Hiroshi Bogéa On line

Sentindo na pele

De viagem pela rodovia PA-150, Julio de Jesus Monteiro, residente em Belém, à av. Castelo Branco, 4ª Trav. Cs-1, envia e-mail para contar sua aventura:

Viajei de “férias” para Marabá e é lamentável o estado da PA-150 e Alça Viária, onde a quantidade, dimensão e profundidade dos buracos nos deixa REVOLTADO com o descaso do poder público: estadual, federal e municipal. Chega a ser CRIMINOSA a insensatez destes poderes com caminhões e carros de passeio que trafegam a própria sorte, zigzagueando perigosamente na “pista” na tentativa de escaparem dos imensos e inúmeros buracos.

Entre Jacundá e Goianésia já na PA-150 as pontes estão em estado deplorável, com ferros e depressões à mostra (para passar tem que ir para a contramão). Cadê os impostos que pagamos ?? Cadê os políticos e prefeitos desses municípios ?? Cadê o governo desse Estado ?? e só se fala em eleição e bafômetro…
Desculpe o desabafo !
———
Julio , sorte sua ter escolhido agora para passar férias em Marabá. Há dois anos, a situação da Pa-150 era desesperadora. Para sermos honestos, você pecorreu uma maravilha agora, comparando a rodovia com o passado.
Mesmo assim, as pontes de Marabá e Goianésia são um convite à morte. A Setran pretende construir outras de concreto, definitivas, através de recursos que tenta liberar no BNDES.
Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *