Hiroshi Bogéa On line

Tão bela Belém

 

 

Belém faz um bem danado.

Olhando a  cidade de cima, do décimo-primeiro  andar, cedinho da manhã, o coração pulsa mais forte.

Ao leste, o sol subindo entre espigões, espraiando reflexos de luz por entre janelas, irradiando vida.

Belém é assim, da janela do apartamento, cedinho.

Um pulsar de vidas. E  de beleza natural.

Do alto, vê-se mangueiras formando túneis  verdes -, clorofilando ruas, avenidas e becos.

Tão bela Belém de prazeres.

Post de 

8 Comentários

  1. ALBERTO LIMA

    13 de outubro de 2011 - 18:58 - 18:58
    Reply

    Esse Alberto Lima me faz lembrar aquele ditado italiano que diz: “uns gostam da cor dos olhos. Outros, da remela”.

  2. anonimo

    13 de outubro de 2011 - 14:19 - 14:19
    Reply

    O que espanta em Belem e a sujeira existente em toda cidade proveniente da falta de educaçâo de seu povo.

  3. Alberto Lima

    13 de outubro de 2011 - 13:39 - 13:39
    Reply

    Bom Dia Belém

    Edyr Proença/Adalcinda Camarão

    Há muito que aqui no meu peito
    Murmuram saudades azuis do teu céu
    Respingos de ausência me acordam
    Luando telhados que a chuva cantou
    O que é que tens feito
    Que estás tão faceira
    Mais jovem que os jovens irmãos que deixei
    Mais sábia que toda a ciência da terra
    Mais terra, mais dona do amor que te dei…

    Onde anda meu povo, meu rio, meu peixe
    Meu sol, minha rêde, meu tamba-tajá
    A sesta o sossego da tarde descalça
    O sono suado do amor que se dá
    E o orvalho invisível na flôr se embrulhando
    Com medo das asas do galo cantando
    Um novo dia vai anunciando
    Cantando e varando silêncios de lar

    Me abraça apertado, que eu venho chegando
    Sem sol e sem lua, sem rima e sem mar
    Coberta de neve, lavada no pranto
    Dos ventos que engolem cidades no ar
    Procuro o meu barco de vela azulada
    Que foi de panada sumindo sem dó
    Procuro a lembrança da infância na grama
    Dos campos tranquilos do meu Marajó

    Belém minha terra, minha casa, meu chão
    Meu sol de janeiro a janeiro a suar
    Me beija, me abraça que quero matar
    A doída saudade que quer me acabar
    Sem círio da virgem, sem cheiro cheiroso
    Sem a “chuva das duas ” que não pode faltar
    Cochilo saudades na noite abanando
    Teu leque de estrelas, Belém do Pará!

  4. Alberto Lima

    13 de outubro de 2011 - 12:35 - 12:35
    Reply

    Evandro Jr
    outubro 13th, 2011 at 10:25

    Quero ver você achar beleza ao olhar a cidade do segundo andar de um barraco no Riacho Doce, onde tem total ausencia do estado….

    RESPOSTA:

    Amigo, Belém é linda sim, mas tem sua mazelas.

    O Recife é lindo, mas tem sua favelas de Jaboatão;

    O Rio de Janeiro é lindíssimo, mas tem seus morros;

    São Paulo é linda, mas suas favelas gigantescas existem;

    Curitiba é a cidade da Ecologia, mas ela não é só o bairro de Betel, possui mais de 200 mil pessoas vivendo em favelas que são em números aproximados de 115 a 120.

    Maceió é lindíssima, mas cercado de favelas na sua orla lagunar.

    Logo, não seja tão invejoso, e nem crie motivo pra deturpar a cidade dos outros.

    Marabá também é bonita,. mas tu deves morar em Estocolmo.

    Um abraço!

  5. Mangueiras

    13 de outubro de 2011 - 12:24 - 12:24
    Reply

    Está no tempo de fazermos igual. Plantar mangueiras em nossa Marabá calourenta, com tantos espaços para isso, seria muito bom. Os argumentos de uns fundamentalistas que são contra, por ser a mangueira uma espécie exótica (que não pertence à nossa flora), que mangueira estraga carro, que mangueira é isso e aquilo, tudo falácia. Mangueira atrai passarinhos, é árvore rústica que aguenta nossa temperatura, é frondosa, bonita, e tudo de bom. Quem duvidar, olha a foto que o Hiroshi publicou.
    Quem é contra aí, levanta a mão torta.
    Eu sou a favor, como foi Antono Lemos, o grande prefeito de Belém, que aliás, sonhou com esta paisagem que o Hiroshi nos brindou. No início do século passado. Que tal?

  6. Telma Christiane

    13 de outubro de 2011 - 11:12 - 11:12
    Reply

    Hiroshi, Bela Belém é assim que meu pequeno Lucas costuma chamar a minha querida cidade, todas as cidades têm suas mazelas, com ela não seria diferente, Belém precisa ser tratada com mais amor, mais zêlo, tanto pelos seus governantes como pelo povo que nela vive. Belém pra mim é isso aí, túnel de mangueiras, cheiro de chuva, cheiro do tucupi vindo das barraquinhas de tacacá, amigos de infância, saudades… Abraços.
    Ps: Posso copiar essa foto pra mim?

    • Hiroshi Bogéa

      13 de outubro de 2011 - 11:18 - 11:18
      Reply

      Querida Telma, Belém é tudo isso.Belém é tudo amo. Claro, menina, use a foto como quiser. Um abraço.

  7. Evandro Jr

    13 de outubro de 2011 - 10:25 - 10:25
    Reply

    Quero ver você achar beleza ao olhar a cidade do segundo andar de um barraco no Riacho Doce, onde tem total ausencia do estado….

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *