Terra arrasada

Publicado em 9 de abril de 2008

Último ano de segundo mandato de prefeito, em muitos municípios, é um caos.

Bom Jesus do Tocantins está vivendo tempos de destruição de sua capacidade de investimento, que nunca foi dos mais promissores.

A boa nova na cidade é a descoberta de que o secretário de Administração Municipal denunciou à Polícia Federal a utilização do nome dele, Airton, sem autorização e sem sua assinatura, para avalizar um financiamento do PRONAF de uma senhora conhecida como Quitéria.

Detalhe: o citado empréstimo não foi creditado à suposta destinatária. Quem o utilizou foi Rodrigo, Tesoureiro Municipal, para efetuar dívidas da prefeitura!

Como as parcelas do empréstimo negociadas em favor de um “laranja” nunca foram pagas, o nome do Airton foi parar no Serasa e SPC.

Responsável pela aprovação do crédito criminoso, o gerente do BB estaria afastado da função até a conclusão do inquéito.

Pior ainda está por vir: podem haver muitos outros “laranjas”em casos semalhantes.

Para quem não sabe, o nome da prefeita de Bom Jesus do Tocantins é Luciene Rezende (PSDB).