Hiroshi Bogéa On line

Terceirização: como votaram os deputados paraenses

A proposta aprovada pela Câmara Federal por 231 votos a 188 regulamentando a terceirização e o trabalho temporário no país, registrou oito  8 abstenções.

Entre outras coisas, o projeto de lei 4302/98 permite a terceirização até da atividade-fim de uma empresa.

Com a aprovação da terceirização, a CLT foi pro beleléu.

Para a população saber como se comportaram  seus representantes na Câmara Federal diante da votação do PL, a seguir,  quem foi contra e a favor:

 

VOTOS FAVORÁVEIS À TERCEIRIZAÇÃO

 

Francisco Chapadinha (PTN)

Hélio Leite (DEM)

Joaquim Passarinho (PSD)

José Priante (PMDB)

Josué Bengston (PTB)

Júlia Marinho (PSC)

Nilson Pinto (PSDB)

Wladimir Costa (Solidariedade)

Lúcio Vale (PR)

 

VOTOS CONTRÁRIOS À TERCEIRIZAÇÃO

 

Arnaldo Jordy (PPS)

Beto Faro (PT)

Beto Salame (PP)

Edmilson Rodrigues (Psol)

Simone Morgado (PMDB)

Zé Geraldo (PT)

 

Nota do Blog: Os deputados federais Lúcio Vale (PR) e Elcione Barbalho (PMDB) não compareceram à votação.

……………..

Atualização às 15h48

 

Em verdade, o deputado Lúcio Vale votou pela Terceirização. Quem se ausentou foi Elcione.

O deputado Éder Mauro se absteve. Ou seja, ficou em cima do muro.

 

Post de 

6 Comentários

  1. Rafael Carneiro da Silva

    21 de setembro de 2018 - 15:41 - 15:41
    Reply

    Antes da terceirização a empresa A paga diretamente o funcionário, por exemplo R$2.000,00. Com a terceirização a empresa pagara para outra empresa B que por sua vez pagará para o funcionário. Obs: a empresa terceirizada não irá trabalhar de graça, como a empresa A não quer ter custo adicional, esse custo da empresa B irá ser pago pelo funcionário que no exemplo acima receberá um valor abaixo de R$ 2.000,00.

  2. Morgana

    26 de março de 2017 - 18:11 - 18:11
    Reply

    O Brasil tem uma das melhores legislações trabalhistas do mundo, tem 2% dos empregados do planeta terra e concentra 91% das ações trabalhistas do universo. O sonho de boa parte dos brasileiros é migrar para os Estados Unidos onde não existe legislação trabalhista. Existe algo de errado com essa legislação que tornou-se o próprio atraso do país.

  3. Edson

    23 de março de 2017 - 21:59 - 21:59
    Reply

    Completando meu comentário,
    A grande maioria dos Brasileiros esta acostumado a trabalhar seis (06) para dar entrada no Seguro desemprego, não se preocupa em se especializar para ter uma vida digna.
    Agora vcs pararam pra pensar que essa medida pode criar vários empregos no Pais, pois uma das coisas que as empresas tem mais medo e da Justiça do Trabalho, basta ver o que esta acontecendo no Sul do Pis as empresas brasileiras estao se mudando pro Paraguai, sera porque?

  4. Edson

    23 de março de 2017 - 19:44 - 19:44
    Reply

    Nesse Pais eu tento entender e não consigo, pois todo mundo esta reclamando da situação, e na hora que o congresso vai mudar algum coisa vira um pandemônio, mais eu nunca vi um cidadão apresentar um projeto ou ideias para resolver o problema, mais penso eu que a maioria so esta reclamando porque algum politico ou puxa saco de políticos, coloca sua discordância com quem esta no poder e um monte de gente que vai pra rua reclamar sem saber o que esta acontecendo, ou seja são um bando de Maria vai com as Outras

  5. Olho Vivo

    23 de março de 2017 - 14:37 - 14:37
    Reply

    Se oito deputados foram a favor, seis foram contra e dois não compareceram, então está faltando um deputado aí na conta, já que são 17 os parlamentares federais do Pará. E é exatamente o deputado federal Eder Mauro quem está ausente da sua lista, caro Hiroshi. Por quê?

    • Hiroshi Bogea

      23 de março de 2017 - 15:52 - 15:52
      Reply

      Olho Vivo, o deputado Éder Mauro se absteve de votar. O post já foi atualizado

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *