Tossido da DS

Publicado em 20 de novembro de 2008

A provável filiação ao PT do vereador Sebastião Ferreirinha  está causando reações inflamadas na DS de Marabá.  Comentário assinado por alguém  auto-denominado  Zé Quelé,  mede a dimensão exata da temperatura interna da tendência petista, da qual faz parte a governadora Ana Júlia, uma das mais interessadas em transformar em correligionário, o  presidente do Águia.

Diz o comentarista: 

Curioso! A Coordenação Municipal da DS em Marabá, onde o provável e ilustre novo filiado militaria, não foi consultada a respeito dessa filiação.

Se Ferreirinha ingressar no PT/DS para ser candidato, encontrará resistências locais. Para a maioria da DS, ele deve entrar como soldado e conquistar seu espaço com méritos.

Se realmente vai entrar com o grupo do não-filiado Dionízio Gonçalves, vai encontrar sérias barreiras na DS e no PT.

A turma de Belém precisa aprender que as coisas não devem acontecer assim: de cima para baixo. Desse modo, o PT não se diferencia dos demais. Nem a DS.

Zé Kelé


Em política, é assim: tem voto, sobrevive. Sem voto, pasta.

A DS de Marabá, cada ano vem definhando. Não consegue eleger sequer vereador. Na eleição de outubro passada, Dorimar, candidato ao legislativo apoiado maciçamente pela Democracia Socialista, obteve míseros 298 votos. Na relação dos candidatos votados, pelo Partido dos Trabalhadores, o representante da tendência ficou em décimo lugar. A candidata do PT mais votada foi Toinha, do PT Pra Vale, com 1.446.

Por que o governo tem tanto interesse na  conquista de Ferreirinha, atualmente no PSB?

Primeiro, ele é hoje uma pessoa muito próxima da governadora e foi o primeiro político, com mandato, em 2006, a sair percorrendo o sudeste do Pará defendendo a candidatura de Ana Júlia, dois dias após ela decidir disputar o governo do Estado.

Segundo, o vereador tem votos. E uma base consolidada nos quatro cantos do município de Marabá. Na eleição de vereador, em 2004, obteve sua terceira reeleição à Câmara de Marabá com  2.200 votos.

Agora em outubro, Ferreirinha foi candidato derrotado a vice-prefeito de Marabá na chapa de Bernadete ten  Caten.

Antes de aceitar o convite do governo para se filiar ao PT, pela DS, o vereador fez uma exigência: assinar a ficha de filiação até esta sexta-feira, 21, data limite para ele ser um novo petista com as unhas afiadas para disputar o controle da legenda, em Marabá, no Processo de Eleição Direta -, daqui a um ano.