Hiroshi Bogéa On line

Sede da Real Engenharia

Amigo do blog envia foto, tirada pelo próprio, de um local onde supostamente funciona o escritório da Real Engenharia, empresa responspavel pela desconstrução  do Real Class, edifício que desabou no último domingo.

Com a foto, colaborador faz o seguinte comentário:

Remeto uma foto tirada do escritório da empresa. Fica no Bairro da Pedreira que conheço na palma da minha mão. Aos que perderam seus bens, é para haver muita preocupação:  se depender da venda do escritório e de sua imagem que passa, não sei não…”

O imóvel fica na travessa Timbó, entre Marquês de Herval e Visconde.

Post de 

3 Comentários

  1. Anonymous

    5 de fevereiro de 2011 - 06:12 - 6:12
    Reply

    O CASO REAL CLASS
    Eu acho que deve-se ter muita prudência nas afirmações e especulações com relação a triste desastre envolvendo a construtora REAL e seu empreendimento. Devemos ter seriedade e nas colocações e evitar comentários desastrosos como o do senhor Nagib Charone, o qual levantou em um jornal de grande circulação a possibilidade de um raio ter derrubado o prédio. Ora amigos engenheiros, vários estudos foram realizados sobre os condutores e eletrodos naturais de dissipação de descargas atmosféricas, a própria norma NBR 5419 de 2001 permite o uso da ferragem de vigas e pilares como elementos de escoamento de descargas dessa natureza, assim como também o uso dos elementos de fundação como eletrodos naturas usados na dissipação da descarga na terra.
    Do ponto de vista social a afirmação de tal professor é outro desastre. Ela poderia espalhar pânico nas pessoas que moram nas alturas, uma vez que se tal hipótese fosse factível, outros prédios poderiam vir à ruína durante tempestades do rigoroso inverno paraense. Mas fiquem tranqüilos caros leitores, a afirmação não tem nenhuma fundamentação do ponto de vista da engenharia.
    Com relação ao fato de a sede a empresa REAL ser simples e não estar em um bom estado de conservação, acredito que a estética da sede de uma empresa não implique em obras de boa ou má qualidade. Basta lembrar da construtora SERSAN, executora do edifício Palace II, cujo desabamento ocorreu em 22 de Fevereiro de 1998. Sua sede era pomposa, no entanto o Palace II foi executado com materiais de baixa qualidade além de erros de cálculo comprovados em perícia.
    É importante que as pessoas saibam como um empreendimento desse é concebido e quais atores são envolvidos no processo. Primeiramente o arquiteto elabora o projeto arquitetônico do edifício, em seguida o engenheiro sanitário elabora o projeto hidrosanitário e de combate a incêndio, o engenheiro eletricista elabora o projeto elétrico e lógico, o engenheiro estrutural faz então o projeto estrutural do edifício e entrega a planta de carga da fundação do edifício para o engenheiro geotécnico projetar a fundação do mesmo. Para este ultimo projeto é necessária a realização de furos de sondagem no solo, cujos resultados são parâmetros no cálculo da fundação. Cada um desses profissionais envolvidos deve emitir junto ao CREA a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), documento este que comprova que um profissional habilitado elaborou determinado projeto e que tem responsabilidade sobre o mesmo. Pronto, o projeto está em ponto de execução.
    Para a execução dos projetos elaborados deve-se ter a frente um profissional habilitado junto ao CREA e o mesmo deve emitir uma ART de execução da obra. Tal ou tais profissionais são responsáveis por materializar os projetos elaborados com fidelidade.
    Um fator importante na execução de uma obra é com relação a qualidade dos matérias, principalmente aqueles que podem sofrer variações significativas de suas propriedades ou qualidades, caso este em que se enquadra o concreto. Um controle rigoroso de qualidade do concreto usado em uma obra deve ser feito. As empresas especializadas (concreteiras) emitem laudos de resultados dos ensaios realizados com corpos de prova moldados com o concreto das diversas fases de execução da obra para garantir que a qualidade do concreto é tal qual aquela especificada no projeto estrutural.
    Senhores e senhoras, diante do aqui exposto, aonde estão esses atores no empreendimento Real Class? Quais os seus nomes (só para sabermos)? Não é precipitado afirmar sem nenhum laudo que A ou B é culpado?
    Certamente devem se perguntar quem é o autor desse texto, não importa quem diga a verdade, importa sim, se ela de fato é verdade.
    Uma boa noite e um forte abraço a todos. Que deus nos ilumine e nos dê sabedoria para evitar eventos trágicos que ceifam vidas de trabalhadores inocentes.

  2. Anonymous

    2 de fevereiro de 2011 - 07:39 - 7:39
    Reply

    Procure saber quem é intimo do professor aposentado de desenho presidente do Crea-Pa , agora enganar a receita federal com disfarce de sede isso nunca ela fiscaliza todo mundo que faz propaganda de predio na rua ou no jornal , prefeitura em belem se engana é com $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    Agora que a é proposital a sede ser escrota isso é uma verdade, é para a casa não cair para os bandidos

  3. Anonymous

    2 de fevereiro de 2011 - 00:28 - 0:28
    Reply

    Fico a pensar naquele grande empresário de Belém, que anda pelas ruas do comércio e toma seu cafezinho com os ambulantes. Tudo bem despintado… Assim, mal comparando, age esses empreiteiros:Um bom disfarce para enganar o CREA, a Prefeitura, a Receita, a Sefa e o D….. Tão Belém, tão Pará, tão Brasil.

Leave a Reply to Anonymous

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *