“Sentei naquele banco da pracinha só porque…”

Publicado em 16 de dezembro de 2013

 

Prainha Marabá 2

 

Observem a foto.

Nela, duas situações.

A primeira, na parte de cima, a “prainha” despontando no Tocantins.

A segunda, ao centro da foto, a praça Duque de Caxias, com traçado leve e espaçado.

A “prainha” ficava entre a margem da cidade e a praia do Tucunaré.

Em determinada época do ano, em setembro, a gente atravessava a pé e ia tomar banho no lado superior dela. Ao longo deses 30 anos, o assoreamento do rio acabou com aquele patrimônio natural.

Registre-se, também:  a foto  é uma das poucas que se tem conhecimento a mostrar como era o traçado original da praça Duque de Caxias.

Vejam,  ao centro,como  a praça foi concebida para oferecer espaços diversificados, inclusive,  as ruas do seu entorno eram mais largas.

No local onde construíram aquela coisa horrorosa  que foi denominado de “Coliseu de Favela”, havia um largo que dividia a praça em duas partes.

O  largo, que  pode ser visto  bem no centro da praça,  servia de estacionamento e de pista de retorno, além de ser área de escape do vento que sopra sentido rio-praça.

Hoje, com o “coliseu” no meio, o centro da cidade deixou de ser beneficiado pela  circulação do vento que vem do rio.

Ao fundo, lado direito da foto,  o prédio da antiga câmara municipal.

Vamos fazer uma campanha aqui para identificar quem tem mais fotos da praça em sua concepção original.

O prefeito  João Salame tem um projeto de revitalização da Velha Marabá, no qual iremos estimula-lo a rever o traçado da Duque de Caxias, inclusive resgatando o coreto que fica em frente ao Armazém Paraíba, transformado num local de venda de artesanato de péssimo gosto.