Valei-nos, Nossa Senhora de Nazaré!

Publicado em 26 de setembro de 2007

A Justiça de Marabá parece quer porque quer o povo do município consumindo carne fornecida por matadouros clandestinos. Razão outra não pode ser a decisão da juíza Maria Aldecy de Souza Pissolati, titular da 3ª Vara Cível da Comarca de Marabá, ao conceder liminar determinando a abertura dos estabelecimentos suspeitos que se encontravam interditados pela Divisão de Vigilância Sanitária. Salvo pequeno engano, essa deve ser a terceira vez que o Juízo favorece comerciantes que não cuidam de suas instalações conforme preceitua regras básicas de saúde pública.
Os advogados dos donos de matadouros fechados também saíram a campo para denunciar os agentes sanitários de “abuso de autoridade” pelo fato do município ter apreendido 600 quilos de carne sem comprovação de origem.
Estupefato, o promotor José Edvaldo Sales a tudo assiste, considerando-se “perplexo” com a decisão da juíza.