Hiroshi Bogéa On line

Olha o Datafolha de novo aí, gente!

Sobre a pesquisa do Datafolha apontando empate técnico entre Serra e Dilma.

Luiz Nassif, coloca a ponta do dedo na ferida:

Tracking é um monitoramento diário feito para sondar movimentos voláteis de opinião pública. No caso das campanhas, são pesquisas telefônicas, que não tem nem o mesmo rigor nem a mesma abrangência das pesquisas de campo. Mas servem para antecipar tendências.

A pesquisa do Datafolha foi precedida de notas informando que os trackings do PSDB haviam apontado reversão súbita na tendência de queda de Serra.

A campanha da Dilma também tem os seus trackings. O de ontem mostrava a distância abrindo para 10 pontos em favor de Dilma – o oposto do PSDB. Instituto Sensus e Vox Populi são taxativos em apontar tendência irreversível de abertura da distância entre Dilma e Serra – inclusive em pesquisas qualitativas. No dia a dia é possível perceber a corrosão da candidatura Serra até nas conversas com setores historicamente anti-dilmistas – como o mercado financeiro.

2- A falta de rigor da consulta:
 
Vamos a alguns pontos já analisados por especialistas, sobre a fragilidade metodológica do Datafolha – embora não sejam suficientes para explicar reversões tão bruscas em tendências eleitorais.

Problema 1: a amostra é URBANA, não vai ao RURAL

A amostra por fluxo de ponto (fluxo de pessoas nas ruas) somente vai ao URBANO (85% do país), não vai ao RURAL (15% do país), onde Lula e Dilma Rousseff apresentam percentuais ainda maiores de aprovação. Não há cruzamentos das intenções de voto por URBANO e RURAL.
Problema 2: amostra telefônica

A amostra coletada equivale a uma AMOSTRA TELEFÔNICA do país. Na entrevista coleta-se, necessariamente, o nome e o telefone do entrevistado para checagem. Os últimos dados do IBGE mostram que somente 44,4% dos domicílios têm telefone fixo, e somente 75,5% dos domicílios têm usuários de celular. É uma amostra dos mais ricos.

Completa,  Aqui.

Autor 

5 Comentários

  1. Anonymous

    6 de julho de 2010 - 15:49
    Reply

    Vamos abrir os olhos e perceber a realidasde que nos rodeia: Dilma não está a frente de Serra isso é óbvio pelos comentários do povo. Não vamos ser como jumentos de viseiras acreditando em tudo que se fala, é preciso analisar refletir e não apenas acreditar em tudo que se diz. Sabemos que a noticia hoje é um grande meio de manipulação da opinião publica.Não estou dizendo isso por ser eleitor de A ou B, porém precisamos ser cidadãos mais conscientes para mudar a vergonha que é hj a classe política do Brasil e, isso inclui todos os partidos.

  2. Anonymous

    4 de julho de 2010 - 2:30
    Reply

    E o IBOPE agora à noite,também está errado ? Temos que rir mesmo.

  3. Anonymous

    4 de julho de 2010 - 1:50
    Reply

    Ei! a pesquisa do IBOPE também deu crescimento do serra e empate técnico entre os dois candidatos. Então não vamos crucificar a DATA FOLHA.

  4. Anonymous

    2 de julho de 2010 - 20:58
    Reply

    Saudades da Folha da década de 80. Agora tá indecente esse grande jornal.

  5. Anonymous

    2 de julho de 2010 - 17:03
    Reply

    Que pena! A Folha de São Paulo se desmoraliza a cada dia. E arrastou seu instituto de pesquisa. O desespero da Família Frias contribui seriamente para a tendência mundial e que no Brasil já começa a tomar corpo, a perda de credibilidade da imprensa. Isso é péssimo para a democracia. Nosso país precisa de leitores e os jornais, como os meios de comunicação como um todo, foram criados para ter uma papel fundamental na formação de um povo. Mas cada dia vemo o jornalixo tomar conta das redações dos veículos. O homem pode brigar com o homem, com os partidos, com os adversários de clube. Mas não não pode brigar com a notícia. E a tendência do Serra (neste momento) é de queda. Querer manipular e inverter essa tendência é brigar com a notícia.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *