Toca fogo na mata. E depois?

Publicado em 10 de agosto de 2007

Neste momento, Marabá contribui “olimpicamente” para o aumento de focos de queimadas no país. A cidade amanheceu coberta de fumaça. Por volta das seis horas desta sexta-feira não dava nem pra ver o Sol – Ele que desponta nessa época bem mais cedo, tonificado de cores alaranjadas no ponto Leste, anunciando um novo dia na Terra Mesopotâmica.
Há fogo por toda parte, deveras. Os olhos lacrimejam ardentes, a respiração trava e uma baita tristeza nos domina.
Será que esses incêndios provém da desastrada mania de se buscar a “limpeza” de pastos usando o recurso banalizado de espalhar fogos no capim seco, ou o criminoso uso de motosserras continua presente na zona rural?
Triste sexta-feira de cinzas.