Hiroshi Bogéa On line

Vale desmente presidente da Câmara de Marabá

 

 

Em nota enviada ao blog, a Vale desmente categoricamemte declarações do presidente da Câmara Municipal de Marabá, publicadas hoje no Correio do Tocantins, segudo as quais a mineradora “parou as obras da Alpa e não vai mais investir no projeto”.

A nota da Vale, em sua íntegra:

 

 

A Vale informa que não está paralisando as obras de implantação da Aços Laminados do Pará – Alpa. Os trabalhos de terraplanagem foram temporariamente suspensos em função do não acesso ao lote 11, uma das áreas onde será instalado o projeto.

Vale ressaltar que 80% da terraplenagem já foram concluídos, restando somente aquela área.

As demais atividades de implantação, tais como drenagens, acabamento dos platôs e engenharia, continuam em sue ritmonormal.

Em relação aos alojamentos, as obras serão iniciadas de acordo com o cronograma estabelecido. Quando o acesso ao lote 11 for autorizado, os trabalhos de terraplanagem serão reprogramados.

 

 

Em relação as declarações do vereador  Nagib Mutran Neto, presidente da Câmara Municipal, o mesmo sustenta a veracidade da informação baseada no que ele “ouviu de um amigo meu que conversou  longamente com um alto executivo da Vale, que revelou que o novo presidente da mineradora, Murilo Ferreira, não é favorável à Alpa, mas sim à implantação da siderúrgica do Pecém, no Ceará”.

Em contato com executivo da Vale, agora pela manhã, o poster pode medir a  indignação da direção da mineradora diante da declaração de Nagib. “Um político não pode ir à imprensa, usando uma suposta conversa com  funcionário da Vale, sem citar o nome da fonte, para alardear inverdades. A Vale já deixou por diversas vezes, inclusive nosso novo presidente, a posição definitiva de que o projeto Alpa é prioridade. Tanto é que estamos trabalhando na área, cumprindo todas as etapas do  cronograma”, disse.

Post de 

15 Comentários

  1. Anonimo

    20 de setembro de 2011 - 00:22 - 0:22
    Reply

    Deveriamos acreditar na juventude como forma de mudança e tirar esses antigos vereadores e deputados que ganham e nao assumem devido segundos interesses.Maraba tem vereadores com mais de 10 anos na câmara.INOVAÇÃO seria a melhor forma de criarmos uma Marabá melhor fazendo com que esses politicos consolidados se tornem uma lenda vida com atestado de incompetência.

  2. Anônimo

    19 de setembro de 2011 - 16:10 - 16:10
    Reply

    Em respeito às pessoas que votaram nele, o Nagib não deveria se expor ao ridiculo dessa forma.

  3. Luis Sergio Anders Cavalcante

    19 de setembro de 2011 - 16:07 - 16:07
    Reply

    Que se desaproprie oficialmente a área e deposite o dinheiro em juízo. A briga, caso tenha que ocorrer, aí então, será na Justiça. Acho que o impedimento desse tal Lote 11, seja de quem fôr, em relação à magnitude do Projeto, é uma nesga de terra,e que, se está gerando problema para a continuidade dos trabalhos, que o município ou estado, faça valer seus direitos, em nome de um bem comum maior. Em 19.09.11, Marabá-PA.

  4. Anônimo

    19 de setembro de 2011 - 11:10 - 11:10
    Reply

    O que me parece , nessa questão do lote 11, é que o proprietário não está nenhum pouco preocupado com o desenvolvimento da região onde ele vive.
    Preocupado ele está é em fazer a área dele valer um prêmio de mega sena. O resto é que se lixe. A especulção imobiliária em Marabá está tornando inviável a implantação de gandes empreendimentos.
    E eu pergunto: De quem será a culpa?
    Por favor, respondam-me?

  5. Heldenir Almeida

    19 de setembro de 2011 - 09:17 - 9:17
    Reply

    Bom Dia!

    Bom saber desta nota da Vale, desmentindo a paralisação da implantação da ALPA. Mas como marabaense nata, convivendo com tantas perdas de investimento em nossa cidade, seja por qual motivo for; devo dizer que nunca é demais estarmos atentos, fiscalizar e nos pocisionarmos quanto a perda de projetos prometidos á nossa cidade e a não efetivação destes.

  6. Gilberto Leite

    18 de setembro de 2011 - 10:34 - 10:34
    Reply

    Prezado Amigo Hiroshi, parabens pela nota da Vale. E, respondendo ao amigo Djalma Guerra, comentamos o seguinte: suas colocações estão um pouco atrasadas. Este pré-compromisso com o Governador Simão Jatene foi idealizado ainda em 2004/2005. Naquela oportunidade, já tinhamos a intençao da VALE com parceira com uma empresa americana em contruir uma Planta de Ferro gusa em Marabá, devido à proximidade com seu reflorestamento em São Pedro da Agua Branca-MA, que girava em torno de 33.000 hectares disponiveis de matéria-prima para a produção de Carvão Vegetal.

    Quanto a ideia de incentivar a produção em forma de Reflorestamento no Trecho Marabá-Tailandia, sabe por que não deu certo em nossa Regiao? A Vale procurou a região de Paragominas, através do Vale Florestar, e fincou sua base por lá. Hoje, os reflorestamentos estão concentrados entre Rondon do Pará até Paragominas, incluindo aí empresas de Marabá, como a SIDEPAR que tem por lá hoje em torno de 10.000 hecatres de reflorestamento. E, você sabe por que foi direciondo para Paragominas e não Tailandia, meu amigo? Politicas de Governo;

    E, para finalizar, as 20.000 casas não seriam para Marabá, e sim para todo o Estado, que seriam construidas pelo Exercito e com Financiamento da CAIXA e a infraestrutura sob responsabilidade do Governo do Estado. A VALE, em documento assinado, assumiu o compromisso de intermediar a busca de recursos para tal empreitada, e, após tudo isto, nunca foi mencionado pelo Governo do Estado qualquer quebra de compromisso.

    Sem alongar muito, adianto ainda que se você precisar de uma cópia desses documentos da época, te forneço, com prazer. Um bom domingo.

  7. Eleutério Gomes

    18 de setembro de 2011 - 10:18 - 10:18
    Reply

    Vendo a questão pela ótica do Paulo Pereira, o Nagibinho fez certo sim, em falar; e o PP está coberto de razão.

  8. karla Maues

    18 de setembro de 2011 - 10:14 - 10:14
    Reply

    Esse minério todo a ser explorado, faz qualquer um vender a alma pro capeta facinho, facinho e engolir todos os sapos necessários.
    Então ai acontecem os projetos, os sonhos, as promessas, as mentiras, as traiçoes enfim tudo se justifica em nome do enriquecimento.!
    A Vale ja lucrou muuito mais do que devia e vai lucrar mais ainda se não nos tornarmos fortes o suficiente pra exigir nossos direitos. Com a divisão, so teremos a perder. Com a união podemos ate parar os projetos…os canadenses e chineses agradecerão. Enfim por enquanto temos que dar a ele todo o credito possivel porque a Vale tem feito maravilhas em varios municipios com escola, agua potavel, casas, oportunidades de trabalho para jovens recem saidos de escolas tecnicas e faculdades.
    Mas pode fazer mais..dinheiro nao falta. O que falta é estratégia de cobrança.
    Devem 20 mil casas pra Marabá? Onde tem isso escrito? Em quanto tempo ficaram de construir? Quem são os responsáveis pela cobrança da concretização dessa obra?
    Enquanto, quem de direito, nao usa suas prerrogativas legais para cobrar aquilo que foi prometido e NÃO foi cumprido, então temos mais é que dar graças e Deus por ter a Vale conosco. E que venham os projetos. A Professora Evilangela ja começou a se relacionar com o projeto,
    E tu?……. Estais fazendo o que além da reclamar?

  9. DJALMA GUERRA

    17 de setembro de 2011 - 22:14 - 22:14
    Reply

    Lembro que a CVRD prometeu os seguintes projetos para Maraba compensar a perda da siderurgica do Salobo que tanto agitou a comunidade e os politicos naquela epoca que chegaram a interditar a linha do trem:
    – Implantacao de uma guseira em Maraba (cumpriu e hoje esta desativando)
    – Reflorestamento de 200 mil hectares em Maraba (nao cumpriu)
    – Contrucao de 20 mil casas populares em Maraba (nao cumpriu)
    O vereador Nagib esta certo em desconfiar desta empresa,pois a mesma esta sofrendo pressoes da Gerdau para que este projeto nao va adiante .
    A comunidade Marabaense deve ficar atenta pois a Vale conta com o esquecimento do povo para atingir seus objetivos.

  10. Marabaense

    17 de setembro de 2011 - 20:08 - 20:08
    Reply

    O Nagib perdeu a noção do censo crítico, a melhor ajuda que ele pode dar é ficando calado…… a população sensibilizada agradece

  11. NAGIBINHO

    17 de setembro de 2011 - 17:15 - 17:15
    Reply

    Também pudera, com uma assessoria daquela que ele dispõe na Câmara, só pode dar mesmo essa barrigada (no jornalismo, barrigada é a mesma coisa como cagar e sentar em cima). Só resta ao presidente do Poder Legislativo dar o nome aos guzerás, ou tomar todo remédio possível pra sair da longa deprê que ele vai entrar de novo.

  12. Paulo Pereira

    17 de setembro de 2011 - 16:33 - 16:33
    Reply

    Caro Hiroshi.

    Muito oportuna a intervenção do Vereador Nagib Mutran Neto, forçando a Vale a vir de público manifestar-se, confirmando a execução da ALPA, pois todos nos já nos preocupavamos com a desaceleração do projeto.Após cometerem a imprudencia de anunciarem uma Marabá de 500.000 habitantes e a geração de 25.000 empregos, expondo-nos a uma bolha imobiliária que se anuncia e carreando levas de mão de obra não especializada que estão a inchar a periferia de Marabá e aumentaram a criminalidade, só restava mesmo à Vale proclamar que o projeto será sequenciado, dentro da realidade e não da euforia de antanho.Marabá vive uma irrealidade no mercado de imóveis, com preços em patamar astronômico, mercê da afluencia de investidores de fora que foram influenciados pelo falso quadro econômico que as precipitadas declarações criaram.Agora, graças a DEUS tudo começa a voltar ao normal e já vemos o recuo na construção de um dos shoppings e as dezenas de condominios, uns estão abandonados e outros amargando dificuldades para realizarem suas vendas.O progresso virá, porém em ritmo normal e isso é muito bom.

  13. Marabaense nato

    17 de setembro de 2011 - 16:21 - 16:21
    Reply

    O Nagib é o patrono da vanguarda do atraso, já tinha até se recolhido, agora ressucita e vem com essa, qualé?

  14. Luis Sergio Anders Cavalcante

    17 de setembro de 2011 - 15:11 - 15:11
    Reply

    Tem gente querendo atrair os holofotes da mídia para sí. Em 17.09.11, Marabá-PA.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *