PARA SER A CANDIDATA A VICE NA SUCESSÃO DO EXECUTIVO MUNICIPAL MARABAENSE…

  7. Anonymous

    13 de junho de 2008 - 00:10 - 0:10
    Reply

    O Tião lê o “Arte da Guerra”, mas não entende. Se entendesse o que lê, poderia adotar ” O Príncipe”, de Maquiavel, como seu livro de cabeceira. Veria que não é bom ficar em cima do muro.

  8. Hiroshi Bogéa

    12 de junho de 2008 - 21:05 - 21:05
    Reply

    Caro deputado Joao Salame: conheço os números das pesquisas apontadas por voce, e não conceituei o post voltado a analisar pesquisas. Fiz uma leitura baseado em conversas que mantive nas úttimas 48 horas com algumas pessoas envolvidas no pré-processo eleitoral. Não lhe consultei porque já sei de seu posicionamento na disputa e das articulações que vens fazendo objetivando viabilizar seu nome.
    Tenho duas pesquisas realizadas há uma semana (encomendadas pelo PMDB e PSB) que apontam a tendencia citada. O próprio levantamento do Renato Conduru situa seu nome na faixa de um dígito, considerada a margem de erro. Mas isso nao é o foco principal da questao porque bem sei ( e você sabe que eu sei) que o desempenho de uma candidatura numa campanha pode ser facilmente ascendente, dependendo das circunstâncias do processo. O post quis apenas mostrar a insatisfaçao existente na base aliada da qual voce pertence. Só isso. Nada mais.
    Um abraço.

  9. Hiroshi Bogéa

    12 de junho de 2008 - 20:56 - 20:56
    Reply

    12:53 PM, não fui eu quem fez pesquisa. Portanto, o post se baseia em duas pesquisas recentes, encomendadas pelo PMDB e pelo PSB de Marabá (também processadas por institutos sérios). Em ambas, realizada há uma semana – portanto, as mais fesquinhas de todas as apontadas por você, o deputado aparece com menos de dois dígitos.
    Não discuto essa tendência de crescimento de quem quer que seja durante a campanha. Meu papel aqui não é esse. E não tem por que eu “ser injusto com o João Salame”.
    Não misture alhos com bugalhos.
    Abs

  10. Anonymous

    12 de junho de 2008 - 19:19 - 19:19
    Reply

    o comentarista de 11:14 só me deu uma certeza: é antigo na política de maraba. De resto, aposto que está passando longe. Como diríamos naquela brincadeira de criança: tá frio! aliás, na maioria dos comentários sobre a política marabaense, o que parece interessar aos comentaristas é apenas exercitar um suposto poder de adivinhação. Analisem com certo teor de lógica. aquela lógica comum, cartesiana, que chegarão à conclusão que o candidato do tião sairá do mesmo grupo que há anos define a política na cidade. não há porque desagregar o grupo, com a invenção de uma engenharia rocambolesca. sabe qual é o livro de cabeceira do tiao? a arte da guerra! é pelo que conhecó do livro e do leitor em questão: ele gosta do que leu, e se orienta bastante por esses ensinamentos. Aliás: o livro fez sua cabeça porque ele se enxerga – e se encaixa – naquela teoria.
    tiao sonha em ser o primeiro candidato ao senado do sul e sudeste do estado! seremos daqui há dois anos uma força eleitoral significativa. Para isso, ou mesmo para ser deputado federal, a lógica indica: precisa eleger seu sucessor sem fortalecer nehuma outra força política que possar se interpor a este objetivo: leia-se PT (não há acordo possível com o Pt neste campo, porque o conjunto de tendências políticas impedem uma decisão centralizada sobre candidaturas daqui a dois anos. com Asdrubal ele fortalece o projeto do Jader, que passa longe de agradar Tiao! E poste ele não pode lançar porque a política na cidade está muito imbrincada para fazer graça!
    estudem a lógica, meus amigos, a lógica!!

  11. João Salame

    12 de junho de 2008 - 16:50 - 16:50
    Reply

    Meu caro amigo Hiroshy Bógea

    Há pouco estive com um amigo que me disse ter escrito um comentáiro nesse post me defendendo. Ultimamente só tenho feito duas coisas: reunido com comunidades e conversando com lideranças. Não tenho tido tempo para os blogs, uma das coisas que gosto de fazer, como você sabe. Alertado por este amigo que escreveu para este post resolvi me posicionar.
    Em primeiro lugar quero deixar claro que estou decidido a caminhar com o prefeito Tião Miranda seja qual for sua decisão. Se decidir pelo Italo apoiarei o Italo. Se for o Asdrúbal, que seja ele.
    O eleitor não é bobo. Não tem sentido nem coerência eu ter passado todos esses anos elogiando a administração do Tião, que, por sinal, está muito bem avaliada, e, às vésperas das eleições, por qualquer interesse contrariado, eu mude radicalmente o discurso. Eu posso até “ganhar” a eleição apoiando outro candidato, mas perco na minha imagem de coerência junto a sociedade.
    É evidente que não posso responder pelo Italo e pelo Asdrúbal caso seja eu o escolhido. Cada cabeça é uma sentença. Nutro pelos dois sentimentos de respeito e apreço, mas sei que isso não é suficiente em política para se caminhar junto. Quero crer que eles não assumam essa postura pois, caso contrário, se um dos dois for o indicado, que reação deverei ter se estou sendo vetado? Certamente não ficarei contra o Tião. Mas o entusiasmo será outro. E em eleição todo vento que sopra a favor é bem vindo. O Asdrúbal, experiente que é, certamente não caminhará por essa trilha.
    O Italo seria nosso caminho natural. Ele não se preparou. Disse isso a ele. O Tião não pode ser culpado por isso. Eu não esperei pelo prefeito e hoje sou deputado e isso não diminui minha estima por ele. A política exige sacrifícios pessoais e empresariais. Tempo. Doação. O Italo próprio reconhece que não assumiu a condição de candidato. Não podemos ser culpados pela situação em que ele se encontra politicamente. Mas repito: se for ele o escolhido pelo Tião terá o meu apoio.
    Quanto aos números respeito os que você tem, mas pelo menos quatro pesquisas diferentes me situam noutro patamar. Das mãos do Charles Alcânatara recebi uma o ano passado em que, dependendo do cenário, atingia 16%. Numa outra, recentíssima, cravo 11%, encomendada a um dos institutos mais respeitados do Estado, o BMP, do Renato Conduru, que sequer admite falar em manipulação. O BMP trabalhou 8 anos pro Almir Gabriel, 4 pro Jatene (inclusive detectou a derrota do Almir Gabriel) e agora faz pesquisa pra Valéria Pires Franco. Nessa pesquisa o Maurino lidera com 24%, o Asdrúbal tem 15% e a Benadete 12%. Pra quem nunca assumiu sua candidatura abertamente e entrou na disputa por mandatos ontem acho que estou bem e me orgulho dessa consideração que boa parte da sociedade tem pela minha atuação.
    Agora, existem pesquisas e pesquisas. Teve gente que até as vésperas das eleições de 2006 dizia que eu só tinha 1,5% das intenções de voto em Marabá para deputado. Depois que as urnas abriram não tiveram sequer o pejo de pedir desculpas. São os mesmos que estão a divulgar pesquisas fajutas e manipuladas.
    Em qualquer hipótese, o fato dos líderes nas qpesquisas estarem na faixa dos 25%, demonstra que há uma boa possibilidade de um outro candidato, dependendo de quem seja, possa alcançá-los com o transcorrer da campanha, com suas idéias e o apoio do prefeito Tião Miranda.
    Faço parte de um grupo que fez muito por Marabá. Mudou a cara dessa cidade pra melhor. Importa que o nosso candidato dê continuidade a este trabalho, incorpore novas idéias para melhorar o perfil da administração, mas mamntenha Marabá no rumo da austeridade; do pagamento do funcionalismo e dos fornecedores em dia; das obras de qualidade; do investimento pesado em infra-estrutura, saúde e educação; de impedir o uso do dinheiro público para o enriquecimento ilícito de uns poucos e para o clientelismo e o fisiologismo. Quem tiver compromisso com essas idéias terá meio caminho andado. Com o apoio do nosso grupo a outra metade. Com o Tião Miranda a pilotar o barco, não tenha dúvida disso.
    Forte abraço do amigo

    João Salame

  12. Anonymous

    12 de junho de 2008 - 15:53 - 15:53
    Reply

    Hiroshi

    Você está sendo injusto com o Salame. Na pesquisa encomendada pelo Demétrius ele aparece com 9%. Numa encomendada pelo PSDB de Belém ele tem 11%. Numa outra em poder do Tião Miranda ele tem 13%. Em qualquer uma delas fica claro que ele pula pra 20% no primeiro mês das eleições se for o candidato do prefeito. E tanto o Maurino como o Asdrúbal caem se não forem apoiados pelo prefeito. Ainda mais que boa parte do eleitorado acostumou a ver os dois elogiar o Tião em dezenas de inaugurações. Aliás, as pesquisas indicam que Maurino, que já teve mais de 40%, já está na casa dos 25%. O Asdrúbal um pouco menos.
    Com um detalhe: Asdrúbal está em campanha pra prefeito há oito anos. Bernadete há 3 anos e Maurino há dois anos. Não falam em outra coisa. E o Salame, esperando pelo Tião e, não sei porque motivo, respeitando o Italo, que não respeita ele, nunca assumiu sua candidatura. Na eleição pra deputado ele já demonstrou que é bom de chegada. É bom de campanha, de palanque, de tv e de articulação, além de ter baixa rejeição. Se for indicado pelo Tião vai dar trabalho. Anote.

  13. Anonymous

    12 de junho de 2008 - 14:14 - 14:14
    Reply

    hiroshi, isso aconteceu tambem com haroldo bezerra que só decidiu no último minuto do segundo tempo
    quem fala agora se apressa, o que não é bom em política
    o grande eleitor é o prefeito ele sabe disso e se ele falar agora dá espaço para que hajam outras articulações, pois sempre se desagrada alguém que tem pretensões
    é claro que um prefeito com os percentuais que tem não vai ficar alheio a fazer seu sucessor mais ainda quando já disse que é candidato a federal daqui a dois anos
    salame não foi escolhido isso é só boato, aliás, parece que está isolado, pois noto que outros partidos se reunem e o pps não se encontra no meio deles, pv para um lado, pdt,pcdob,etc, para outro, isso para mim é isolamento comprovado pelo racha que vc assinala
    para mim tem pt nessa história do tião, e aí a bernadete fica imbatível se juntar os que aprovam Lula com os que aprovam tião, certo?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *