João Chamon Neto assumirá Secretaria do Centro Regional de Governo

Helder Barbalho anunciou em sua conta do Twitter que o deputado estadual João Chamon Neto (MDB) terá a responsabilidade de dirigir a Secretaria Regional de Governo do Sul/Sudeste, numa escolha que já era aguardada nos meios políticos.

O nome de Chamon (foto) é bem aceito em todos os segmentos partidários, além de trafegar com muita desenvoltura nos meios produtivos da região.

Já a Secretaria do Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas deve ser assumida pelo vereador em Santarém, Henderson Lira Pinto (MDB), que é graduando em gestão pública.

O goverbador eleito também anunciou o engenheiro agrônomo Lucivaldo Moreira Lima futuro dirigente da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará). O currículo dele inclui formação pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).

E, a Escola de Governo deve ser assumida pela pedagoga Evanilza Maciel, graduada em pedagogia e administração escolar pela Universidade do Estado (Uepa).

Segundo a assessoria, ela já foi secretária de Educação em Conceição do Araguaia e consultora pedagógica do Ministério da Educação.

 

Com os novos anúncios, Helder já define 34 nomes para compor a equipe de governo. Confira a lista:

 

Fazenda: René Sousa

Planejamento: Hana Ghassan

Casa Civil: Parsifal Pontes

Banpará: Braselino Assunção

Meio Ambiente: Mauro O’ de Almeida

Transportes: Pádua Andrade

Saúde: Alberto Beltrame

Iterpa: Bruno Kono

Desenvolvimento e Obras Públicas: Ruy Cabral

Chefia de Gabinete: Luiziel Guedes

Casa Militar: Coronel Costa Júnior

Corpo de Bombeiros: Coronel Hayman

Comando Geral da PM: Coronel Dílson Júnior

Segurança Pública: Ualame Fialho

Justiça: Hugo Rogério Sarmanho Barra

Cidadania: Ricardo Balesteri

Delegacia Geral: Alberto Teixeira

Procuradoria Geral do Estado: Ricardo Sefer

Sistema Penitenciário: Jarbas Vasconcelos

Secretaria de Assistência Social: Inocêncio Gasparim

Inmetro: Cintya Simões

Desenvolvimento Agropecuário e Pesca: Hugo Suenaga

Portos e Hidrovias: Abraão Benassuly Neto

Cerimonial: Marcelo Pinheiro

Educação: Leila Freire

Ciência e Tecnologia: Carlos Maneschy

Desenvolvimento Econômico: Iran Lima

Companhia de Desenvolvimento Econômico: Luftala Bitar

Esporte e Lazer: Arlindo Silva

Cultura: Ursula Vidal

 

Psol exige e Úrsula Vidal se desfilia do partido, depois aceitar assumir a Secretaria de Cultura do Estado

De manhã, uma nota assinada pelo dirigente nacional do Psol, Fernando Carneiro, dando ultimato para Úrsula Vidal se desligar da legenda depois de aceitar convite para ocupar a Secretaria Estadual de Cultura, obrigou a ex-candidata ao Senado oficializar sua saída do partido.

A nota de carneiro, abaixo:

 

7 hO PSOL NÃO PARTICIPA DO GOVERNO DOS BARBALHOS

Nosso partido surgiu como alternativa de poder no país. Ao longo dessa trajetória construímos uma bela história sempre ligada aos movimentos sociais e nos diferenciando dos partidos tradicionais, a maioria deles envolvidos em escândalos de corrupção e acostumados ao “toma lá, dá cá” que marca a política nacional.

No Pará o PSOL reafirmou essa posição no 2° turno ao não apoiar nem MDB nem PSDB, faces da mesma moeda.

Portanto é com profunda estranheza que recebo pelas redes sociais, a notícia de que Ursula Vidal tenha aceitado integrar, na qualidade de secretária de cultura, o governo de Hélder Barbalho. É estranho porque essa questão nunca passou por nenhuma instância partidária e expressa uma ruptura política com o PSOL.

Nunca nos apresentamos como donos da verdade, mas sempre primamos pela independência diante dos partidos e dos governos da burguesia brasileira. Ao mesmo tempo sempre afirmamos que há muito mais semelhanças que diferenças entre o programa dos tucanos e dos Barbalhos: um projeto neoliberal que entrega nossas riquezas e destrói sistematicamente nossos recursos naturais e condena nosso povo à miséria.

Nessas eleições nosso programa foi de mudanças para o Pará. Esse não era apenas um programa eleitoral, mas um projeto de futuro e de inversão de prioridades que colocasse o povo em primeiro lugar e que usasse nossas riquezas para combater as desigualdades sociais que marcam nosso estado. Já naquele momento desautorizamos qualquer liderança partidária a manifestar apoio a Helder ou a Márcio Miranda.

Ursula afirma em sua nota que pretende construir “um projeto democrático e participativo” no governo do MDB. Quer “atuar no espectro imediato de resgate de vidas, memórias e saberes de nossa gente” e que espera “um novo tempo, de transformações de vidas e sonhos”. Ela maneja, como sempre, as palavras com maestria, mas não há mágica possível que transforme o governo do MDB e de Hélder Barbalho em “democrático e participativo” e muito menos “em um novo tempo de transformações”.

Reconheço em Ursula a expressão de uma oxigenação da política paraense. Por isso mesmo a recebemos de braços abertos no PSOL. Mas essa decisão, de se aliar à velha política, joga por terra toda a expectativa de renovação que depositamos nela.

Repudiamos essa atitude e reafirmamos que não há a menor condição de que ela continue no partido se de fato assumir esse cargo no governo Helder. Espero que ela tenha ciência disso e reflita melhor, optando pelo PSOL e recusando a proposta feita por Hélder Barbalho.

Fernando Carneiro
Vereador/Belém
Dirigente Nacional do PSOL

 

 

O deputado federal Edmilson Rodrigues (Psol)  se manifestou condenado a decisão de Ursula, em post publicado em sua rede social:

A nota de Edmilson:

Nota pública

O deputado federal Edmilson Rodrigues informa que, assim como o PSOL, é contrário que qualquer filiado ocupe cargo na nova gestão de Helder Barbalho, que assumirá em 1o de janeiro de 2019.

Assim como não apoiou formal e informalmente nenhum candidato no 2o turno, Edmilson anuncia que será oposição à gestão do MDB no Pará, mantendo a postura combativa e firme na defesa dos interesses do povo brasileiro, especialmente do Pará.

 

No meio da tarde, o Psol confirmou o pedido de desfiliação de Ursula que vem recebendo pesadas críticas.

Por seu turno, o governador diplomado Helder Barbalho confirmou em sua conta no Twitter o convite feito a Vidal, que será a futura Secretária de Cultura do Estado.

Secretária Estadual de Educação será Leila Freire

Helder Barbalho, governador eleito do Pará, anunciou o nome de Leila Freire (foto) para a secretaria estadual de Educação.

Em sua conta no Twitter, Barbalho diz que Leila Freire tem uma ampla experiência na área da docência na educação básica e ensino superior, começando sua carreira com a professora Teresinha Gueiros, uma grande referência na educação paraense”.

Em outro post na mesma rede social, Helder anunciou também outro futuro auxiliar de seu governo.

Trata-se de Abraão Benassuly Neto, para a Companhia de Portos e Hidrovias (CPH), que é formado em Gestão Pública pela UNAMA.

Segundo Barbalho, Benassuly “já atuou na área privada em empresas na área de logística de transporte, foi presidente da CPH e representante do Governo no Conselho de Autoridade Portuária (CAP) dos portos de Belém, Vila do Conde e Santarém. Exerceu ainda a presidência da COSANPA.”.

No post, o governador eleito garante que  seu futuro governo vai trabalhar “para consolidar as hidrovias dos rios Tocantins, Guamá-Capim e Tapajós. Além disso, vamos estimular as vocações regionais, assegurando a continuidade do Programa Luz para Todos e expandindo a infraestrutura aeroviária do Pará”.
Helder publico ainda que “a  Secretaria  de Ciência e Tecnologia será comandada pelo Professor Carlos Maneschy. Ele é Engenheiro Mecânico formado pela UFPA, com mestrado em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do RJ e doutorado em Engenharia Mecânica pela University of Pittsburgh.”
Orgulho dos marabaenses pelo fino profissionalismo de seus serviços, JC Náutica diferencia qualidade de concorrência desleal

O ano de 2018  pode ser considerado o ano da consolidação plena da marina JC Náutica como empresa que  se profissionalizou no segmento garagem náutica.

E isso quem ratifica não é o blog.

São pessoas que utilizam a estrutura da marina para planejamento de suas viagens e clientes efetivos da garagem mais bem equipada no corredor Tocantins-Araguaia, e uma das melhores até mesmo da capital do Estado.

Mas para chegar  ao atual nível de full service, a JC Náutica percorreu um longo caminho.

Principalmente o caminho da legalidade.

Poucas marinas da região Norte são tão certificadas quanto a JC,  para orgulho dos marabaenses.

Em Marabá, apenas como exemplo, não existe nenhuma outra garagem com a documentação em dia equivalente a JC.

Legalizada junto à Secretaria de Patrimônio da União, órgão federal que cuida da gestão de áreas localizadas as margens de rios, mares e igarapés.

A JC Náutica, é bom dizer, foi a primeira empresa do segmento localizada em toda a extensão dos rios Araguaia e Tocantins a receber certificação da SPU.

Como garagens náuticas podem causar danos ambientais se não forem instaladas corretamente e em um local seguro, obter a licença ambiental emitida pela Sema foi uma longa caminhada da direção da JC.

Tempo e dinheiro foram consumidos na empreitada, mas a regularização ambiental foi obtida graças  a seriedade de seus donos, os marabaenses Janary Damacena e o filho, advogado Ciro Damacena

“Infelizmente as licenças podem demorar meses ou até anos para serem emitidas — isso porque cada órgão possui critérios próprios para as avaliações, além de que não há qualquer tipo de documento que expresse as características e os elementos necessários para que uma marina seja legalizada”, conta Ciro, narrando a epopeia da família para manter a atividade dentro das normas legais.

Pedido de fiscalização das instalações da garagem também foi providenciado junto aos órgãos que cuidam da questão, e a JC obteve todos os Habite-se necessários.

Quem conhece o caminho das pedras nessas questões de regularização de atividades dependentes de licença ambiental, e demais buscas de certificações, tem ideia de quanto elevados são os custos finais da empreitada.

E é aí que mora a exploração da chamada concorrência desleal.

Nos últimos anos, o que mais surgiram à beira do Tocantins e do rio Itacaiúnas foram garagens náuticas – se é que grande parte delas assim pode ser denominada

Se ocorrer uma fiscalização em metade dos imóveis, poucos documentos legais serão apresentados.

Em razão disso, há uma disparidade de tarifas cobradas em relação aos valores disponibilizados na JC Nautica.

Inicialmente cauteloso para opinar sobre o assunto, Janary  Damacena é convencido pelo blogueiro a tratar do tema de forma mais direta, deixando de lado  “preocupação ética”, como ele citou.

E confirma a  existência de tabelas discrepantes na cobrança de alugueis de vagas das embarcações, em relaçao ao valores vigorados na JC.

“Os valores discrepantes existem, mas nós procuramos atuar dentro de um perfil altamente profissional. Aqui na garagem, você observa a existência de dois hangares, equipamentos para dar suporte seguro nas operações de bota-e-tira d´água lanchas e jets, Você não encontra aqui nenhuma funcionário sem estar devidamente registrado; todos estão trabalhando fardados dentro de horários regidos pela legislação”, explica Janary.

Percorrendo as dependências dos dois hangares onde se espalham lanchas, barcos e jets, dos mais diversificados tamanhos, há estrutura de combate a incêndios.

Anualmente, quando a Marinha fiscaliza as embarcações durante a temporada alta em Marabá, a JC Náutica firma parcerias visando orientar donos de embarcações no processo de regularização de equipamentos.

Todo esse processo faz parte do perfil profissional implantado na garagem e que já vem de muito tempo.

“Nós investimos muito em regularização, não apenas de nossos dependências, mas também de nossa clientela, porque se lutamos para atuar sempre dentro das normas existentes, não podemos permitir que nossos clientes assim também não sejam”, conta Ciro Damacena.

O alto nível de profissionalização da JC Náutica disponibiliza em sua área vagas secas e cobertas para embarcações, deck seco para embarque e desembarque, estacionamento exclusivo, área social agradável, amplos vestiários, entre tantos benefícios.

Ao ser questionado pelo blogueiro se o Ministério Público do Meio Ambiente procura fiscalizar as outras garagens, para saber se cumprem normas exigidas , até com preocupações de segurança, Janary e o filho Ciro não forneceram resposta.

“Não sabemos”, respondeu secamente Janary.

Pelo que o blog andou observando em outras garagens localizadas as margens do Tocantins, há carência de tudo, principalmente od que concerne a medidas de segurança e de controle do meio ambiente.

É sempre bom lembrar que a atividade náutica é um dos mais fortes exemplos da interação antrópica com as margens dos rios,  uma vez que depende de uma infraestrutura relativamente complexa.

Neste setor, os serviços e atividades realizados intrinsecamente são potencialmente poluidores ou degradadores do meio ambiente, quando não planejados e executados adequadamente.

“A base da gestão ambiental da atividade náutica está focada em um objetivo bastante simples: trazer ao setor informação e orientação, para que se incorporem em sua rotina diária as boas práticas e procedimentos que garantam a qualidade do meio ambiente, consequentemente valorizando o segmento”, explica Ciro.

O nível de profissionalismo da JC Náutica chegou a tal ponto que sua estrutura é celebrada por expedicionários de todas as regiões.

Grupos de expedicionários de cidades como Belém, Imperatriz, Araguaína, Palmas e outras localidades que já receberam apoio logístico da JC Náutica saem de Marabá encantados com os serviços oferecidos.

Seja de lanchas ou montados em potentes motos náuticas,  a garagem da família Damacena é indicada a todos que amam singrar rios em busca de aventuras.

Recentemente, expedicionários que deixaram Palmas com destino a Belém, planejaram a principal parada técnica na JC Náutica.

O blog cobriu  a viagem dos aventureiros.

Também registramos outras viagens de expedicionários de Belém, apoiados na JC Náutica e encantados com o profissionalismo oferecido.

 

AQUI.    e  AQUI

 

Idealizado pela direção da JC, o evento Summer Fest Marabá (foto abaixo), realizado anualmente na Praia do Tucunaré, é um dos eventos mais importantes  da alta temporada de Marabá, e já faz parte do calendário de eventos turístico do município cadastrado junto ao governo do Estado.

Para o Summer Fest Marabá, que está em sua terceira edição, convergem turistas de vários lugares da região, todos buscando lazer, entretenimento e aventuras.

O evento já está  criando fortes demandas turística na cidade.

De tão importante,  mereceu páginas de revistas nacionais especializadas em  lazer náutico, conforme mostra a foto abaixo.

Engana-se quem pensa que marina é apenas um estacionamento de embarcações.

Manter uma lancha, barco ou moto náutica  tem custos e também requer muita mão-de-obra.

“A estimativa é de 1,5 funcionário por barco para manobras e manutenção”, calcula Ciro, ao explicar porque estão sempre investindo em seus quadros.

“Quem não fizer isso, preparar o funcionários, jamais oferecerá serviço de qualidade aos seus clientes. Mas para mantermos essa qualificação, é preciso investir, desembolsar recursos”.

Diante desse quadro comparativo entre a JC Náutica e seus concorrentes  de práticas amadoras e desleais, a preocupação dos sócios da marina é persistir com  a qualidade do que fazem, “embora seja muito difícil enfrentar um mercado desleal quando nos referimos a preços oferecidos”.

É verdade.

Apenas como provocação: as outras garagens tem um quadro de funcionários com carteiras devidamente assinadas?

Há sistema de segurança em suas dependências contra sinistros?

Estão devidamente licenciados ambientalmente?

A regularização de suas áreas junto a SPU está em dia?

Sindicato garante que Detran está parado em grande parte do Estado

O Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Estado do Pará (Sindtran-PA) garante que os atendimentos de vistoria de veículos estão parados em 22 municípios paraenses, depois de realização da que decidiu  que os servidores do Detran paralisariam as atividades nesta sexta.

A suspensão das atividades do órgão se volta contra a  tentativa de terceirização dos serviços de vistoria veicular.

Em nota divulgada esta manhã, o Detran-Pa rebateu o Sindtran, e informou que o atendimento aos usuários seguiu normal nesta sexta-feira na sede da rodovia Augusto Montenegro, em Belém, com funcionamento garantido das 8h às 14h.

Porém, o Detran admitiu que, até o momento, “o setor de vistoria é o único com atividades paralisadas”, o que, segundo diz o órgão, “não causa prejuízos aos usuários, pois o calendário de licenciamento anual já foi encerrado”.

PARADA

Segundo balanço divulgado pelo Sindtran-PA, as Ciretrans (Circunscrições Regionais de Trânsito) que confirmaram adesão à paralisação dos servidores do Detran, sobretudo dos setores de vistoria veicular, atingem os serviços de Belém; Ananindeua; Castanhal; Santa Izabel; Ourilândia; Itaituba; Uruará; Tailândia; Tucumã; Alenquer;  Oriximiná; Almeirim (Monte Dourado); Medicilândia; Santa Izabel; Parauapebas; Soure; Monte Alegre; Dom Elizeu; Barcarena; Canaã dos Carajás; Curionópolis; Breves; Altamira; Óbidos; e Redenção.

O Detran-PA, porém, disse que “as Circunscrições Regionais de Trânsito e os postos avançados em Belém e interior do Estado seguem em pleno funcionamento”.

“Lutamos pela revogação da portaria n. 4265/2018, publicada no Diário Oficial do Estado do dia 17/12/2018 que repassará 90% dos valores arrecadados nos serviços de vistoria pelo Detran a empresas privadas, prejudicando a estrutura pública e esvaziando as atribuições legais dos servidores concursados e habilitados ao longo de dez anos na realização destes serviços”, diz o Sindtran-PA.

Segundo a diretoria geral do Detran-PA, o órgão “mantém um canal permanente de diálogo com as entidades representativas das categorias de servidores do Estado para esclarecer e informar, visando o não comprometimento e a manutenção dos serviços prestados à população”.

O sindicato afirma que, atualmente, o Pará já possui uma das maiores taxas de serviços não terceirizados do Brasil. “Com a terceirização, o cidadão tende a pagar ainda mais, de 5 a 10 vezes mais caro, pelos mesmos serviços realizados por servidores de carreira, como identificamos em alguns estados, onde não existe quadro próprio de servidores concursados”.

SEM VISTORIAS

O Sindtran-PA não confirma ainda se as atividades de vistoria serão retomadas normalmente após os festejos do Natal. Confira abaixo onde os serviços de vistoria de veículos seguem suspensos em todo o Estado:

Belém,  Ananindeua, Castanhal, Santa Isabel, Medicilândia, Almeirim,Oriximiná, Ourilândia, Itaituba, Uruará, Tailândia,  Tucumã,  Alenquer,   Santa Izabel, Parauapebas,Canaã dos Carajás, Curionópolis,  Redenção, Óbidos, Altamira, Breves, Soure, Monte Alegre, Dom Eliseu e Barcarena.