São Geraldo: ração de mandioca sustenta gado durante seca prolongada

 

Quarenta agricultores da reforma agrária no PA Vale da Mucura II, em São Geraldo do Araguaia, no sudeste do Pará, estão comemorando um rebanho consideravelmente mais produtivo graças a uma iniciativa inovadora do escritório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) na região: uma ração exclusivamente à base de folha e raiz de mandioca.

A ração de mandioca é uma alternativa já comum no nordeste do Brasil, mas ainda pouco difundida no Pará.

A suplementação na alimentação tem garantido a engorda dos animais durante o período de seca, que costuma durar seis meses e este ano tem se mostrado ainda mais prolongado, além de aumentar a produtividade do leite em cerca de 30 %.

Na seca, o gado tende a emagrecer devido às perdas nas pastagens, o que repercute diretamente na produção de leite.

“Cada animal tem engordado em média 700g por dia, o que é até mais do que a média de engorda do ‘período verde’ [época de chuvas]. E a produtividade em relação ao leite é um ótimo indicativo”, aponta o chefe do escritório local da Emater em São Geraldo, o técnico em agropecuária Edilson Pereira.

A mandioca da qual se origina a ração é plantada pelos próprios pecuaristas, com adubação e correção do solo.

O processo de fabricação da ração é todo artesanal e envolve etapas de limpeza e dissecamento, entre outras. O excedente tem sido estocado para o inverno do ano que vem ou vendido para comunidades vizinhas.

Um evento de demonstração técnica  foi realizado pela Emater,  para divulgação entre os assentados (foto)

Intenção é expandir o procedimento entre o maior número de beneficiários atendidos.

Sao Geraldo