Hiroshi Bogéa On line

Tempo de Guerra

Às 5 horas da manhã desta quarta-feira, 9, deixaram Belém diversos ônibus conduzindo 180 homens da Polícia Militar e 70 da Polícia Civil.

Destino: Sul do Pará.

Missão: resguardar a segurança de alguns municípios sob regime de terror implantado pelo MST.

O clima beligerante não domina apenas Parauapebas. Xinguara, Ourilândia do Norte e Tucumã estão sendo alvo de ações criminosas do Movimento dos Sem-Terra.

Post de 

4 Comentários

  1. Anonymous

    11 de abril de 2008 - 18:57 - 18:57
    Reply

    Hiroshi, quanod se trata da VALE o Estado toma rapidamente uma iniciativa, pois assim como existe uma decisão que resguarda os direitos da Vale, existe LIMINAR concedida a dona Maria, no sentido de reintegrar a posse de sua área invadida em Marabá pelos sem tetos.

    Vamos ver se no retorno desses militares dão uma passadinha em Marabá e cumprem a determinação judicial que o executivo estadual e a secretária de segurança pública se negam a cumprir, e preferem recorrer de uma multa diária pelo não cumprimento da decisão do que tentar solucionar esse impasse. A família que tanto lutou p/ conquistar essa terra, hoje vê seu patrimônio acabado, e até as castanheiras, como noticiado em um jornal local estão sendo derrubadas desordeiramente. E olha que são portegidas e ninguém faz nada. UFA…

  2. Anonymous

    10 de abril de 2008 - 17:39 - 17:39
    Reply

    Está faltando a PM descer o cacete nessa cambada de baderneiros como fez na ponte em Marabá, e por último na curva do ‘S’, tá faltando tutano na PM.

  3. Rafael Marinho

    9 de abril de 2008 - 15:32 - 15:32
    Reply

    É uma vergonha que nossas terras fiquem reféns de grupos baderneiros de Sem-terra. Grupos assim mancham a imagem de um movimento que luta por uma causa nobre.

  4. Anonymous

    9 de abril de 2008 - 12:13 - 12:13
    Reply

    prezado Hiroshi,esses “SEM TERRA” estao muito atrevidos tomara que dessa vez eles aprendam a lição…Seja por bem ou mal!!!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *