Virulência policial quebra braço de jornalista

Publicado em 25 de março de 2012

 

 

A operação tinha tudo para estar hoje recebendo elogios unânimes da população.

Tinha.

Mas o efeito das batidas policiais empreendidas em vários pontos de Marabá, na noite de sábado para domingo, objetivando flagrar bandidos e apreender armas e drogas, está ganhando proporções de críticas e objeção de quem foi vítima da violência de alguns militares da PM.

Pelo celular, o poster é informado de que a jornalista Tina Santos foi agredida supostamente por um cabo da PM de  nome V. Fernandes, quando o Tático de Marabá realizava batida numa casa noturna existente na Praça da VP-8, em frente ao Supermercado Valor.  Tina teria reclamado  da forma truculenta com que os militares procediam a abordagem das pessoas frequentadoras do ambiente, quando o cabo Fernandes segurou os dois braços da jornalista, torcendo-os para as costas da  vítima de forma violenta – fraturando um deles.

Informações dão conta de que alguns militares se encontravam totalmente fora de si, na hora em que procediam a revista de populares, usando armas pesadas e, aos gritos, agredindo indefesos brincantes.

Ação do Tático, com apoio de outros órgãos de segurança de Marabá, estendeu-se por vários pontos da cidade, simultaneamente, numa  operação de grande valia para o combate à violência. Só que o comportamento de alguns militares, sem preparo suficiente para execução do trabalho de abordagem, ofusca complemente seus resultados.

A agressão covarde a Tina Santos, uma mulher indefesa e dócil ao extremo, não pode passar em brancas nuvens.

O blog cobrará, durante a semana, a apuração desse fato.

————————–

 

Atualização às 14:55

 

Tina Santos, agredida covardemente pela PM: braço esquerdo quebrado.