Vai ou não dar o aumento aos servidores, prefeito?

Quem conhece o prefeito Tião Mirada sabe que ele tem ojeriza em negociar aumento de salário com servidores.

O perfil inconciliável dele é conhecido.

Na gestão, diz o prefeito, vale sobrar dinheiro para obras.

Pagar funcionalismo, apenas o necessário.

E mais uma vez essa postura histórica de Miranda está sendo colocada à prova.

Insensível aos apelos para que a prefeitura de Marabá atenda ao pleito de conceder reajuste dos salários dos professores em 33,24%, o chamado piso atualizado, Tião terá na próxima segunda-feira, 23, bate-panelas na portaria da Secretaria de Obras, local onde ele despacha diariamente.

Sindicatos diversos ( Sintepp, Servimmar e Sintesp -, anunciaram paralisação naquele dia com manifestações à porta do poder público.

Além da concessão do piso salarial dos educadores, servidores exigem também que a prefeitura pague jornada de 30h para os ASG e Agentes de Portaria, vale alimentação, reajuste dos plantões dos Hospitais Municipal e Materno Infantil.

Uma pauta que, para o prefeito, não cheira e nem fede.