Hiroshi Bogéa On line

Um cenário de guerra

O controle do PSDB no Sudeste do Pará deverá ser entregue a pessoas de confiança do deputado estadual eleito Sebastião Miranda (PTB).

É impensável a  migração de Tião para o partido do governador eleito Simão Jatane, considerando os rigores da legislação  da fidelidade partidária.

Mas o ex-prefeito de Marabá terá à sua disposição poder de vetar ou indicar nomes para o controle do PSDB nos municípios da micorregião.

Em Marabá, especialmete, Miranda revela a amigos próximos que ajustará contas com o empresário Demétrius Ribeiro, suplente do senador Mário Couto (PSDB), e um dos  influentes tucanos no município.

Os dois, Tião e Demétrius, nutrem sentimentos fratricidas mútuos. Há, inclusive, na justiça de Marabá, ações cíveis e criminais movidas por Miranda contra Demétrius.

O clima beligerante alimentado ao longo dos meses, e, crescente durante a campanha eleitoral pelas críticas diretas do empresário contra o deputado eleito,  num programa de TV que Ribeiro  mantém na emissora de sua propriedade, só fez crescer o abismo.

Pelo andar da carruagem, dificilmente Sebastião Miranda aceitará Demétrius Ribeiro filiado ao PSDB.

A guerra está apenas começando.

Post de 

3 Comentários

  1. Plínio Pinheiro Neto

    10 de novembro de 2010 - 00:08 - 0:08
    Reply

    Caro Hiroshi.

    Infelizmente politica, no Brasil, se faz desta maneira.Os partidos são meros figurantes e os filiados a eles fazem o que bem entendem, desobedecendo os compromissos partidários e indo em busca, tão somente, da consecução de seus interesses pessoais.Ana Júlia bateu de frente com todo o empresariado da capital para prestigiar e colocar Tião Miranda no SEBRAE.Isso teve um alto preço para ela e Tião apunhalou-a pelas costas quando viu que o seu (dela) barco estava fazendo água desde o primeiro turno.Agora, Jatene quer nos fazer refens de alguém que tem demonstrado à saciedade, que não honra compromissos e que coloca seus projetos pessoais acima de tudo e de todos.O narcisismo politico de Tião faz com que ele seja um desagregador nato.Passou oito anos na prefeitura e não formou um grupo politico.Não fosse a péssima performance do Maurino, dificilmente conseguiria se eleger, pois este foi o seu maior cabo eleitoral.As pessoas não votaram no Tião e sim votaram contra o Maurino.Marabá e o sudeste do Pará são grandes e importantes demais e são bem maiores do que o Tião.Espero que o Governador eleito reflita e coloque o Tião dentro da sua exata dimensão, prestigiando-o, não mais do que merece dentro do contextp político advindo do último pleito.
    Um grande abraço.

    Plinio Pinheiro Neto

  2. Donizeth cunha

    9 de novembro de 2010 - 03:06 - 3:06
    Reply

    Aqui em Parauapebas, o Tião tem uma aproximação com o Zé Rinaldo e o pessoal da Acip.
    São pessoas boas da cidade. Tem tudo para dar certo.

  3. Anonymous

    8 de novembro de 2010 - 23:30 - 23:30
    Reply

    Será que o Jatene não tem liderança suficiente para apasiguar o ânimo entre os dois "líderes" locais?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *