Hiroshi Bogéa On line

Saudações ao talento Uendas

 

 

A descoberta de um novo talento das artes plásticas, ganha repercussão no blog.

O pintor Uendas, residente na Vila São José, área rural de Marabá, trazido a público pela educadora Evilangela Lima, é alvo de manifestações calorosas de visitantes do blog.

A seguir, alguns comentários de boas vindas de nossos leitores:

 

 

Dario dos Anjos:

Sempre que escrevo nesse Blog, faço questão de mencionar “belo Estado do Pará”, pois além das belezas naturais, tem talentos de sobra, gente que faz acontecer coisas belas de ver como esses nanquins do Tio Uendas, mas também de ouvir, como Carmem Monarcha, uma paraense que faz sucesso mundo afora com sua beleza e sua voz! Abraços

Mara Barcellos:

Realmente um verdadeiro talento das artes plásticas. Traço preciso e criatividade nas ilustrações. A prefeitura local ou Secult precisa conhecer e reconhecer esse talento.

 

Anônimo:
As pinturas são bonitas, mas apenas no primeiro nanquim,as arvores são parecidas com as nossas castanheiras,nos outros,há uma descaracterização,troncos desproporcionalmente grossos e copas pequenas,prá quem conhece,isso não é castanheira.E outra,nenhum castanheiro construia sua casa embaixo de um “pé” de castanha seu Uendas,ia sofrer bombardeio de ouriço meu camarada !

Morador da Vila São José

Tio Uendas além de artista é um bom professor, tem ensinado a muitos alunos da Escola São José algumas tecnicas.
Alguns seguem seu exemplo e estão tomando gosto pelas artes plásticas.
Muito legal divulgar o trabalho dele nesse espaço.
Torcemos que tenha uma boa repercussão na cidade, queremos que ele brilhe.

 

Agenor Garcia:
Pelo que o blogue estampou, o trabalho de Uendas faz justiça à tradição de Marabá, formadora de grandes artistas que desenham em nanquim. Seriam eles seguidores do grande mestre Augusto Morbach, o Velho? Que além das obras que deixou, deixou uma escola de artistas que, no bico de pena, retratou toda uma época de nossa história. Discípulo do legendário Percy Lau, que ilustrou os livros de geografia de Aroldo de Azevedo.
Vida longa para Uendas.
Abraços,
Agenor Garcia
jornalista.

Alfredo Maia:
como sempre, você descobrindo talentos. Lembro quando dirigias a Rádio Itacaiúnas e algumas televisões de Marabá que nos apresetou no vídeo a bela Celine Costa (aonde anda essa moça?), depois um monte de outras repórteres, entre elas a Bia Cardosa, hoje esposa do deputado João salame, que depois ela trabalhou na TV Liberal. Na Itacaiunas você revelou gente como o Edmar Brito, narrador de futebol, Franck Souza, atualmente trabalhando numa rádio em belém, além do próprio Milton Farias que me parece foi voce quem o trouxe para Marabá – isso sem falar em outros nomes que me falha a memória. Agora voce trás para as páginas desse maravilhoso blog (eu não consigo trabalhar sem estar diante de seu blog, sempre me atualizando) a escrita da educadora Evilangela, descoberta na Vila São José. Em dois artigos que ela já escreveu podemos observar o quanto estamos diante de uma pessoa que pensa, tem visão e está preocupada com nossos valores. Basta ver que ela já nos mostra outro talento, o Uendas. Fiquei impressionado com a fina sensibilidade dele nos quadros publicados, tão jovem, parece até que viveu a época dos castanhais, que brotam da alma deke co tanta verdade.
Poxa meu amigo, fico feliz demais te-lo como marabaense como eu sou. Sei que algumas pessoas não gostam de você, talvez pela sinceridade que tens de dizer as coisas, mas saiba que o povo de Marabá lhe tem grande respeito e admiração.
Gostaria que você continuasse assim, revelando talentos, como Evilangela e Uendas, além de tantos quantos tu ja revelastes.
Meu abraço respeitoso.
Alfredo Maia, residente na Cidade Nova, pequeno comerciante.

Post de 

4 Comentários

  1. ANDRE PAULO

    23 de setembro de 2011 - 16:09 - 16:09
    Reply

    POR SER UM JOVEN VOVC ESTA DE PARABENS PELO SEU TALENTO

  2. Anônimo

    23 de setembro de 2011 - 16:05 - 16:05
    Reply

    VC ESTA E PARABENS PELO SEU TALETO UENDAS!!!
    MUITO LINDO SEUS QUADROS.

  3. ANONIMO

    23 de setembro de 2011 - 15:55 - 15:55
    Reply

    CUIDADO COM O ARTISTA QUE E TAMBEM INTELECTUAL.

  4. João Dias Aragão

    21 de setembro de 2011 - 12:40 - 12:40
    Reply

    O Iroshi é como as castanheiras retratadas: É coisa nossa, nativo.

    sds. marabaenses.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *