Sujo falando do mal lavado

 

O senador tucano Aloysio Nunes Ferreira, numa de suas dezenas de entrevistas concedidas semana passada condenando a criação de novos Estados no Norte do país, justificou a impropriedade divisionista “por trazer em seu bojo fermento de corrupção”.

Subliminarmente, quis dizer que a formação de novas bancadas de senadores, deputados federais e estaduais na formalização de hipotéticas recém criadas unidades federativas, será obrigatoriamente seguida de roubos aos cofres púbicos pela classe de poder emergente.

No fundo, ele não exagerou: só esqueceu de monitorar o seu quintal.

Domingo, no coração do governo de São Paulo, descarada corrupção nas secretarias de Saúde do Estado e municípios paulistas, foi denunciada pelo Fantástico.

A corrupção existente aqui, e que pode surgir nos novos Estados, é igualzinha a que grassa no estado mais “desenvolvido” do país.