Vale garante a vereadores de Marabá que construirá Ferrovia Paraense até Barcarena

Publicado em 14 de agosto de 2021

Reunião realizada na metade da tarde desta quarta-feira, em Brasília, entre o Vice-Presidente Executivo da Vale S.A.; Luiz Ricardo de Medeiros  e a Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara Municipal, presidida pelo vereador Miguelito Gomes,  rendeu boas notícias.

Pelo menos da parte da mineradora.

Luiz Ricardo garantiu aos integrantes da comissão que a Vale vai implantar a Ferrovia Pará (Fepasa), entre os municípios de Marabá e Barcarena,  malha ferroviária  que, se realmente construída, irá interligar o porto de Vila do Conde, em Barcarena, no nordeste do Estado, a municípios do sudeste paraense, como Marabá e Parauapebas, e de lá até Açailândia, no Maranhão, com a Ferrovia Norte-Sul.

Miguelito Gomes disse que a mineradora assumiu também compromissos de integrar o Fórum Permanente proposta pela comitiva destinado a discutir ações e projetos mitigadores do desenvolvimento  regional.

Outro tema abordado na reunião foi a de que a Vale estará atuando junto à Sinobrás como agente indutor para que  a siderúrgica produtora de aço aumente sua capacidade de produção, na planta industrial que mantém no Distrito Industrial de Marabá, objetivando gerar mais empregos e, consequentemente, renda.

Os detalhes de como a Vale atuará na construção da Fepasa ficaram a ser apresentados em futuros encontros.

Além de Miguelito Gomes – presidente da Comissão de Desenvolvimento Socioeconômica, -, participaram do encontro com a Vale, a  vereadora Vanda Américo, agora afastada do cargo  exercendo a presidência da Fundação Casa da Cultura; vereadores Alécio da Palmiteira, Aerton Grande, Coronel Araújo,  e Pedro Correa, presidente da Câmara Municipal; presidente da Associação Comercial de Marabá e o secretário de Indústria e Comércio de Marabá.

———————-

Atualização (14/08)  às 14h25:

O blog trocou mensagens com o setor de comunicação da Vale, a respeito do traçado da ferrovia.

Resposta da mineradora:   “o traçado ainda está em estudo”.