Gilberto Leite reage às discriminações da Vale

Publicado em 19 de janeiro de 2012

 

 

Submetido a tratamento de saúde em Curitiba, o empresário Gilberto Leite, executivo do Grupo Revemar e ex-presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá, faz questão de registrar seu desconforto e descontentamento com a discriminação da Vale  imposta às empresas da região, conforme denúncia da ACIM em nota oficial assinada em conjunto com a Sicom – Secretaria de Indústria e Comércio de Marabá.

Sempre preocupado em ampliar o leque de envolvimento do empresariado regional com as oportunidades de negócios propiciados pelos grandes projetos da mineradora, Gilberto Leite manifesta sua indignação.

A reação dele com expressões duras demonstram o quanto a Vale está passando dos limites. Gilberto, quem o conhece sabe disso, é um gentleman, elegante no tratamento e ponderado em todas as manifestações.  Quando um comentário com sua assinatura chega assim acarregado de mágoa, é porque esgotou-se nele todos os  protocolos da boa convivência com a mineradora.

Ainda hoje, é provável que o poster publique ainda opinião a respeito dessa safadeza praticada pela Vale.

 

A seguir, o comentário de Gilberto:

 

 

Olá, Amigo HIROSHI! Saudades de todos.

Apesar da falta de mobilidade, e após 9 dias totalmente fóra do ar, por aqui em Curitiba tudo correndo bem.

Hoje me deparo com mais esta noticia desfavoravel ao empresáriado Marabaense. Ocorrências  como esta são muitas. Precisamos achar uma forma de dar um basta a ISTO TUDO. Quero  me colocar a disposição para fazer parte deste TIME, as mudanças terão quer ser para JÁ, nesta nova ordem econômica, as estratégias de crescimento para nossa região terão de vir obrigatoriamento da VALE. Por diversos motivos, o principal considero eu SEU PASSIVO SOCIAL, portanto aceitar tudo isto com passividade, NÃO!

Quero parabenizar ACIM e SICOM pela coragem de exporem logo estas feridas a fim de procurarmos o remédio correto para este caso da duplicação da FERROVIA. Para quem não sabe, este projeto envolve recursos na ordem de U$ 12 bilhões de dólares e não beneficia MARABÁ em nada.

Portanto, se não NEGÓCIOS por que amolecer com estes p………

Para encerrar, vejam o despropósito da VALE: ela alega que não tem U$ 400 milhões de dólares para fazer a nossa HIDROVIA, que  com certeza só beneficiará a ela.  A partir disto,  toda enrolação com a ALPA.

Italo, Tatagiba e demais, cacete nestas empresas, não temos nada a perder.

Saudades e todos, abração HIROSHI

Gilberto Leite