Vice-prefeito de Belém Edilson Moura participa de evento na Unifesspa e fala sobre política e gestão pública

Vice-prefeito de Belém, Edilson Moura (PT) esteve em Marabá, nesta terça-feira, 30, participando do Congresso Regional de Contas Sociais da Amazônia, realizado na Universidade Federal do Sul/Sudeste do Pará.

O vice-prefeito da capital é professor e atua na política paraense com um dos principais protagonistas do Partido dos Trabalhadores.

Recentemente, ao substituir o prefeito Edmilson Rodrigues no cargo, que esteve hospitalizado para tratamento de Covid, Edilson teve atuação  muito discreta, sempre acompanhando de perto o estado de saúde do prefeito, com quem mantém amizade antiga e atuam juntos na militância  desde a década de 80.

Em uma das entrevistas que concedeu à imprensa de Belém, no auge da doença de Edmilson, Moura contou o teor da conversa através de chamada de vídeo que teve com o titular do cargo.

“O povo de Belém te elegeu porque confia no seu trabalho, na sua sensibilidade e naquilo que você representa na vida pública. Somos uma equipe e como uma equipe nos vamos manter a máquina administrativa municipal funcionando, mas aguardando o seu retorno porque o comandante é você”, disse Edilson a Edmilson.

Em entrevista ao blog, Edilson Moura falou sobre sua participação no evento e detalhou sua participação no governo compartilhado da prefeitura de Belém, atualmente governada pelo Psol e PT.

Edmilson e EDilson Moura, durante campanha para prefeitura de Belém.

 

Blog- O senhor participou nesta terça-feira 30/11, do Congresso Regional de Contas Sociais da Amazônia, no auditório da Cidade Universitária da Unifesspa, em Marabá. Qual a importância desse evento para a Academia e para a população de modo geral?

Edilson – Foi um evento muito importante porque permitiu um debate muito denso entre professores e estudantes da Unifesspa com alguns órgãos do governo do Estado, como Fapespa, SEFA e SECDET. Nos debates, conhecemos um pouco da realidade econômica da região em diversas áreas, com destaque para a indústria, pecuária, agricultura, serviços, transportes e mobilidade urbana. O interessante do debate foi a preocupação com a sustentabilidade, ou seja, é possível desenvolver a região e o Estado de modo geral, inclusive a região metropolitana de Belém , de maneira sustentável, preservando nossos rios, florestas, faunas, enfim, o meio ambiente, haja vista que a questão ambiental hoje é motivo de preocupação no mundo todo.

 

Blog- A gestão compartilhada com o PSOL na administração de Belém, onde o PT é vice, mais precisamente o senhor ocupando o cargo, ainda é olhada com certa desconfiança pela população de Belém, por causa dos inúmeros problemas acumulados nos últimos anos de gestões de dirigentes liberais. O PT governou a capital paraense por dois mandatos, de 1997 a 2004, com o próprio Edmilson Rodrigues. De lá pra cá , quais os aprendizados do partido na relação administrativa com a comunidade?

Edilson – Estamos governando com um planejamento participativo, diversos setores foram consultados através do programa “Tá Selado”, em todos os bairros da nossa cidade, nesses debates a sociedade apontou as suas prioridades, logo o nosso planejamento foi construído em grande parte por essas demandas da comunidade, a partir das suas necessidades mais urgentes.
Encontramos Belém precarizada em diversos aspectos, começando pela questão orçamentária e financeira. Hoje, trabalhamos com um orçamento que o prefeito anterior tinha em 2019. O prefeito Edmilson Rodrigues teve que planejar as ações do governo dentro dessa realidade. Para piorar, assumimos em plena pandemia, tendo que ampliar o atendimento de saúde para a população de Belém em poucos dias de gestão, aumentando o número de leitos clínicos e de UTI, contratando mais profissionais de saúde para atender as pessoas que precisavam do atendimento emergencial, realizando uma ampla campanha de vacinação, entre outras decisões importantes no combate à pandemia. Isso tudo sem receber ajuda extra do governo federal, mas graças a Deus estamos conseguindo vencer as dificuldades provocadas pela COVID. O fato do Prefeito Edmilson Rodrigues possuir experiência administrativa adquirida das duas gestões anteriores tem nos ajudado muito nesse momento de dificuldades. Ainda temos muito para realizar, mas tenho certeza que ao final dos 4 anos de mandato cumpriremos com todas as promessas de campanha e construiremos uma Belém melhor para homens e mulheres que habitam a nossa cidade.

Blog- O senhor pode citar, em linhas gerais, algumas das principais ações que a Prefeitura de Belém está desenvolvendo na retomada da normalidade pós-pandemia, combate à Covid-19?

Edilson – Criamos o “Bora Belém”, um programa de auxílio que prevê pagamento de um benefício de até R$ 450 para ajudar famílias que estão em situação de vulnerabilidade social por causa da pandemia de coronavírus. Os beneficiários são registrados pela Fundação Papa João 23 (Funpapa), vinculada à Prefeitura de Belém, que identifica famílias da capital que têm direito à renda cidadã.
Também fizemos todo um planejamento para que os trabalhadores da educação e os estudantes ficassem em casa, em uma nova rotina, para evitar a circulação do vírus. Retornamos às aulas presenciais somente após a vacinação completa, com as duas doses, dos cerca de 6.500 trabalhadores da educação de Belém, de forma gradual e escalonada, de modo seguro e responsável, nos dias 13, 20 e 27 de setembro. Além disso, implantamos o aplicativo “Guardião e Guardiãs”, da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), que fará o monitoramento de casos suspeitos de Covid-19 nas escolas. O programa garantirá não apenas a identificação e o tratamento de possíveis casos de covid-19, mas também de gripes, sarampo e outras doenças com potencial epidemiológico ou que representem risco ao desenvolvimento infantil e à saúde dos alunos. Com esta iniciativa, Semec e Sesma trabalharão de forma integrada garantindo a saúde e a educação integral das crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos da rede municipal de ensino de Belém.

 

Blog- Um dos grandes problemas, se não dizer o maior, enfrentado pelas famílias da capital, está na área de Saúde. Qual sua expectativa para o enfretamento dessa demanda nos próximos três anos, quando encerra-se esse mandato do Psol com o PT?

Edilson – A minha expectativa é muito otimista apesar das dificuldades orçamentárias e financeiras como mencionei em respostas anteriores, vamos melhorar o programa saúde da família, o atendimento materno infantil, assim como a qualidade de atendimento nas UPAs e UBS. Temos muito trabalho para realizar, mas conseguiremos melhorar o atendimento ao povo de Belém.

Blog- Com cerca de 80% de sua população vacinada com duas doses, Belém caminha para sair da pandemia. A cidade já aplicou em sua população cerca de 2,3 milhões de doses de vacina. De janeiro a outubro deste ano, as notificações de Covid-19 foram reduzidas em 97% e o número de óbitos, 99%. É possível haver carnaval em 2022, mesmo diante do surgimento dessa nova cepa chamada Ômicron?

Edilson – Respeitamos as pessoas que investem na promoção de eventos e festas populares, como o Ano Novo e o Carnaval, e geram emprego e renda neste período. Porém, sabemos que o momento exige cautela. Por isso, decidimos pela suspensão dos eventos para não permitir um retrocesso no combate à covid-19, diante da ameaça de proliferação de uma nova cepa, mesmo com o alto índice de vacinação da nossa gente. Enquanto ainda não é seguro colocar o bloco na rua, seguimos com o avanço do calendário de imunização e com os cuidados preventivos, como o uso de máscaras e o distanciamento físico, para manter os indicadores da pandemia sob controle.

 

Blog- Quando o senhor assumiu o Executivo enquanto o prefeito Edmilson Rodrigues (Psol) se recuperava sua saúde, se tratando de Covid, houve bastante elogios à sua postura de serenidade e de respeito ao estado crítico da saúde do prefeito. Em linhas gerais, o senhor não permitiu o surgimento de nenhuma marola que criasse uma ruptura entre a gestão compartilhada. Houve pressões das bases que trabalharam pela eleição de Edmilson para que o vice-prefeito tomasse decisões que fossem de encontro Pas diretrizes programáticas do titular?

Edilson – Nunca houve pressão neste sentido, todos nós sabemos que o prefeito eleito é o Edmilson Rodrigues, fazemos parte de um projeto coletivo, democrático e popular que ele lidera. Nos dias em que o substitui, apenas segui um planejamento coordenado pelo próprio Edmilson, minha postura sempre será essa, em respeito ao Edmilson e principalmente a população de Belém, que nos elegeu para buscarmos melhoria de qualidade de vida para todos, isto só será possível com lealdade, serenidade, companheirismo e respeito entre todos nós.

 

Blog – Como está o espírito do PT em relação às composições políticas visando a eleição ao governo do Estado. O partido continuará na base de apoio a Helder Barbalho, trabalhando pela sua reeleição?

Edilson-  Os debates ainda estão sendo travados no interior do partido, não houve uma decisão formal das lideranças partidárias e das bases que militam no partido. Se você perguntar a minha percepção desses debates internos, eu digo que percebo uma posição majoritária pela composição com o governador ainda no primeiro turno, mas isso é uma percepção, não existe uma decisão tomada, isto deve ocorrer agora em dezembro.