Suspeito da ter contraído doença da urina preta sentiu sintomas após comer pacu

Publicado em 11 de setembro de 2021

A informação é da filha do paciente que se encontra internado em hospital de Santarém com suspeita da doença da urina preta.

Vanessa Maria Ebraim Dos Santos, filha do paciente, Valdir Rufino dos Santos,  relatou que, imediatamente após o consumo do peixe pacu, o pai sentiu um forte enjoo.

Em seguida, cerca de uma hora depois, os sintomas como dor muscular intensa, dores no peito, nuca, febre e câimbra nas pernas, foram sentidas por Valdir, levado, então, imediatamente para internação no Hospital Municipal de Santarém (HMS).

O pacu é pescado consumido tradicionalmente pelas populações ribeirinhas.

Vanessa Maria Ebraim Dos Santos conta que foi informada pela esposa do pai que após, fazer consumo de peixes, comprados na tarde de quinta-feira (9), oriundo de uma feira de pescado, que o pai começou a sentir náuseas, dores nas pernas, nuca e dor de estômago.

“Ele é muito ativo, não tem nenhuma doença e por ser muito durão para doença, então ficou aguentando a noite toda. Já na manhã seguinte, os sintomas ficaram insuportáveis, as pernas dele falharam, ele não conseguia falar nem andar direito” contou.

Não há relatos de casos supeitos da doença da urina preta na região Sul e Sudeste do Pará, mas em Belém e Santarém existem algumas pessoas naquela condição.