Hiroshi Bogéa On line

Psol exige e Úrsula Vidal se desfilia do partido, depois aceitar assumir a Secretaria de Cultura do Estado

De manhã, uma nota assinada pelo dirigente nacional do Psol, Fernando Carneiro, dando ultimato para Úrsula Vidal se desligar da legenda depois de aceitar convite para ocupar a Secretaria Estadual de Cultura, obrigou a ex-candidata ao Senado oficializar sua saída do partido.

A nota de carneiro, abaixo:

 

7 hO PSOL NÃO PARTICIPA DO GOVERNO DOS BARBALHOS

Nosso partido surgiu como alternativa de poder no país. Ao longo dessa trajetória construímos uma bela história sempre ligada aos movimentos sociais e nos diferenciando dos partidos tradicionais, a maioria deles envolvidos em escândalos de corrupção e acostumados ao “toma lá, dá cá” que marca a política nacional.

No Pará o PSOL reafirmou essa posição no 2° turno ao não apoiar nem MDB nem PSDB, faces da mesma moeda.

Portanto é com profunda estranheza que recebo pelas redes sociais, a notícia de que Ursula Vidal tenha aceitado integrar, na qualidade de secretária de cultura, o governo de Hélder Barbalho. É estranho porque essa questão nunca passou por nenhuma instância partidária e expressa uma ruptura política com o PSOL.

Nunca nos apresentamos como donos da verdade, mas sempre primamos pela independência diante dos partidos e dos governos da burguesia brasileira. Ao mesmo tempo sempre afirmamos que há muito mais semelhanças que diferenças entre o programa dos tucanos e dos Barbalhos: um projeto neoliberal que entrega nossas riquezas e destrói sistematicamente nossos recursos naturais e condena nosso povo à miséria.

Nessas eleições nosso programa foi de mudanças para o Pará. Esse não era apenas um programa eleitoral, mas um projeto de futuro e de inversão de prioridades que colocasse o povo em primeiro lugar e que usasse nossas riquezas para combater as desigualdades sociais que marcam nosso estado. Já naquele momento desautorizamos qualquer liderança partidária a manifestar apoio a Helder ou a Márcio Miranda.

Ursula afirma em sua nota que pretende construir “um projeto democrático e participativo” no governo do MDB. Quer “atuar no espectro imediato de resgate de vidas, memórias e saberes de nossa gente” e que espera “um novo tempo, de transformações de vidas e sonhos”. Ela maneja, como sempre, as palavras com maestria, mas não há mágica possível que transforme o governo do MDB e de Hélder Barbalho em “democrático e participativo” e muito menos “em um novo tempo de transformações”.

Reconheço em Ursula a expressão de uma oxigenação da política paraense. Por isso mesmo a recebemos de braços abertos no PSOL. Mas essa decisão, de se aliar à velha política, joga por terra toda a expectativa de renovação que depositamos nela.

Repudiamos essa atitude e reafirmamos que não há a menor condição de que ela continue no partido se de fato assumir esse cargo no governo Helder. Espero que ela tenha ciência disso e reflita melhor, optando pelo PSOL e recusando a proposta feita por Hélder Barbalho.

Fernando Carneiro
Vereador/Belém
Dirigente Nacional do PSOL

 

 

O deputado federal Edmilson Rodrigues (Psol)  se manifestou condenado a decisão de Ursula, em post publicado em sua rede social:

A nota de Edmilson:

Nota pública

O deputado federal Edmilson Rodrigues informa que, assim como o PSOL, é contrário que qualquer filiado ocupe cargo na nova gestão de Helder Barbalho, que assumirá em 1o de janeiro de 2019.

Assim como não apoiou formal e informalmente nenhum candidato no 2o turno, Edmilson anuncia que será oposição à gestão do MDB no Pará, mantendo a postura combativa e firme na defesa dos interesses do povo brasileiro, especialmente do Pará.

 

No meio da tarde, o Psol confirmou o pedido de desfiliação de Ursula que vem recebendo pesadas críticas.

Por seu turno, o governador diplomado Helder Barbalho confirmou em sua conta no Twitter o convite feito a Vidal, que será a futura Secretária de Cultura do Estado.

Post de 

2 Comentários

  1. Augusto

    29 de dezembro de 2018 - 21:52 - 21:52
    Reply

    Úrsula Vidal como Secretaria de Cultura?!
    Quem não tem telhado de vidro que atire a primeira pedra. A nova gestora poderia iniciar suas funções explicando aos seus fiéis seguidores o processo n. 34260-53.2015.4.01.3900 – Execução Fiscal – 22/02/2016 do TRF-1, que tramita contra sua empresa URSULA VIDAL DE MENDONCA ME. O autor ??? Ninguém mais ninguém menos que a Agencia Nacional de Cinema. Em outras palavras a futura gestora do MDB ou deixou de prestar contas ou teve prestação de contas negada em recursos que recebeu de lei de incentivo à Cultura Nacional. Vai ser do mesmo modo que irá gerir a tão maltratada lei Semear??? Que irá tratar os recursos públicos do Estado?
    Mas vamos deixar claro, a futura gestora pode alegar não ser a proprietária da ME em seu nome … desculpa clássica dos nossos políticos…. Com seu alinhamento com o MDB podemos espera essa postura.
    Ursula gritou aos 4 ventos que não estava na folha da RBA quando passou a apresentar programa no grupo. Em entrevista, da época, disse “Não. Eu não estou na folha da família Barbalho.” Será que agora pode dizer o mesmo???! Realizou um programa que constantemente atacava o governo. Cumpriu sua missão, cumpriu o papel determinado pelos Barbalhos e foi recompensada por isso.
    Não, mas a futura secretaria nunca escolheu a via mais fácil, nunca foi oportunista política. Saiu do PPS pq era maior que o partido e tinha perdido uma eleição, foi para a REDE onde perdeu novamente uma eleição, saiu dizendo que era maior que o partido e saltou para o PSOL. No PSOL mais uma eleição perdida e agora sai com seus seguidores gritando que ela é maior que o PSOL… Calma ursoletes o caminho de seu símbolo de adoração é de certeza as cadeiras do MDB, lá de certeza ela não será maior que o partido.

  2. Luis Sergio Anders Cavalcante

    29 de dezembro de 2018 - 15:55 - 15:55
    Reply

    Sr. Hiroshi, nada de novo no front. Ursula Vidal é sòmente mais u(m)(a) que era oposição e se bandeia para o outro lado. Demonstra assim, que ideologias políticas são, exclusivamente isso. Hoje, Ursula dá o dito pelo não dito. Em 29.12.18.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *