Uma hidrovia cada vez mais distante

Publicado em 24 de outubro de 2011

 

 

Se o 22º Encontro sobre o Corredor Centro Norte, realizado em  Marabá, semana passada, foi idealizado para dirimir dúvidas quanto ao futuro da hidrovia do Tocantins, o evento coseguiu seu objetivo.

Para a classe empresarial de Marabá, não há mais dúvidas de que a derrocagem do rio  não é prioridade no governo Dilma Roussef.

Todo o esforço feito pelo presidente Lula para a conclusão das eclusas de Tucurí, pelo menos a curto e médio prazos, ficará represado no encosto da barragem já que o elevador hidráulico edificado na hidrelétrica  terá pouca utilidade, sem a viabilização da hidrovia.

Essa é a certeza que ficou, depois dos debates.