Sepultamento dos ambientalistas

 

 

Durante toda a madrugada, centenas de amigos e populares marcaram presença no velório dos líderes extrativistas José Cláudio da Silva e Maria do Espírito Santo Enterro, velados na Nova Marabá.

O enterro do casal ocorrerá esta manhã, às 10 horas, no Cemitério da Saudade.

Ontem, a Associação Nacional dos Procuradores da República divulgou nota lamentando os assassinatos de Cláudio e Maria, apoiando “investigação rigorosa de assassinato de castanheiros no Pará, a punição de todos os responsáveis por mais este crime contra os direitos humanos e o desenvolvimento sustentável da Amazônia”.

Segundo a ANPR, José Cláudio e Maria do Espírito Santo eram defensores da Floresta Amazônica e do desenvolvimento sustentável. Ambos combatiam e denunciavam as explorações ilegais de madeira. Por conta das informações e do trabalho ativo na defesa do meio ambiente, madeireiras irregulares foram fechadas e investigações policiais iniciaram-se para apurar os crimes ambientais. Muitos dados foram encaminhados ao MPF em Marabá, que serviram de base para ações no combate à degradação da Natureza.”

Nota prossegue dizendo que “a defesa do meio ambiente fez mais duas vítimas na região Amazônica, que já teve a luta de Chico Mendes e de Irmã Dorothy Stang encerradas por quem não admitia manter a floresta íntegra, como pressuposto para a geração de emprego e renda para os amazônidas.”.

Nota é assinada por Alexandre Camanho de Assis, Procurador Regional da República, Presidente da ANPR