Hiroshi Bogéa On line

Tempos cabeçudos

Além da técnica revolucionária de nosso respeitado juiz federal, existe a cabeçada “facciosa e mentirosa”, conforme batizou o presidente do Sinditaf, Charles Alcântara, ao ser perguntado pelo poster se ele havia agredido o servidor Marco Barros, em meio a explosão de impropérios contra o blog, ao telefone, sugerindo que o poster estaria a serviço da secretaria da Fazenda e contra os interesses da classe.

Preferindo a técnica antiga, usada muito pelos nossos tataravós de matar a cobra e mostrar o pau, o blogueiro exibe, a seguir, cópia do BO fornecido pela seccional de São Brás….
… E cópia do laudo de exame de corpo de delito.

Finaliza, lembrando que Marcos Barros, o servidor cabeceado, encaminhou à Corregedoria Fazendária, pedido de providencias administrativas.

Traduzindo: abertura de sindicância para apurar a violência sofrida à porta de um dos órgãos de SEFA e provável punição ao presidente do sindicato.

Post de 

3 Comentários

  1. Anonymous

    4 de setembro de 2009 - 17:54 - 17:54
    Reply

    Alguém poderia dizer quem é o servidor Marcos Barros, seu cargo e função e o local em que trabalha?

  2. Hiroshi Bogéa

    4 de setembro de 2009 - 01:16 - 1:16
    Reply

    Professor, como sempre, seus comentários valorizam o blog, esclarecedores e transparentes. Quero ver, também, se a SEFA e o governo levarão a frente a "contenda". O Charles ficou valente ate com o blog aqui, certamente cabeça quente. O Juca, vivo estivesse, saberia explorar essa disputa como ninguem. Um abraço, Alan.

  3. Prof. Alan

    4 de setembro de 2009 - 00:54 - 0:54
    Reply

    Prezado Hiroshi, de acordo com a Lei nº 5.810, de 24 de janeiro de 1994 (Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos Civis do Estado do Pará), em seu art. 190, VII, a ofensa física em serviço, cometida contra outro servidor, é passível da penalidade de demissão.

    Agora eu quero ver…

    Quero ver tanto a valentia de Mr. Bronson (Ave, Juca!), quanto as providências da SEFA e do Governo do Estado…

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *