Sem testemunhas

Publicado em 10 de maio de 2008

O relógio do celular do poster marcava exatamente 13h27 quando o prefeito Sebastião Miranda, risonhamente ao lado do seu vice deixava a sede da Dacar, locadora de veículos de propriedade de Ítalo Ipojucan. Em questão de minutos, o blogger acionou suas fontes e descobriu que a reunião de Ítalo com Tião demorou horas, apenas os dois na sala do dono da locadora.

A escolha do dia (sábado) e a hora de pouca afluência de clientes na loja fazem crer a potencialidade do tema discutido: sucessão municipal.

O prefeito de Marabá, em entrevistas concedidas mês passado, deixou claro que até o final de maio definiria o nome do candidato à sua sucessão. Dois nomes, ele jamais apoiaria: o do vereador Maurino Magalhães (PR) e o da deputada estadual Bernadete Caten (PT), os quais Miranda considera sem nenhum comprometimento com a gestão fiscal e com projetos de interesse macro do município.

As outras pré-candidaturas da base aliada de Sebastião Miranda são a do próprio vice-prefeito Ítalo Ipojucan (PDT) e dos deputados federal Asdrúbal Bentes (PMDB) e estadual João Salame (PPS).

Nos últimos dias, fala-se numa outra via: a do médico Jorge Bichara, presidente da Fundação Zoobotânica de Marabá e da Unimed Sul do Pará.