Hiroshi Bogéa On line

SDDH repudia tráfico humano em Altamira

 

 

Copiada do mural  da  advogada Mary Cohen, no Facebook, nota da Sociedade de Defesa dos Direitos Humanos:

 

 

———–

Nota de Repúdio ao Tráfico Humano em Altamira

Por quase 30 anos o projeto de construção da Hidrelétrica de Belo Monte na região de Altamira, no Xingu, foi propagada pelos grandes grupos econômicos interessados no empreendimento e pelo estado brasileiro como mais um grande projeto para a Amazônia que traria o tão desejado progresso para a região.

Porém, desde o anúncio da construção da mesma, diversas organizações e movimentos sociais fizeram lutas e resistência buscando alertar a sociedade e os governos sobre os impactos e violações de direitos que poderiam ser ocasionados em virtude de tal empreendimento. Pois o mesmo segue à uma concepção de desenvolvimento que não está preocupado com o vida do povo, mas somente com os autos lucros das grandes empresas. Com o início das obras da Usina, tais previsões passaram a ser realidade na vida do povo da Região de Altamira, seja na vida dos que lá já habitavam, seja daqueles que migraram para esta Região com a esperança de dias melhores. As condicionantes exigidas sequer foram cumpridas e os direitos dos atingidos pela obra, dos trabalhadores, dos moradores da cidade, passaram a ser violados, sem contar com os danos ambientais causados.

A denúncia de tráfico humano na Região de Altamira, que veio à tona nos grandes meios de comunicação, no último dia 13 de fevereiro de 2013, é apenas mais uma tragédia anunciada sobre as mazelas sociais produzidas em conseqüência da Construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Segundo reportagem de Verena Glass, e de matéria publicada no site da revista Época no dia 14/02/2013 o dono da Boate Xingu que traficava e explorava sexualmente meninas é um ex-barrageiro e que o mesmo tinha outra Boate nas proximidades das construções da Hidrelétrica de Jirau, Rondônia. Segundo depoimento dado por uma das mulheres resgatadas os clientes da Boate eram exclusivamente trabalhadores das obras de Belo Monte. 

Vale ressaltar que os movimentos sociais tem constantemente denunciado situações que envolvem exploração sexual de mulheres nos grandes projetos implantados na Amazônia. Sequer as redes de exploração sexual contra crianças e adolescentes instaladas a anos em Altamira foram enfrentadas, antes que se desse início a esta empreitada nociva ao povo da região amazônica que é Belo Monte. 

O Tráfico de pessoas sempre envolve uma rede criminosa muito bem articulada e organizada, que atua principalmente nas realidades de vulnerabilidade social devido à falta de políticas públicas, realidades propensas ao aliciamento por parte destes criminosos.

Responsabilizamos o Estado Brasileiro, e em especial o Governo Federal, nas pessoas do Ex-presidente Lula e da atual presidente Dilma Roussef, por esta tragédia que se abate sobre pessoas, adultas ou adolescentes, que foram traficadas e escravizadas para exploração sexual, pois estes governantes sabiam das consequências nefastas da obra e decidiram faze-la custe o que custasse. O resultado não poderia ser outro.

Entendemos, que o estado, e de forma especifica o Judiciário, ainda pode e deve adotar uma postura corajosa de evitar outros tipos de violação de direitos causados nestes grandes empreendimentos. 

Ações, processos e denúncias não faltam, seja no Brasil, seja no exterior. 

Basta de destruição e de sofrimento. Basta de Belo Monte.

Belém-PA, 15 defevereiro de 2013.

Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos – SDDH

Post de 

4 Comentários

  1. Anonimo

    18 de fevereiro de 2013 - 19:33 - 19:33
    Reply

    A SDDH deve aproveitar e discutir tambem o salario minimo que escraviza a população.

  2. anonimo

    17 de fevereiro de 2013 - 23:46 - 23:46
    Reply

    Então tá na hora de uma olhada nas boaites lá do pebas .tem uma tal de eventual lá que é um rufianismo só debaixo das barbas das autoridades locais tem até anúncio em rádio .

  3. Diogo Margonar

    15 de fevereiro de 2013 - 21:23 - 21:23
    Reply

    Ah entendi…A culpa é das hidrelétricas! Esses empreendimentos malvados! Altamira lidera a geração de empregos do Pará e talvez na região norte. Acho completamente precipitado e temerário culpar o empreendimento pela absurda situação de exploração sexual. Tirando a típica tendência de mistificar as coisas, os movimento sociais deveriam apontar quais as alternativas de desenvolvimento econômico seriam mais adequadas, pois o povo brasileiro necessita de empregos, energia, evolução econômica e muito mais que o desenvolvimentos “sustentável” baseado na pobreza, digo, subsistência. Não é porque existem incidentes como o referido caso de exploração sexual que temos que culpar os “grandes investidores internacionais”, numa mentalidade da década de 60 que tenta colocar a luta de classes como a coisa mais importante do mundo. Para min, essa nota demonstra uma tentativa de defesa ideológica de pessoas de mente ultrapassada. Vamos fechar todas as boates porque houve uma tragédia na boate Kiss; vamos morar no subsolo porque os meteoros estão vindo; vamos deixar de andar de carro porque existem acidentes graves acontecendo; vamos desistir da vida porque viver é um fardo. Ao invés de mistificar fatos e culpar as poucas alternativas de desenvolvimento que surgem em nosso país, a SDDH deveria analisar os fatos objetivamente.

  4. João dos Prazeres da Costa

    15 de fevereiro de 2013 - 21:06 - 21:06
    Reply

    Putz, a culpa é do Lula e da Dilma? E é do FHC a culpa pelo tráfico de pessoas e a prostituição infantil no Nordeste brasileiro, os quais aumentaram em seus governos? O governo do Estado e a Prefeitura de Altamira não têm nenhuma parcela de culpa? Peraí, gente, menos, menos…

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *