Quem estará com quem

Publicado em 30 de setembro de 2009

A seguir, o blog relaciona a tendência de apoio dos 38 prefeitos eleitos nos municípios do Sul e Sudeste do Pará aos hipotéticos candidatos a governador em 2010, numa provável polarização entre Partido dos Trabalhadores e PSDB. O quadro é resultante de conversas que o poster teve diretamente com os prefeitos e, em alguns casos, assessores de confiança de outros.

PT (8 prefeitos)

Usando o numero de eleitores inscritos até a eleição de 2008, soma 233.138 o universo eleitoral dos oito municípios comandados pelo Partido dos Trabalhadores, a seguir relacionados, com respectivo número de eleitores.

Nenhum dos oito prefeitos consultados demonstrou interesse em trabalhar contra a reeleição de Ana Júlia. Garantem estar fechados com ela, tanto no primeiro como no segundo turno, caso haja uma segunda eleição, em 2010.

Bom Jesus do Tocantins(9.164) – Sidney Moreira de Souza
Conceição do Araguaia (29.584) – Álvaro Brito Xavier
Eldorado do Carajás (15.520) – Genival Diniz Gonçalves
Itupiranga (31.256) – Benjamin Tasca
Jacundá (33.612) – Izaldino Altoe
Parauapebas (85.246) – Darci Lermen
Sapucaia (3.437) – Manoel “Josino” Carmo dos Reis
Xinguara (25.319) – Davi Passos

PMDB (8 Prefeitos)

Os oito municípios dirigidos pelo PMDB, conforme dados do TSE auferidos na eleição de 2008, totalizam 137.171 eleitores. São eles:

Água Azul do Norte (8.571 eleitores) – Renan Lopes Souto
Brejo Grande do Araguaia (5.913) – Geraldo Billa
Curionópolis (12.510 ) – Chamonzinho
Dom Eliseu (27.269) – Joaquim da Eldorado
Goianésia (22.821) – Itamar Cardoso do Nascimento
Rondon (29.943) – Olávio Rocha
São Geraldo do Araguaia (20.498) – Jorge Barros de Alencar
São João do Araguaia (9.646) – Marlene do Mário (Correa Martins)

Dependendo de quem estará no segundo turno, o humor de quatro prefeitos do PMDB mudará de curso. No primeiro turno, todos garantiram seguir a orientação do partido.

Se for Mário Couto enfrentando Ana Júlia, a candidata do PT terá o reforço de sexteto dissidente numa hipotética situação do partido de Jader Barbalho alinhado à oposição. São seis prefeitos que não confiam no senador e nem querem conversa com ele, alegando questões antigas.

Na condição de Jatene, candidato tucano, encarando Ana na segunda eleição majoritária de 2010, a rebeldia à candidatura tucana será de quatro prefeitos peemedebistas do Sul-Sudeste. O quarteto não faz segredo e diz querer distância do ex-governador.

Numa hipotética candidatura de Jader Barbalho ao governo, todos os prefeitos peemedebistas estariam fechados com ele, tanto no primeiro como no segundo turno.

PDT (6 prefeitos)

Terceiro partido com maior número de prefeitos eleitos em 2008, o PDT controla seis prefeituras com 76.978 eleitores. São os seguintes municípios:

Canaã dos Carajás (19.020) – Anuar Alves da Silva
Cumaru do Norte (5.853) – PÊTI – Vilmar Farias Valim
Ourilândia do Norte (14.042) – Dr. Romildo Veloso e Silva
Pau D’Arco (5.710) – Luciano Guedes
São Domingos do Araguaia (15.037) – Jaime Modesto da Silva
Tucumã (17.316) – Celso Lopes Cardoso

O poster observou comportamento instável entre pelo menos cinco, dos seis prefeitos eleitos pelo PDT. Eles não sinalizam tendências. Se esquivam, revelando apreensão em colocar em risco a estabilidade de suas administrações quanto a possibilidade de serem alijados da distribuição de convênios dos governos do estado e federal. À exceção dos municípios de Canaã e Ourilândia, a cada ano encorpados financeiramente pelos royalties de suas jazidas de cobre e níquel, o restante sobrevive apenas do FPM já que os índices do ICMS são baixíssimos. Num segundo turno, dificilmente Ana Júlia teria o apoio deles.

PSB (4 Prefeitos)

Os quatro municípios dirigidos pelo PSB somam 59.163 eleitores.

Assim como o PT, os quatro prefeitos do PSB tendem a seguir fechados com a recandidatura de Ana Júlia. Pelo menos não tituberam diante da consulta feita elo blog.

Bannach (3.272) – Válber Barbosa Milhomem
Novo Repartimento (36.176) – B ersa (Bersajone Moura)
Piçarra (8.790) – Jairo Luiz Lunardi
Rio Maria (10.925) – Waltinho do Ouro

PTB (3 prefeitos)

O PTB elegeu três prefeitos no Sul e Sudeste do Pará, em municípios que totalizam 87.534 eleitores:

Nova Ipixuna (10.610) – Edison Alvarenga
Redenção (47.767) – Wagner Fontes
São Félix do Xingu (29.147) – Antonio Levino

Numa disputa entre Ana Júlia e Mário Couto, os três prefeitos trabalhariam pela reeleição de Ana Júlia. Com Jatene na parada, pelo menos dois o acompanhariam.

PSDB (2 Prefeitos)

O PSDB controla apenas duas prefeituras na região, totalizando 23.870 eleitores até a eleição de 2008.

Palestina (5.563) – Maria Ribeiro da Silva
Santana do Araguaia (18.307) – “Alegria”- Gilgleider Altino Ribeiro

Os dois prefeitos estariam fechados com a candidatura de Simão Jatene, nos dois turnos. Apenas um deles seguiria Mário Couto, mas, num hipotético segundo turno, refugaria o candidato do partido em favor de Ana Júlia

PR (2 Prefeitos)

Os dois municípios administrados pelo PR somavam na eleição de 2008, exatos 147.990 eleitores.

Breu Branco (25.533 – “Alemão” – Egon Kolling
Marabá (122.457) – Maurino Magalhães

Os dois prefeitos garantem que seguirão orientação da direção do PR quanto a apoios para candidatos ao governo do Estado.

PPS (2 Prefeitos)

Os municípios seguintes dirigidos pelo PPS totalizavam 82.875 eleitores na eleição passada:

Pacajá (20.873) – Padre Edmir José da Silva
Tucuruí (64.002 ) – Sancler Antonio Wanderleu Ferreira

Os dois prefeitos também estão com discurso de apoiar na eleição de 2010, o candidato a governador coligado com a legenda. Mas há suspeitas de que um deles pode cravar fora do que estiver escrito.

PP / PSC / PRP (1 prefeito cada)
Os municípios de Abel Figueiredo (5.600 leitores) , Floresta do Araguaia (11.159) e Santa Maria das Barreiras ( 10.020) totalizavam 26.779 eleitores, em 2008.

O prefeito de Abel Figueiredo (Hildefonso de Abreu Araújo) foi eleito pelo PP, e estará com Ana Júlia, nos dois turnos.

A população de Floresta do Araguaia (11.159 eleitores) elegeu Alsério da Ametista, filiado ao PSC. Ele está em cima do muro. Não dá dicas qual rumo seguir.

Em Santa Maria das Barreiras, com 10.020 eleitores inscritos na eleição de 2008, Odacir Dal Santo foi eleito pelo PRP. Dá sinais de que poderia apoiar Simão Jatene, nos dois turnos.

Mário Couto está fora dos planos dele.

Mapa eleitoral

Publicado em 29 de setembro de 2009

Levantamento cuidadoso realizado pelo poster nos, últimos 15 dias, junto aos prefeitos dos 38 municípios do Sul/Sudeste do Pará, permite medir a tendência das forças políticas que estarão envolvidas nas eleições de 2010.

O potencial partidário e a situação de alguns prefeitos, neste momento, junto às suas comunidades, é o que tentaremos reproduzir em post que estamos redigindo.

Ainda hoje, aqui no blog.

————–

atualização às 16:45

Imaginávamos retornar a Marabá, até às 14 horas, de uma viagem aos municípios da BR-222, mas não deu. Ainda estamos na estrada, parando aqui e ali, para atualizar os comentários.

Amanhã, conluiremos o post sobre o mapa eleitoral.

Sorry.

Coluna Diário do Pará

Publicado em 29 de setembro de 2009

Coluna do poster publicada na edição desta terça-feira, 29, do Diário do Pará:

_____________

Ancorando estudos
Estão bastante adiantados os serviços da Umi San, empresa de engenharia contratada pela Vale S.A, na sondagem da área onde a mineradora construíra seu porto privado para escoar, pela hidrovia, a produção da Alpa – Aços Laminados do Pará. Cerca de doze pessoas trabalham sobre uma balsa ancorada a um barco realizando estudos de navegação, batimetria, georeferenciamento, hidrografia, geofísica para servir de referencia ao projeto executivo do porto. Numa das diversas medições realizadas pela empresa, há pontos em que o calado do Tocantins, em frente à área escolhida, chega a medir 42 metros, neste período de vazante do rio.

Desapropriação DI
A Companhia de Desenvolvimento Industrial (CDI/PA) formulou proposta de remanejamento das 14 famílias residentes na Vila Alto Alegre, localizada na área onde será instalada a fase III do Distrito Industrial de Marabá, objeto de desapropriação, em contrapartida à concessão dos direitos de posse das mesmas. Como alternativa ao pagamento das indenizações pelas benfeitorias daquelas famílias, cujos valores são irrisórios, já que se trata apenas de posse, o Governo do Estado propôs o remanejamento para unidades habitacionais construídas pela CDI. Doze famílias aceitaram a proposta, assinando o termo de adesão. As duas famílias que não aderiram à proposta de remanejamento optaram por receber a indenização em moeda corrente de acordo com o laudo de avaliação elaborado pela Secretaria Estadual de Obras Públicas – SEOP.

Depósito em juízo
A negociação com os demais expropriados (na maioria chácaras, fazendas, roças e pequenas unidades industriais) está a cargo da PGE. Os recursos financeiros para pagamento dessas indenizações estão sendo liberados pela SEFA em parcelas mensais e consecutivas. A expectativa é que até dezembro deste ano, a SEFA repasse a totalidade dos recursos. O pagamento das indenizações cujos recursos já foram liberados está sendo processado via depósito judicial. É que grande parte dos expropriados ou não possui o registro dos imóveis ou não concorda com os laudos de avaliação elaborados pela SEOP. Mesmo os expropriados que resolverem questionar em juízo o valor da indenização tem a opção de sacar até o limite de 80% do depósito efetuado pelo Estado.

Empréstimo negado
O leitor recorda de nota publicada na coluna, início de setembro, dando conta do pedido de empréstimo de R$ 7 milhões ao Banco do Brasil, pela prefeitura de Marabá? Pois bem, na quarta-feira última, 23, a área técnica do BB emitiu parecer contrário, brecando a liberação da grana. Sem os avais da Vale S.A e da Buritirama, garantias exigidas pela instituição, nada feito. As mineradoras preferiram ficar distante da operação financeira, cujo montante é modesto considerando-se a arrecadação mensal do município, hoje em torno de R$ 25 milhões. Na certa, preferiram não apostar no cenário de incertezas rondando a administração pública.

Saco furado
O mais intrigante em torno desse empréstimo de R$ 7 milhões pleiteado pela prefeitura de Marabá é que Maurino Magalhães (PR) assumiu o cargo com as contas públicas do município em dia, esnobando saldo bancário de R$ 6,5 milhões apenas de recursos próprios e algo em torno de outros R$ 5 milhões de convênios. Dindin em caixa. Oito meses depois, grande parte dos fornecedores reclama de atraso em seus pagamentos, com indícios de débitos beirando a R$ 8 milhões. Temor é de que a coisa possa piorar, já que este fim de semana vence o primeiro mês do contrato de R$ 1,6 milhão para a empresa terceirizada da merenda escolar. Até dezembro último, a alimentação dos alunos custava R$ 600 mil por mês, um acréscimo de R$ 1 milhão aos cofres da prefeitura.

UMAS & OUTRAS
Maurino Magalhães e Nagilson Amoury, prefeito e vice de Marabá, desapareceram do cenário, evitando a todo custo encontrar oficial de justiça com notificação da ação que os denuncia por prática de caixa dois na campanha de 2008. Mandado de citação será cumprido via hora certa, através dos Correios, decidiu o juiz Cristino Magalhães.

Em Brasília, muitos políticos do Sul do Pará assistiram a posse de Alexandre Padilha como novo articulador político do governo.

O blog do colunista publica, nesta terça-feira, 29, análise da tendência das forças políticas distribuídas nos 38 municípios do Sul do Pará. Quem é quem na hora de pedir votos nas eleições de 2010.

Matéria sobre a conclusão das eclusas de Tucuruí publicada na edição de domingo, do Diário do Pará, será utilizada como painel do debate que estudantes da escola A Fazendinha realizarão no próximo sábado.

______________
Reação silenciosa

Publicado em 28 de setembro de 2009

Candidato a governador sem vice do Sul do Pará, anotem e confiram, sofrerá revés histórico na região. E se perder na região, perde a eleição.

Este será o fato novo na política de 2010.

Voz amiga

Publicado em 28 de setembro de 2009

Assessores do prefeito de Marabá estavam à procura da ex-deputada estadual Elza Miranda (PSDB) para pedir-lhe apoio no sentido de tentar convencer o empresário de Parauapebas a retirar a denúncia de caixa dois protocolada no fórum do município, pedindo a cassação do mandato de Maurino Magalhães.

Elza, amiga de Abmael Barbosa da Rocha, é tida nos círculos de assessores e de amizade do prefeito pessoa capaz de ajudá-lo a afastar o risco de cassação rondando seu mandato.