Hiroshi Bogéa On line

Vereador Ilker repercute “esquema criminoso” de plantões médicos no Hospital Municipal

Durante intervenção na sessão virtual da Câmara Municipal de Marabá desta terça-feira, 7, o vereador Ilker Moraes repercutiu denuncia feita ao Ministério Pública por uma pessoa identificada como Jessyca Souza envolvendo “esquema criminoso” na escala dos plantões médicos do Hospital Municipal de Marabá e Hospital de Campanha que atende  doentes do coronavírus.

Na denúncia protocolada e ratificada em plenário pelo parlamentar do MDB, cinco médicos são citados como beneficiários do desvio de recursos públicos.

Ilker Moraes diz que vai estender a denúncia de Jessyca Souza à Polícia Federal “já que existem recursos do governo federal encaminhados ao atendimento de vítimas da Covid 19”.

Os médicos citados na denúncia são Edinaldo Pereira Araújo, Cláudia Caroline, Deyvison Moura, Juan Raisnner Meira e Airton Fonteles, todos acusados de receberem plantões de forma duplicada.

Durante seu pronunciamento, Ilker lembrou que o Hospital Municipal já foi alvo de outras denúncias durante a gestão do prefeito Tião Miranda, inclusive com abertura de investigação – cujos resultados da apuração nunca chegaram ao conhecimento público – segundo o vereador.

Em sua intervenção, Ilker denunciou o diretor clínico  do HMM, Edinado Pereira Araújo, por ocupar o cargo irregularmente.

 

– “Esta não é  a primeira denúncia contra  a direção do Hospital Municipal de Marabá, existem várias,  e o camarada (diretor clinico) continua lá dentro ajudando a elaborar, inclusive,  as escalas dos plantões. Isso é inadmissível! Esse camarada precisa ser afastado da função. Primeiro, porque ele passou no concurso público para a zona rural, e ele não pode em estágio probatório  estar sendo beneficiado da forma que está. Não sei de quem ele (o diretor) é amigo deste governo, se é do prefeito; se é do secretário (de Saúde; se é do ex-secretário”, disse Ilker, ao comentar a ocupação irregular do cargo pelo diretor Clínico do Hospital Municipal de Marabá.

 

Ilker lamentou ainda a falta de transparência do governo municipal em relação ao resultado de uma auditoria feita na Secretaria de Saúde, para investigações irregularidades dentro do Hospital Municipal.

 

– “Esta casa nunca recebeu o relatório do governo municipal daquela auditoria que foi realizada. Ou seja, os problemas que o governo municipal tem, eles são escondidos. E isso é ruim para todos nós: não só o Parlamento, mas para toda a sociedade, porque o que é público, é público. O nome já diz. O parlamento precisa saber; a sociedade precisa saber. Inclusive coma apuração e o resultado da apuração, coisa que não temos – infelizmente”, denunciou Ilker.

Na denúncia encaminhada ao Ministério Púlico assinada por Jessyca Souza, o médico Edinado Pereira Araújo é acusado da prática de corrupção.

“Importante lembrar que o Dr. Edinaldo já é acusado de corrupção esde que se formou. pois sempre exerceu múltiplos vínculos em vários estados e municípios diferentes sem cumprir o serviço. Desde que assumiu a direção clínica do Hospital Municipal de Marabá, nunca cumpriu a sua carga horária como diretor, que deveria ser em período integral e ficar disponível para a administração, pois é um cargo de confiança. O mesmo chega a ficar meses sem aparecer no Hospital Municipal mas normalmente tira plantações extras no periodo que deveria cumprir a sua carga horária no HMM e nas dependências do SAMU”, diz trecho da denúncia.

Para ler a denúncia completa         CLIQUE     A  Q  U  I.

 

Abaixo, um dos trechos do pronunciamento do vereador Ilker Moraes na sessão remota da CMM.

Post de 

1 Comentário

  1. OBSERVADOR

    10 de julho de 2020 - 10:46 - 10:46
    Reply

    É a segunda denúncia em relação a esse suposto esquema e q provavelmente n vai dar em nada assim como o outro,muuuito estranho isso!
    Na minha opinião o gestor teria q tomar providências enérgicas afastando toda direção Administrativa,técnica e clínica e todos do RH.p q seja feita uma investigação sem proteção etc…!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *