Hiroshi Bogéa On line

Trocando pavilhão

Só falta parecer de suas assessorias jurídica para a maioria das 38 câmaras municipais trocar a bandeira do Pará pela bandeira do proposto Estado do Carajás. Depois vem o hino a ser entoado em todos os rincões. Nesse crescente, o movimento quer separar o joio do trigo. Quem for contra, será visto como inimigo da região.

Post de 

6 Comentários

  1. Anonymous

    16 de julho de 2007 - 14:48 - 14:48
    Reply

    Concordo que o processo separatista é apenas das elites politicas da regiao e nao do povo!!(so que o poster nao publica) só publica o que é do seu interesse.CARAJÁS??? AQUI !! JAMAIS !!

  2. Anonymous

    15 de julho de 2007 - 14:19 - 14:19
    Reply

    Vê-se que a Malta é extensa. E todos pensando que vão se dar bem!
    A briga é na hora da divisão.
    Aí O risco que corre o pau corre o machado.

  3. Roberto Limeira de Castro

    14 de julho de 2007 - 13:36 - 13:36
    Reply

    O povo desinformado como você meu caro anônimo.Os parlamentares Asdrubal Bentes, Giovani Queiróz,Zequinha Marinho, Zé Geraldo, Wlad Costa, Bel Mesquita, Beto Faro,Elcione Barbalho, Wandenkolk Gonçalves, Lira Maia e mais 120 vereadores, 38 prefeitos e pelos menos uns 20 deputados estaduais e o Vice-Governador representam a esmagadora maioria do povo paraense. Muito cuidado com as palavras agressivas.

  4. Anonymous

    14 de julho de 2007 - 02:02 - 2:02
    Reply

    Olha, acho que esse negócio de separação e criação do Estado de Carajás é mais uma bandeira da elite corrupta da região, que propriamente do povo. Digo mais, o povo, nas sua maioria tá meio alheio a isso.

  5. Anonymous

    13 de julho de 2007 - 19:21 - 19:21
    Reply

    Quem sabe assim, com a polícia invadindo o sul e o oeste do Estado, os Belemitas insatisfeitos com a onde de insegurança na cidade também pedem a emancipaçao do Pará.E saímos todos para o abraço.

  6. Juvencio de Arruda

    13 de julho de 2007 - 15:52 - 15:52
    Reply

    De: Juvencio de Arruda
    Para: Orgnizadores do Movimento

    Os Separatistas Alopram

    Organizadores do movimento pela criação do Estado de Carajás podem mudar de estratégia na condução do processo caso percebam que o governo do Estado colocou a estrutura administrativa em Brasília para trabalhar contra a aprovação do plebiscito. Será liberada a radicalização em todos os municípios do Sul e Sudeste com efeitos perigosos, principalmente para quem não reside na região.
    Essa postura de radicalização foi sempre combatida em todos as instâncias. No final da tarde de ontem, todavia, decidiu-se pela disscussão do tema depois de informações dando conta de que Ana Júlia teria optado em enfrentar o movimento com todas as armas disponíveis.

    Só falta parecer de suas assessorias jurídica para a maioria das 38 câmaras municipais trocar a bandeira do Pará pela bandeira do proposto Estado do Carajás. Depois vem o hino a ser entoado em todos os rincões. Nesse crescente, o movimento quer separar o joio do trigo. Quem for contra, será visto como inimigo da região.

    Olha, sem meias palavras: as ameaças embutidas no blog do Hiroshi nos posts Rumos dos Ventos e Trocando Pavilhão, acima transcritos, merecem atenção.
    Um pouco mais do que tem sido dada, conforme opinou este blog sobre a inércia e a demora da secretaria de Integração do Pará, entrando em cena a reboque da Associação Comercial do Pará.
    A tropa da PM que está em Marabá desocupando fazendas deveria estacionar na área, a espera dos desocupados que estão, como se vê, fora de si.

    posted by Juvencio de Arruda at 12:44

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *