Hiroshi Bogéa On line

Um país menos injusto

Sinceramente, há dez anos, jamais pensaria um dia ler notícia como a que será repercutida nas próximas horas, em todo o país, dando conta de que aproximadamente 20milhões de brasileiros melhoraram de vida, deixando a Classe E – a mais extremada das miserabilidades.

Isso num período de cinco anos, entre 2003 e 2008.

Lula ganhou a primeira eleição em 2000.

Dois anos depois da posse, sua política de distribuição de renda começou a reduzir as distancias sociais desumanas que afogavam brasileiros desde o descobrimento do país.

Dois anos depois de assumir o governo, Lula fez com que 6,1 milhões de pessoas ingressassem nas classes A e B e 25,7 milhões subissem à classe C.

Passando a régua, em nove anos de governo Lula, as classes A, B e C, somadas, já representam 59,64% da população brasileira.

Quase 60%!

E quem diz isso não é este poster admirador da sensibilidade social do Lula, e das brigas corajosas que ele trava contra o Império da Avenida Paulista para quebrar a hegemonia dos grandes investimentos historicamente centralizados nas regiões Sul-Sudeste do país.

Quem expõe a público esse Novo Brasil é um estudo da Fundação Getúlio Vargas (Rio de Janeiro), cujo grupo de trabalho foi liderado pelo economista Marcelo Neri, e que terá sua divulgação liberada a partir da semana que chega.

Mais, Lula, mais!

Post de 

4 Comentários

  1. Anonymous

    22 de setembro de 2009 - 14:48 - 14:48
    Reply

    É mais um milagre do "Santo O Cara". Deus me livre, Lula, já vai tarde. Sai de retro Satanás…

  2. Pedrox

    21 de setembro de 2009 - 04:45 - 4:45
    Reply

    Errata: Lula ganhou a primeira eleição em 2002.

    Digam o que disserem – e dizem muita coisa ruim – mas eu me orgulho de sempre ter votado nele para presidente.

  3. Bia

    19 de setembro de 2009 - 20:51 - 20:51
    Reply

    Caro Hiroshi,

    vou aguardar a publicação do estudo. Mas, o mesmo Marcelo neri, coordenador do CPS da FGV, anunciava que apenas em janeiro de 2009, em decorrência da crise internacional, apenas em seis regiões metropolitanas (Recife, São paulo, Rio, Belo Horizonte, porto Alegre e Salvador) houve um recuo de 11% da classe C para a D.

    O período que o novo estudo analisa, 2003-2008, de equilibrada situação internacional, favoreceu nadarmos e braçada.

    Os méritos do Governo Lula são positivamente mensuráveis,mas não me deixam esquecer que nas marolas alguns dançam. E sempre os do andar de baixo. Porque no andar de cima, o setor financeiro, cujos maiores representantes – Unibanco, Itaú e Bradesco – teve, no mesmo período, 2003-2008, os maiores lucros dos últimos 20 anos.

    Abração.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *