Hiroshi Bogéa On line

Trabalho escravo

Deveria existir uma lei pela qual um prefeito municipal, atrasando em dez dias o salário do funcionalismo, ficasse automaticamente impedido de administrar o município -, até a conclusão de auditoria para averiguação dos motivos do atraso. Caso a força-tarefa criada no rastro da lei de impedimento constatasse malversação na aplicação dos recursos, o afastamento do malandro seria definitivo.

O que não pode é prefeito ladrão ficar rindo da miséria de seus servidores.

Em Floresta do Araguaia, por exemplo, os funcionários da área educacional estão a dois meses sem ver a cor do dinheiro.

Vai ver o caraíba dedica mais suas preocupações para cuidar do gado e plantio de abacaxi de suas fazendas.

O “X” do problema, em Floresta, é o próprio X, prefeito.

Post de 

2 Comentários

  1. João Carlos Rodrigues

    6 de fevereiro de 2008 - 13:10 - 13:10
    Reply

    Caro Hiroshi,

    Também deveriam ser incluídos na nova norma os prefeitos que atrasam o pagamento de fornecedores. Ninguém é obrigado a fornecer mercadorias ou a prestar serviços para receber com seis meses ou um ano de prazo, como acontece em muitas prefeituras da nossa região.
    Evidentemente, como vc propõe, a prioridade precisa ser dos servidores públicos, já que salário é alimento, é sobrevivência.

    Um grande abraço.

  2. Anonymous

    1 de fevereiro de 2008 - 17:29 - 17:29
    Reply

    Essa foi boa Hiroshi.

    A Lei de Responsabilidade Fiscal que penaliza os prefeitos mau gestores, do ponto de vista financeiro, especialmente quanto à regularidade fiscal e aplicação de recursos na Saúde e na Educação, esqueceu-se de fixar responsabilidades para com o pagamento dos servidores.

    Muito boa…

    ROBERTO SALAME FILHO

    ROBERTO SALAME FILHO

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *