Hiroshi Bogéa On line

Transbrasiliana, a questão

Onde parou a tentativa da deputada Bernadete ten Caten (PT) investigar o monopólio da Transbrasiliana, através da Assembléia Legislativa?

O que foi feito de concreto até agora para a manifestação da parlamentar não ficar apenas nos discursos de ocasião?

Enquanto isso, a Transabrasiliana continua maltratando os paraenses.

Quase que diariamente, ônibus das linhas intermunicipais quebram antes mesmo de sair das rodoviárias. E quando conseguem liberação, nem bem pegam as estradas, as carcaças velhas deixam seus passageiros à beira das rodovias. Às vezes, altas horas da madrugada, sob riscos de assaltos.

Outra grave denúncia enviada ao blog: a maioria dos sexagenários não consegue passagem grátis com menos de 60 dias. Há sempre a desculpa de não haver vagas disponíveis, apesar da gratuidade obrigatoriamente consignada em lei.

Os velhinhos que precisam se deslocar até Belém para tratamento de saúde, aguardam mais de dois meses para obtenção da passagem.

Post de 

2 Comentários

  1. Anonymous

    10 de janeiro de 2010 - 12:52 - 12:52
    Reply

    Se fosse possível eu matava o dono desta empresa. Sou estudante de engenharia em Belém, moro em marabá e infelizmente tenho que me submeter a essa humilhação desta empresa!

  2. Anonymous

    4 de janeiro de 2010 - 13:40 - 13:40
    Reply

    Esse é o caos. Descaso, irresponsabilidade de uma empresa que se perpetua no serviço público oferecendo desqualificação e maus tratos aos usuários com a conivência das autoridades. Alô poder público, vamos abrir licitação e banir a 3T da balbúrdia.
    Sergio Agrost

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *