Hiroshi Bogéa On line

A verdade sobre a luta por recursos para a Orla de Marabá

Marabá parece que não tem jeito. Enquanto em Paragominas a classe política e empresarial se uniu e transformou uma cidade que tinha uma péssima imagem duas décadas atrás em um bom exemplo de avanços conquistados, aqui a classe política insiste em se dividir e brigar por mesquinharias.

O último episódio envolve a paternidade da luta para se obter recursos para a ampliação do cais de arrimo na Marabá Pioneira em direção ao final do bairro Francisco Coelho.

O deputado federal Beto Salame (PP) anunciou nas redes sociais que conseguiu junto ao ministro Hélder Barbalho, da Integração Nacional, o compromisso de aplicação de R$ 60 milhões de reais para a tão sonhada obra.

A maioria das pessoas de bom senso comemorou, é claro. Mas logo surgiram vozes para colocar em dúvida se realmente a iniciativa partiu do deputado Beto Salame ou do prefeito Tião Miranda.

O blog tratou de apurar essa notícia.

Todos sabem do bom relacionamento que o ex-prefeito João Salame e seu irmão deputado possuem com o ministro Hélder Barbalho.

E segundo todas as fontes consultadas pelo blog foi justamente esse relacionamento, mais a presença do ex-secretário de Obras de Marabá Antonio de Pádua na secretaria de Infraestrutura Hidríca do Ministério da Integração que criou as condições para que esse projeto começasse a sair do terreno dos sonhos para se tornar uma possibilidade.

Pádua e Beto Salame, à época secretários de Obras e Planejamento, receberam do prefeito João Salame a incumbência de preparar um projeto de ampliação do cais de arrimo. Mas na época não conseguiram interlocução no Ministério da Integração.

Esse ano surgiu a possibilidade do Ministério da Integração investir uma boa quantidade de recursos em obras de proteção contra cheias e de defesa civil em Belém e Santarém.

Ao saber disso, o deputado Beto Salame, no dia 15 de fevereiro, em audiência com o ministro Hélder Barbalho, fez a solicitação de recursos da ordem de R$ 60 milhões para a referida obra. Isso pode ser confirmado pelo ofício endereçado pelo deputado ao ministro e a foto do próprio Hélder exibindo o documento em reunião com o deputado e o ex-prefeito de Marabá. (Imagens abaixo da primeira reunião e o ofício)

 

Diante da concordância do ministro, o secretário Antonio de Pádua foi acionado, pois a verba faz parte da pasta que ele ocupa. Na primeira semana de março ocorreu uma nova reunião para tratar do assunto.

Dessa vez reunindo Pádua, o deputado Beto Salame, o ex-prefeito João Salame, Antonio Luitgards Moura, diretor do Departamento de Projetos Estratégicos do Ministério e Dina Elarrat de Araújo Gama, coordenadora Geral de Engenharia e Estudos (foto abaixo da segunda reunião).

 

Até este momento a prefeitura de Marabá não havia participado de nenhuma atividade envolvendo o assunto, apesar do deputado Beto Salame, na primeira reunião com Hélder Barbalho, ter solicitado que a obra fosse feita através de convênio com a prefeitura e que o prefeito Tião Miranda fosse comunicado da iniciativa, o que teve a concordância do ministro.

Nesta segunda reunião foi informado que o Ministério que não vinha conseguindo contato com a prefeitura para participar de reunião técnica que tratasse do assunto. E foi sugerido que o próprio Ministério licitasse e tocasse as obras devido a urgência do ministro em anunciar a decisão junto com Santarém e Belém.

Coube ao deputado e ao ex-prefeito o pedido de que o secretário Antonio Pádua reforçasse o convite para que a prefeitura de Marabá participasse do processo e com ela fosse assinado o convênio.

A terceira reunião finalmente ocorreu nesta última quarta-feira (22), um mês e uma semana depois da audiência do deputado Beto Salame com o ministro Hélder quando se iniciou esse processo. Agora, já com a presença do secretário de Obras da Prefeitura, Fábio Cardoso. Além do secretário Pádua, do deputado Beto Salame e do ex-prefeito João Salame. (foto abaixo)

Na abertura da reunião, Antonio de Pádua fez questão de registrar que aquele recurso era uma solicitação do deputado Beto Salame e que a obra seria feita em parceria com a prefeitura, sem nenhum centavo de contrapartida. E que essa parceria contava com a aprovação do ministro Hélder Barbalho.

O impressionante é a capacidade de certas lideranças políticas de Marabá em procurar chifre em cabeça de cavalo.

Todos sabem das diferenças políticas que os irmãos Salame possuem com o prefeito Tião Miranda.

São os dois maiores grupos políticos do município, com dezenas de vereadores, lideranças comunitárias e sindicais, empresários e profissionais liberais que se reúnem em torno desses dois grupos.

Ora, se um grupo que saiu da prefeitura estende a mão a outro que está na prefeitura, mesmo sendo adversário, temos que aplaudir e não incentivar a divisão.

Quem perde com isso é o município.

Ao invés de atacar a iniciativa positiva de um deputado, as demais lideranças deveriam também apresentar outra iniciativa positiva. E elogiar o que está sendo feito em prol do município.  Com certeza perderíamos muito menos tempo com brigas desnecessárias e gastaríamos mais energia em tornar Marabá um município mais desenvolvido.

Post de 

9 Comentários

  1. João Dias

    27 de março de 2017 - 13:48 - 13:48
    Reply

    BABÁ: GUERREIRO, DE LUTA, QUASE ÚNICO NA VIDA POLÍTICA BRASILEIRA.

    João Batista (BABÁ) Oliveira de Araújo, tem um currículo invejável, seja do ponto de vista acadêmico, ou moral, em conformidade com os Princípios que regem a Administração Pública. É docente da UFRJ, com mestrado em Planejamento Urbano pelo IPUR/UFRJ. Como parlamentar, sempre esteve e está ao lado dos trabalhadores e do povo.

    “Fez sua carreira política em Belém, onde foi eleito vereador, deputado estadual e federal. Nascido na pequena cidade de Faro, no Pará, ele, os pais e os 16 irmãos moraram ainda em Parintins, no Amazonas, por dois anos. Aos 13 anos, Babá e a família foram de barco para Belém. O apelido foi dado na infância pelos irmãos.”

    Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/eleicoes-2008/baba-candidato-vereador-pelo-psol-5001788#ixzz4cXrtG6ve.

    Possui o mesmo patrimônio desde que começou na política.
    Hoje mora na Tijuca, militante ativo do PSOL. Em duas eleições foi eleito como 1º suplente de vereador, vindo a exercer o mandato por dois anos, na vaga do titular, eleito para Deputado Estadual. Seu mandato é uma trincheira em prol das lutas dos trabalhadores, do povo pobre e da juventude. Somos conterrâneos e vizinhos, de quem sempre fui e continuo sendo admirador pelos valores e compromisso com o social.

    Para os que desconhecem, vive com salário de professor universitário. Ao concluir seu mandato de deputado, renunciou à aposentadoria especial e se aposentará como todo trabalhador brasileiro.

    BABÁ: GUERREIRO, QUASE ÚNICO NA VIDA POLÍTICA BRASILEIRA.

    Sds. democráticas!

  2. Otávio Barbosa de Sousa

    27 de março de 2017 - 10:26 - 10:26
    Reply

    Foi bom lembrar o ex. deputado babá. como também o projeto inicial de habitação na final da rua barão do rio branco no cabelo seco. Esse projeto é de suma importância para Marabá. porem, gostaria de lembrar que parte dessa área é uma ZEIA e, se está em consonância com o plano diretor do município.

    .

  3. Fabiano laion

    25 de março de 2017 - 14:02 - 14:02
    Reply

    Babá de luta! Boa Júlio César ter lembrado

  4. M@raba

    25 de março de 2017 - 13:29 - 13:29
    Reply

    Toda a cidade já sabe que esse deputado aí não se elege mais vai sair pelos fundos da câmara em Brasília agora que tá se aproximando a eleição de 2018 ele vem aparecer , muitos vao lembrar dele na próxima eleição pode esperar , veja o caso do João que conseguiu ser pior do que o Maurino , hiroshi perder tempo explicando essa besteira aí , vc vai só queimar o blog. Não vai ser preciso muit esforço não a queda dos salames na política tá chegando pode esperar , o povo cansou de promessa mirabolante cansou de vendedores de ilusão

  5. Gilson

    25 de março de 2017 - 09:44 - 9:44
    Reply

    O senhor 500 km não tem mais horizonte. Está parece árvore cortada. Esta secando…….

  6. Carla Saraiva

    24 de março de 2017 - 22:57 - 22:57
    Reply

    Parabéns pela matéria Hiroshy. Essa classe política de Marabá precisa se unir. Chega de brigas. Aplausos pra iniciativa do deputado.

  7. EDIVALDO VIANA

    24 de março de 2017 - 22:32 - 22:32
    Reply

    Caro amigo JÚLIO CESAR. o cabeludo de bigode que é radical radicao tem um nome muito forte.se não me foge a memória é JOÃO BATISTA BABÁ. Ex deputado federal pelo psol e depois Vereador no Estado do Rio de Janeiro.

  8. Marcelo

    24 de março de 2017 - 18:47 - 18:47
    Reply

    Boa noite ! Não consegui detectar na reportagem onde ocorreu o entrave ??? Explícita ai Hiroshi !

  9. Júlio cezar

    24 de março de 2017 - 16:07 - 16:07
    Reply

    Excelente matéria e esclarecedora de como funciona um tortuoso caminho e seus rituais para se conseguir qualquer centavo a um município ou estado por parte de um parlamentar. Lembrei daquele cabeludo de bigode que inclusive muita falta faz no parlamento brasileiro nesses tempos de perdas de direitos constitucionais e civis. Esse tal cabeludo participou com emendas que possibilitou entre outros recursos para a região, na ampliação de uma das etapas da chamada orla Sebastião Miranda. … mas apenas o chamamos de radical…. radical…. radical.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *