UsiPaz Parauapebas movimenta a rotina dos moradores

Faltando pouco para completar um mês de funcionamento, o complexo multifuncional do governo do Estado, chamado Usina da Paz, segue ofertando diversos cursos e atendimentos aos moradores do Jardim Tropical e bairros vizinhos, de Parauapebas, na região sudeste do Estado.

O fluxo nas dependências do complexo é intenso. Para o gerente geral da UsiPaz Parauapebas, Cláudio Cruz, o equipamento público já contabilizou mais de 2 mil atendimentos.

“O movimento está sendo bem grande, além dos quase 2 mil atendimentos, temos as matrículas de algumas atividades que vamos iniciar já na próxima terça-feira. Nós temos uma perspectiva inclusiva, estamos trabalhando com autistas e outras deficiências, temos um time de cegos, de surdos e o futsal feminino, além da arte marcial que já iniciou, estamos caminhando e já transformando muitas pessoas”, contou Cláudio.

Ele conta que um dos pontos de bastante visitação são os espaços da biblioteca e a brinquedoteca.

“As visitas na biblioteca estão fazendo muito sucesso; elas são programadas pelas escolas, as escolas acertam conosco e os bibliotecários fazem uma programação para ter um aspecto mais funcional e pedagógico. Está sendo maravilhoso, os moradores chamam aqui de grande centro comunitário”, enfatizou.

É o caso da diretora da Escola Futuro Ideal, Ana Paula Pereira, que aproveitou a tarde para levar uma turma de 30 crianças para visitar a UsiPaz.

“Eu achei maravilhoso porque abrange todas as áreas e a gente foi convidado para vir aqui conhecer, eu ainda não conhecia, eu achei um lugar lindo. Eu creio que vai trazer muitos benefícios, para toda Paraupebas. Nossos alunos estão animados, principalmente pela biblioteca. É o que a gente ensina para eles, a importância da leitura, então é gratificante, serve como complemento”, frisou a diretora.

Parceria – A UsiPaz Parauapebas está sendo avaliada para ofertar serviços de reabilitação da prefeitura e recebeu também uma visita de uma equipe de profissionais que busca realizar atendimentos grupais e conseguir ofertar modalidades de terapia em espaços individualizados.

“Estamos verificando a possibilidade de terapias grupais e terapias que fogem do convencional, além de ofertar cuidados aos pais, através da oficina de corte costura, o que foge um pouquinho das terapias convencionais de consultórios e agregam também a família no contexto de habilitação, no contexto terapêutico. E a Usina da Paz encantou porque os espaços são muito bons, a gente viu várias possibilidades aqui de grupos e profissionais diferentes. E tudo que é diverso enriquece. Então a gente vislumbra uma parceria muito boa, entre os serviços do governo do Estado e o município, com foco na reabilitação”, explicou a coordenadora do Centro Especializado em Reabilitação (CER II) da prefeitura de Parauapebas, Mayara Monteiro