Divulgada segunda lista de repescagem da UFPA

A UFPA (Universidade Federal do Pará) divulgou nesta sexta-feira (24), a 2ª lista de repescagem do Processos Seletivos 2017. Desta vez, a instituição convoca cerca de 1.143 candidatos, referentes ao Prise, Prosel e Letras – Libra.  Os estudantes devem comparecer à coordenação do campus para o qual foi aprovado, nos dias 2 e 3 de março, de 8h às 12h e de 14h às 18h, portanto a documentação exigida para realizar a matrícula.

Os concocados devem levar os originais (para confirmação) e as cópias  dos seguintes documentos: Carteira de Identidade; Cadastro de Pessoas Físicas (CPF); Certidão de Nascimento ou Casamento; Certificado de Alistamento Militar (candidatos do sexo masculino); 01 (uma) foto 3 x 4 recente (colorida); Título de Eleitor, acompanhado do comprovante de votação na última eleição ou Certificado de Quitação Eleitoral; Histórico Escolar do Ensino Médio; Certificado de Conclusão do Ensino Médio; Comprovante de Residência (recente e que contenha CEP).

Confira aqui a lista de convocados:

2ª repescagem – Convocação Prosel

2ª Repescagem – Convocação Prise

2ª repescagem – Remanejadas Prise-Prosel

2ª repescagem – Letras – Libras

Supostos operadores de propina para o PMDB, Jorge Luz e o filho Bruno Luz são presos em Miami.

 

 

Jorge Luz e o filho dele Bruno Luz, alvos da 38ª fase da Operação Lava Jato, foram presos nesta sexta-feira (24), em Miami, nos Estados Unidos. A informação foi confirmada pelo delegado federal Maurício Moscardi.

A prisão foi possível, de acordo com o delegado, graças à cooperação internacional da polícia de imigração americana (Immigration and Customs Enforcement – ICE) com a Polícia Federal (PF) brasileira.

Os dois tiveram a prisão preventiva decretada em meio a mais recente etapa da Lava Jato, deflagrada na quinta-feira (23). A força-tarefa da Lava Jato apura o pagamento de US$ 40 milhões de propinas durante 10 anos. Segundo as investigações, entre os beneficiários, há senadores e outros políticos, além de diretores e gerentes da Petrobras.

Jorge Luz e Bruno Luz são apontados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal (MPF) como operadores financeiros ligados ao PMDB dentro do esquema de corrupção e desvio de dinheiro dentro da Petrobras.

Ainda na quinta-feira, os advogados que defendem os suspeitos haviam informado ao juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Operação Lava Jato na primeira instância, que os clientes se iriam se apresentar “no menor espaço de tempo possível”.

As suspeitas

A suspeita é a de que Jorge e Bruno tenham atuado em pelo menos cinco episódios. Conforme o Ministério Público Federal (MPF), os dois faziam o meio-de-campo entre quem queria pagar e quem queria receber propina envolvendo contratos com a Petrobras. Para tanto, utilizavam contas no exterior, como na Suíça e nas Bahamas.

Ainda de acordo com o MPF, os operadores atuavam, principalmente, na Área Internacional da Petrobras, que tem indicação política do PMDB. No entanto, em um dado momento, ambos passaram a solicitar propina para o PMDB também na diretoria de Abastecimento, setor de atuação do Partido Progressista (PP).

Além disso, ainda segundo informações do MPF, os operadores também atuaram na diretoria de Serviços, que era área do Partido dos Trabalhadores (PT).

Vereador acusado de liderar corrupção na prefeitura

O vereador  Clidenor Guedes de Oliveira, juntamente com a colaboração de outros servidores, está sendo acusado de inserir  na folha de pagamento da prefeitura de Tomé-Açu o nome de funcionários com carga horária muito além do que era realmente trabalhada.

O excedente era repassado ao vereador mediante ameaça de rescisão de contrato.

O mandado de prisão preventiva de Clidenor Guedes foi cumprido junto com o de Celma Sileide, diretora da Escola Municipal Santo Antônio.

O esquema de corrupção foi descoberto na esteira da chamada Operação “Engambitante”, deflagrada pela Polícia Civil nesta quarta-feira (22), em Tomé-Açu

Foram cumpridos 25 mandados judiciais, sendo dois mandados de prisão preventiva, nove mandados de condução coercitiva e 14 de busca e apreensão.

A operação investigou desvios de recursos públicos e corrupção com atuação de organização criminosa e crimes correlatos.

Segundo o delegado Carlos Eduardo Vieira, titular da Delegacia de Repressão e Defraudações Públicas (DRDP), trata-se de um esquema de inserção de servidores fantasmas e de servidores que repassavam o excedente da carga horária realmente trabalhada a um beneficiário.

Celma Sileide era responsável por manter os contratados sob sua vigilância para que não houvesse fuga dos servidores do esquema criminoso.

Foram cumpridos os mandados de busca e condução coercitiva de várias pessoas que estavam inseridas no esquema e sofrendo ameaças por parte dos beneficiários.

Além das residências foram efetuadas buscas em duas escolas da cidade e nas Secretarias de Educação e de Administração com a finalidade de apreender documentos relativos aos crimes apurados.

Esse é o terceiro esquema de desvios de recursos públicos desarticulado pela DRCO na prefeitura de Tomé-Açú em apenas seis meses.

Avançam investigações sobre chacinas ocorridas em Belém

Quem informa é o repórter  Walrimar Santos:

As investigações sobre as 25 mortes registradas, em 20 de janeiro deste ano, após a morte de um soldado da Polícia Militar, em Belém, e de dois falecimentos posteriores de vítimas baleadas no dia, estão avançando.

Parte das perícias de local de crime e de necropsia (exame dos corpos) deve ser encaminhada à Polícia Civil nos próximos dias.

As informações dos laudos ficarão restritas como parte das investigações.

Ao todo, nove delegados presidem os inquéritos na Divisão de Homicídios, em Belém.

A equipe policial faz trabalho de campo e coleta de imagens de locais de crime.

Durante a investigação, poucas imagens foram coletadas.

“Temos outras técnicas de investigação que estão sendo aplicadas no trabalho de campo”, explica o delegado Silvio Maués, diretor de Polícia Especializada. “A partir do momento em que as perícias estiverem disponíveis, as informações serão confrontadas para se ter um cenário montado nas investigações que apontem se as mortes estão relacionadas e quais são as motivações possíveis para os crimes”.

As investigações de cada caso foram separadas em três possibilidades.

“A primeira se trata dos eventos que poderiam gerar uma reação por um sentimento de vingança envolvendo agentes públicos ou pessoas associadas a eles. A segunda possibilidade é de ações oportunistas cometidas por pessoas que se aproveitam do momento para cometer crimes, e a terceira hipótese é de mortes eventuais, ou seja, que aconteceriam independentemente da ocorrência da morte do policial militar”, afirma Silvio Maués.

Dessa forma, o universo de mortes é minimizado pelas características dos crimes para se dar encaminhamento mais prático ao trabalho investigativo.

O delegado ressalta que em uma investigação dessa grandiosidade não há como se estabelecer previamente prazos para a conclusão dos inquéritos.

“Temos muitos aspectos que não dependem somente da investigação. Dependem da perícia, do Judiciário, do Ministério Público, que são órgãos que atuam dentro do Sistema de Justiça”, salienta.

Sobre a morte do policial militar, o delegado destaca que as investigações já avançaram bastante e a previsão é de conclusão do inquérito ainda este mês.

Associação Comercial de Canaã tem moderna sede

A Associação Comercial de Canaã dos Carajás está domiciliada agora em moderna sede.

O imóvel foi entregue à comunidade pelo presidente da Aciacca, vereador Anderson Mendes, idealizador e persistente lutador pela construção do patrimônio.

Ato de inauguração ocorreu em meio à solenidade presenciada pelo próprio presidente, prefeito, vereadores, empresários e comerciantes do município, além do presidente da Associação Comercial do Pará, Fábio Lúcio Costa.

A sede recebe o nome de “Palácio do Empresário José Mendes de Andrade”, personalidade pioneira de Canaã e um dos mais atuantes comerciantes da região, pai do atual presidente da Aciacca.

Anderson Mendes e Fábio Costa inauguram moderna sede da Aciacca, em Canaã dos Carajás.