No fundo do quintal

Bem em frente à cidade de Belém, dezenas de ilhas cortadas por igarapés de variados tamanhos formam um conjunto de biodiversidade extraordinário. Infelizmente, poucos belenenses se dão conta disso, e perdem oportunidade de conhecer suas belezas de perto.

Na foto do amigo César Marinho, um ilhéu segue em sua canoa cercado de verde e águas abundantes.

Imoralidade doentia

Dentro de 60 dias, dezenas de prefeitos deixarão o cargo com soma e subtração de ações geradoras de efeitos distintos.

Na coluna de balanço pessoal, quase todos com uma ou duas fazendas compradas e mais de mil cabeças de gado, no mínimo,

No campo administrativo, contas públicas arrasadas: salário de servidores com pelo menos três meses de atraso, fornecedores em estágio pré-falimentar diante da inadimplência do município e dezenas de obras paradas.

Paralelamente, alheios à bagunça das contas municipais, alguns membros do Ministério Público trocando insultos com juízes e vice-versa; conselheiros do TCM brigando internamente contra a demissão de parentes, e por aí vai.

A cada quatro anos, é sempre assim.

O Brasil ainda é um país que não venceu a ditadura da imoralidade.

Caçando votos

Charles Alcântara, ex-chefe da Casa Civil, desembarcou à tarde desta terça-feira, 28, em Marabá. Reuniu com servidores da secretaria da Fazenda local e amanhã, 29, visita cidades do Sul e Sudeste em plena campanha para a presidência do sindicato da classe.

Lenha na fogueira

Diretores da Subseção da OAB de Marabá estão sendo apontados como insufladores do conflito, cada dia mais insuportável, entre juízes e promotores de Justiça. Comentários – aqui e aqui -, postados no blog dão conta de abaixo-assinado patrocinado pela entidade em apoio ao juiz César Lins.

Bem que os doutos causídicos (opa!) poderiam aparecer na questão como mediadores.

O poster tentou localizar, via celular, algum dirigente da Subseção, sem sucesso. Se algum deles estiver interessado em esclarecer a denúncia, favor enviar comentário.

Limão, mel, alho e xarope

A atualização do blog, no domingo, já foi feita na marra. Nem deu para responder comentários. Nesta segunda, nem comentários, nem atualização.
A indisposição do poster é consequência de uma forte gripe, daquelas de jogar o “sumano”na cama e dar-lhe pancada no corpo. Está brabo mesmo.

A coluna do Diário do Pará será redigida no limite extremo do organismo.

Desculpas, a todos.