Sem porteiras

Publicado em 4 de setembro de 2007

É verdade que o funcionário do Ministério Público do Pará preso em flagrante pode ser o primeiro do orgão a ser acusado de envolvimento com traficantes. Mas no Sul do Pará, precisamente na região de Conceição e São Geraldo do Araguaia, onde a fronteira com o Tocantins vive escancarada do lado de cá, a capacitação do crime organizado é uma constância.
Pontos para o Geproc (Grupo Especial de Prevenção e Repressão às Organizações Criminosas) (GEPROC) e o Serviço de Inteligência da Polícia Militar. As fronteiras do Pará necessitam dos órgãos de inteligências atentos. Sempre, sempre.