Setor guseiro grogue

Publicado em 25 de agosto de 2007

Declaração de executivo de uma grande empresa de Marabá:

– A decisão da Vale de suspender o fornecimento de minério a Usimar e Cosipar provocará o estancamento dos investimentos do setor siderúrgico. Isso representa muita coisa para a economia regional. A Sidepar vinha planejando investir U$ 19 milhões na sinterização. A aciaria em fase de construção pela Simara é da ordem de U$ 80 milhões, podendo a mesma agora não ser concluída no prazo previsto.

A ordem é suspender investimentos até que as incertezas geradas pelas decisão da CVRD sejam esclarecidas.

Batendo cabeças
O blog ouviu também de empresário siderúrgico que um dos entraves na atividade é a queda de braços entre o Ibama e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente. As medidas arbitradas pelos dois órgãos em relação ao setor não teriam qualquer sintonia a ponto da própria Justiça julgar algumas inconstitucionais.
O mesmo interlocutor informa que a decisão administrativa da CVRD só se estenderá, em futuro próximo, às empresas condenadas em ação criminal. Nesse caso, atualmente, além de Cosipar e Usimar, as demais siderúrgicas não chegaram a esse estágio.

Opinião pública
Pesquisa qualitativa realizada no município de Marabá para avaliar o desempenho da atividade guseira no seio da comunidade, revelou detalhes interessantes.

* Grande parcela da população que veio de outros estados tinha um alvo específico: trabalho e renda. Cerca de 40% encontraram.
* Consultados apontam a siderurgia como principal geradora de emprego no município. Citada mais do que o poder público.
* Mais de 60% da população daria nota de 08 a 10 para o setor.

Com esses números em mãos, surpreendentes até para os donos de usinas, as empresas acham que a população transformou-se na principal aliada do Distrito Industrial, “e que responderá à altura, se convocada” (sic).
Um executivo, ao lado do empresário, aproveita o gancho para configurar a idéia de que o governo pauta suas ações baseado na opinião pública. “Se essa lógica é real, qualquer ação da Vale que venha representar uma ameaça a geração de emprego, pode conflitar a relação entre a população e a mineradora que tem um dos maiores investimentos previstos aqui na área que é o Salobo”, raciocina o rapaz.

Investindo no social
Empresários partirão agora para a expansão de programas sociais, ampliando também a oferta de mão de obra no plantio de eucaliptos em áreas localizadas em pelo menos 12 fazendas adquiridas recentemente.