Hiroshi Bogéa On line

Sintepp contesta acusações

 

Enviado ao blog com pedido de publicação:

 

 

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO
Marabá-PA, 04 de maio de 2011.
Caros filiados e filiadas,

Antes de tudo, gostaríamos de parabenizar todos os servidores filiados ou não ao SINTEPP – SUBSEDE DE MARABÁ e dizer que apesar de muitos aproveitarem o seu tempo para denegrir a imagem de pessoas e de instituições importantes como o nosso sindicato, nós acreditamos que o dia 01 de maio de 2011, dia INTERNACIONAL DO TRABALHADOR merece sim ser comemorado e exatamente por isso, nós passamos o nosso tempo organizando uma festa para os TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO.

Esclarecemos que o convite fora feito não apenas diretamente nas escolas, oportunidade na qual os servidores receberam, além do convite, um jornal trimestral com todas as ações do SINTEPP nesse começo de gestão, mas também nos veículos de comunicação, tais como: Rádio Club, Rádio 91 FM e TV RBA . Como Coordenador Geral do SINTEPP, não posso parar a luta dos trabalhadores para passar em todas as escolas, mas garanto que tenho uma agenda a cumprir e que passei pessoalmente em várias escolas convidando e dando informes aos trabalhadores. É uma pena que o Sr. Ricardo Fernandes Inácio não trabalhe em nenhuma dessas escolas, e que o carro de propriedade da UEPA não tenha rádio, pois o mesmo é motorista da UEPA e não atua como TRABALHADOR EM EDUCAÇÃO. Alguns colegas podem até lembrar desse cidadão, pois o mesmo passou em todas a escolas pedindo voto para eleger o então Secretário de Educação de Marabá.

Bem antes da festa, durante o mês de maio, realizamos reunião com todos os coordenadores do SINTEPP e discutimos a realização da festa. Além disso, distribuímos jornais e adesivos da campanha “Assédio Moral: Ninguém merece”, a todos os coordenadores presentes. Os mesmos sabem que a campanha só encerrará na segunda quinzena de maio, quando deveremos realizar Seminário de formação com os nossos filiados. Ainda durante reunião da coordenação do SINTEPP foi lançada a campanha de filiação com tema “Juntos a história é outra. Unidos somos mais fortes”, que deveria encerrar no dia da festa do trabalhador.

Informamos que se há alguém se desfiliando do SINTEPP, está indo ao sindicato errado, pois estamos em plena campanha de filiação; com novas filiações chegando todos os dias. Mas isso com certeza não é do conhecimento do Sr. RICARDO FERNANDES INÁCIO, pois a UEPA não pertence a nossa área de atuação e não há pessoas que possam se filiar trabalhando na UEPA. Enquanto este Senhor tenta colocar a categoria contra o sindicato, por que o mesmo não aponta suas palavras magníficas para a SEMED ou para a Prefeitura?! Isso também precisa ser discutido. O que leva uma pessoa que pretende atuar como trabalhador da educação, mas que tem profunda ligação com o Secretário de Educação a fazer campanha difamatória contra o SINDICATO MAIS ATUANTE DO SUL E SUDESTE DO PARÁ?!

Vocês que acreditaram no sindicato e que realizaram a maior greve que este município já viu. Vocês conhecem este senhor?! Você contratado que fora demitido e que depois voltou a trabalhar graças à atuação do sindicato. Você conhece este senhor?!

Com certeza, nossos colegas filiados ou não, devem estar se perguntando o que leva uma pessoa que sonha um dia ser TRABALHADOR EM EDUCAÇÃO, advogar exatamente contra o único instrumento de luta que ainda está do lado do trabalhador?! Nós também não temos uma resposta, mas acreditamos que esta “estória” começa com a palavra “oportunismo”.

Acreditamos que o pior perdedor é aquele que não sabe perder, pois não se contenta com a derrota. Por não contentar-se, passa a atuar na clandestinidade, fazendo panfletos que não descrevem a verdadeira realidade das coisas e dos fatos. Uma prova rápida do que falamos é que enquanto o Sr. Ricardo “teme” a falência do SINTEPP, nós acabamos de adquirir uma caminhonete L-200, reformamos toda a estrutura do TAPIRÍ da sede campestre confeccionamos mais de 4.000 mil Jornais que estão sendo distribuídos na Zona Urbana e Rural; confeccionamos mais de 5.000 adesivos da campanha contra o ASSÉDIO MORAL e continuamos Coordenando a luta dos trabalhadores o que também não é nem um pouco barato. Oposição é preciso, mas é preciso antes de tudo ter base e saber do que está falando, pois calunia e difamação não é oposição é CRIME. Mais de R$ 60 mil reais em investimentos para a categoria!

Por falar em oposição, já está na hora de aparecer alguma oposição. Uma que mereça respeito da categoria e que nos faça refletir sobre nossas práticas e não um bando de derrotados, que não foram capazes nem de construir uma CHAPA que tivesse uma pequena chance de derrotar os “Gatos pingados de Marabá”. Os únicos que de fato constroem a luta dos trabalhadores e que através da “Unidos pra lutar” conquistou o seu espaço e a confiança da categoria.

Unidos pra lutar: mas do que uma gestão, uma maneira diferente de viver a vida! Sem medo e sem covardia, pois os covardes são os nossos maiores inimigos…

Post de 

4 Comentários

  1. AURISMAR LOPES QUEIROZ

    2 de junho de 2011 - 01:23 - 1:23
    Reply

    Depois que um terremoto, que todos sabemos o nome, passou pelo Sintepp; toda a credibilidade daquela instituição havia acabado diante dos seus filiados. Foi preciso uma intervenção da estadual. Quem não se lembra é porque não estava na luta. Foi preciso muita tranquilidade, vontade de ver a categoria organizada, determinação, e, principalmente, bom senso, para poder reerguer a imagem da sub-sede do Sintepp em Marabá. Moderado, porém destemido, o então coordenador provisorio por seis meses, HENDEL BEZERRA, mostrou que possuia todas as qualificações para estar a frente daquela organização de trabalhadores. Tanto é que, na últama eleição em 2010, conseguiu reunir um grupo forte o suficiente para ser aprovado pela maioria esmagadora dos filiados a estar no comendo do sindicato por mais três anos. Nesses 11 anos que sou militante filiado ao Sintepp nunca testemunhei a sub-sede caminhando tão bem. A aquisição de uma necessária caminhonete L – 200, a reforma do tapiri, a legalização dos funcionarios da sub-sede, o pagamento em dia dos convênios, são provas disso. Sem falar a sub-sede bancou a greve dos servidores estaduais em 2010 sem nenhuma ajuda financeira da estadual. E, sei que há muito mais a ser implementado por essa coordenação. Isso é fazer sindicato com responsabilidade.

  2. elenina

    1 de junho de 2011 - 07:37 - 7:37
    Reply

    Houve um tempo em que ao realizar-se uma assembleia do sindicato, nesta compunha-se autoridades de diferentes segmento, e todos tinha voz direito constituido, e da plenária, vinha inclusive as duvidas daqueles que nao estavam inteirados do assunto em pauta. E só depois de esgotados todas as dúvidas iam para a votaçao. E ali, construiam um debate de entendimento, e que usava a voz na plenária, nao era intimidado, ou questionado. E no decorrer da historia em Xinguara, com a mudança de pedra para vidraça. A mudança fora tão brusca!!!!! e as ferramentas de opressão que antes era usada, ficaram engavetas e agora esta em uso, só que sob os rigores da Lei, não a que beneficia o trabalhador. e não estamos na era medieval, amordaça, você, venha cá, ponha nele a canga, coloque a mordaça e acorrente os pés, e use chicote, e para ensinar a pensar sobre o que fez diminua a ração, está comendo demais…!! por isso, tem energia demais para me contrariar… e em Atenas, quem manda “quem pode” obedece quem tem juízo!!Meu povo, você sozinho não é nada, nem seu voto, votou!!!!!!!!!e o da família, e os dos amigos, e dos vizinhos!
    Lembra, quem parte leva saudade de alguém que fica chorando de dor??????pense, pense, gênio.

  3. Ulisses Silva Maia

    9 de maio de 2011 - 13:53 - 13:53
    Reply

    Ocorre que o SINTEPP já protocolou várias denúncias contra a Prefeitura de Marabá. Só que, o SINTEPP esbarra na legislação. Afinal, vivemos ou não em um Estado Democrático de Direito. Se por um lado temos nossa liberdade de expressão garantida constitucionalmente, por outro lado o sindicato só pode fazer aquilo que lhe cabe. Feita a denúncia, seja no Ministério Público, seja no Tribunal de Contas, a esses sim, cabe levar as denúncias adiante e fazer as devidas apurações. Se dependesse do Sindicato, garanto, o Maurino já teria sido cassado a muito tempo.

  4. Anônimo

    8 de maio de 2011 - 22:57 - 22:57
    Reply

    O sindicato deveria era priorizar nas lutas que acabe com a sangria do dinheiro publico da educação aqui em maraba.
    O Fantastico(globo) mostro no hoje-08/05, uma reportagem que mostra as quadrilhas montadas nas prefeituras para desviar o dinheiro da merenda.
    Não passou maraba, mas as imagens mostravam todos os desleixos que estão acontendo aqui em maraba(salchicha, charque,peixe gongelado) e muito arroz e macarrão.
    O diretor do FNDE, as prefeituras não podem usar o dinheiro da merenda nas tercerização.
    Agora eu pergunto pro MPF, o silencio desta intituição tem preço?

Leave a Reply to AURISMAR LOPES QUEIROZ

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *