Povo Gavião interdita BR-222 e ameaça tocar fogo em torres de transmissão

Publicado em 31 de outubro de 2016

gaviao-4

Indígenas da Reserva Mãe Maria bloquearam a BR-222, à altura da reserva, no Km 25 (foto), revoltados com o descaso da Eletronorte em não disponibilizar energia necessária para a eletrificação das 12 aldeias dos índios Gavião, “de modo a permitir  a implantação e  realização de projetos produtivos e nem ao menos instalação de poços artesianos. A energia que existe é precarizada, monofásica e instável”, segundo uma representante indígena na área de bloqueio.

Além disso, o indígenas reivindicam maiores e melhores investimentos em saúde e educação para as diferentes aldeias hoje existentes na Reserva Mãe Maria.

Carretas carregadas de eucalipto estão servindo de esteio para o fechamento da rodovia.

Com ânimos exaltados, manifestantes ameaçam usar toras da madeira apreendida em torno das torres de transmissão da Eletornorte, queimando-as.

…depois da morte do líder do povo Gavião houve alguma reviravolta nos encaminhamentos políticos nas aldeias. A Vale estimulou a secessão entre eles.

Carretas com toras de eucalipto apreendidas
Carretas com toras de eucalipto apreendidas

Estudantes de Castanhal ocupam IFPA contra governo federal

Publicado em 31 de outubro de 2016

Durante ocupação, estudantes realizam debates e atividades culturais.
Durante ocupação, estudantes realizam debates e atividades culturais.

 

Estudantes e trabalhadores do Instituto Federal do Pará (IFPA) Castanhal foram às ruas e agora estão ocupando o campus do município protestando contra a PEC 241 e contra o Governo Federal.

A ação  se soma as milhares de escolas, institutos federais e universidades ocupadas em todo o Brasil, como forma de protesto e resistência aos ataques do Governo contra importantes conquistas sociais já citadas acima, bem como a  MP 746 (Reforma do Ensino Médio), e propostas de reformas da  Previdência e Trabalhista,

Durantes os dias de ocupação do campus, estudantes e servidores realizam diversas atividades.

Ocorrem rodadas de diálogo o aberto entre os estudantes sobre a legitimidade das mobilizações a nível nacional, com análise  do movimento dentro do campus Castanhal.

Todos os momentos são construídos coletivamente com a participação de trabalhadores, professores e estudantes de escolas da cidade.

Já ocorreu apresentação musical da banda Monociclo (foto abaixo) que foi  até o campus prestar apoio aos estudantes, ressaltando a importância da mobilização social e destacando  legitimidade das ocupações.

ocupacao-5

Pais dos pais dos alunos também já estiveram na escola dando  apoio ao movimento estudantil (foto abaixo) ,que está ocupando o campus desde a última segunda-feira.

ocupacao-6

A sociedade e Castanhal tem dado muita força para o  movimento, legitimando-o com palavras de incentivo e ações de solidariedade, doando alimentos.

“Unificar a luta dos meninos é preciso, porque ela fortalece  as relações entre os diversos setores. Só assim eles e todos nós construiremos além de um país melhor, um mundo melhor para todos”, disse, pelo telefone, Maria do Rosário Santos, mãe de um jovem aluno do IFPA.

O movimento “Ocupa IFPA Castanhal”, diariamente, libera notas de agradecimento ao povo de Castanhal, pelas  doações de alimentos, materiais de limpeza e higiene pessoa.

A Associação dos Feirantes e Produtores Rurais de Castanhal, através do presidente da entidade, “seu” Bosco”, tem se envolvido diretamente para recolher alimentos, entre frutas, verduras e outros produtos.

"Seu" Bosco, à esquerda, entregando alimentos para os manifestantes
“Seu” Bosco, à esquerda, entregando alimentos para os manifestantes

 

Feira dos Produtores disponibiliza doações
Feira dos Produtores disponibiliza doações

Os estudantes Eliakim e Carlos fizeram o debate com os agricultores sobre a ocupação do IFPA Castanhal e os cortes do governo.

Os trabalhadores rurais se sensibilizaram e voluntariamente doaram frutas e hortaliças para contribuir com o movimento dos ocupantes no IFPA Campus Castanhal.

Em qualquer lugar do Estado, quem quiser fazer doação de alimentos aos estudantes do IFPA de Castanhal, deve procurar escolas onde estejam havendo ocupações, e oficializar a entrega aos coordenadores dos movimentos de resistência.

Edmilson nega reconhecer vitória de Zenaldo

Publicado em 30 de outubro de 2016

‘Não podemos legitimar a reeleição do atual prefeito visto a existência de vários processos que ele responde e denúncias feitas pelo Ministério Público em relação a ele. Existem muitos processos, várias denúncias de compra de votos, inclusive o processo de cassação de seu mandato que está sub judice’.

Declaração acima é do candidato derrotado a prefeito de Belém,  Edmilson Rodrigues, em entrevista concedida agora à noite em seu comitê, numa demonstração de que não reconhece a vitória do adversário, embora Zenaldo Coutinho tenha obtido quase 53% dos votos dos belenenses.

Doxa acerta na mosca resultado de Belém

Publicado em 30 de outubro de 2016

Como já havia ocorrido no primeiro turno, quando acertou as projeções para o primeiro turno em Belém, o instituto Doxa, de novo, acertou na mosca.

A pesquisa publicada ontem, 29, mostrava a seguinte projeção:  Zenaldo Coutinho (PSDB)  54,2% e Edmilson Rodrigues (PSOL) com 45,8% dos votos válidos.

O resultado da eleição na capital:  Zenaldo  52,25%  X  47,75% Edmilson

Dentro da margem de erro, na mosca.

E agora, como ficam os outros institutos que “viajaram na maionese” ?

Belém: Zenaldo derrota Edmilson com 53% dos votos válidos

Publicado em 30 de outubro de 2016

Com 52,21% dos votos válidos e 98% das urnas apuradas, Zenaldo Coutinho (PSDB) é matematicamente reeleito Prefeito de Belém após o segundo turno realizado neste domingo (30) na capital paraense.

O candidato Edmilson Rodrigues (PSol) obteve até agora 47,79% dos votos. Com 1.043.219 eleitores, Belém foi o único município do Estado a realizar o segundo turno.

A apuração começou logo após as 17h e foi uma das mais rápidas da história realizada pelo TRE-PA (Tribunal Regional Eleitoral do Pará), já que o resultado está dentro do horário previsto, que era de 18h.