Hiroshi Bogéa On line

Uma hidrovia cada vez mais distante

 

 

Se o 22º Encontro sobre o Corredor Centro Norte, realizado em  Marabá, semana passada, foi idealizado para dirimir dúvidas quanto ao futuro da hidrovia do Tocantins, o evento coseguiu seu objetivo.

Para a classe empresarial de Marabá, não há mais dúvidas de que a derrocagem do rio  não é prioridade no governo Dilma Roussef.

Todo o esforço feito pelo presidente Lula para a conclusão das eclusas de Tucurí, pelo menos a curto e médio prazos, ficará represado no encosto da barragem já que o elevador hidráulico edificado na hidrelétrica  terá pouca utilidade, sem a viabilização da hidrovia.

Essa é a certeza que ficou, depois dos debates.

Post de 

4 Comentários

  1. Luis Sergio Anders Cavalcante

    24 de outubro de 2011 - 19:47 - 19:47
    Reply

    É isso aí Maria, às 12:58 hs., estive em Tucuruí ano passado para assistir jogo do Águia e percebí claramente, existem duas cidades (Tucuruí). A antiga na parte baixa onde mora o povão à beira do Tocantins, e a cidade nova na parte alta, dotada de ruas largas, asfaltadas, sinalizadas onde moram os mais abastados. É muito esquisita para não dizer outra coisa, sobre essa situação. Em 24.10.11, Marabá-PA.

  2. anonimo

    24 de outubro de 2011 - 16:51 - 16:51
    Reply

    O governo federal pressionado pelo Sr, Gerdau para que a Alpa nao seja concluida resolveu não atacar diretamente o projeto Alpa e sim indiretamente atraves de uma das condicionantes colocados pela Vale para a realização do mesmo que seria a hidrovia.
    A nao realização da hidrovia cai como uma luva para os interesses da Vale em retardar o projeto Alpa ate que tenha bases para torna-lo inviavel jogando com o esquecimento da sociedade.
    Esta acontecendo atualmente uma união maquiavelica entre o governo federal,Gerdau e Vale para a DERROCADA do projeto Alpa e junto com ela nossa região.
    Não pensem que isto ficara por ai pois em seguida a Gerdau utilizando armas tipo DUMPING vai abrir fogo contra a nossa SINOBRAS ,pois sempre foi pensamento da Gerdau adquirir siderurgicas concorrentes,desmonta-las e derreter as mesmas em seus altos fornos.
    Pena que a nossa presidente esta no jogo destes interesses.

  3. Maria

    24 de outubro de 2011 - 12:58 - 12:58
    Reply

    Enquanto isso a cidade de Tucuruí naufraga no desemprego e até na desinformação. Nossa cidade já está sofrendo mais uma vez com a falta de emprego em função do fim das obras da segunda etapa e das eclusas, o que obriga as pessoas sairem do município em busca de trabalho, quem fica sofre mas não é só de saudade não, é pela falta de perspectiva, o investimento na hidrovia talvez fosse uma boa opção pra criação de emprego. Um debate como esse e a população de Tucuruí não toma conhecimento, só se informando a população tem condições de saber quem se importa de fato com a cidade e vai poder escolher melhor na hora de votar.

  4. Francisco

    24 de outubro de 2011 - 08:20 - 8:20
    Reply

    Mais uma obra faraonica neste pais uma ponte onde nao há rio e uma eclusa sem ter por onde trafegar, é mesmo brincadeira!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *