Samba de uma nota só

Publicado em 30 de junho de 2007

O prefeito Sebastião Miranda (PTB) poderia manter funcionando somente três secretarias, até o final de seu mandato – não mais tão longe assim: Obras, Educação e Saúde. Estas duas ultimas, em fogo brando, apenas para não dar muito na cara. O restante, faria nenhum mal se o mandasse às favas – tal o processo de esvaziamento no qual as demais estão enquadradas. Porque de verdade mesmo só funciona a todo vapor a secretaria de Obras, comandada pelo próprio prefeito, que passa mais tempo na suntuosa sala construída no órgão de onde ele despacha diariamente.
Se assim fizesse, o prefeito estaria prestando relevante serviço ao erário. Mandaria os demais secretários procurarem novo emprego, economizaria luz, cafezinho, e acabaria, numa pacotada só, com o lero-lero de gente querendo resolver demandas em repartições que não resolvem absolutamente nada. Nem oferecem serviços.
O prefeito só valoriza asfalto, praças e orla. O resto é frescura.
Agora mesmo, em plena alta temporada, a secretaria de Cultura, Desporto e Turismo não apresentou nenhuma programação para a Praia do Tucunaré e seu entorno. Acabou com os torneios, não mandou construir o grande palco de shows que reunia mais de 20 mil pessoas dançando e cantando sob o escaldante sol de domingos, enfim, não existe a marca da prefeitura no Verão de 2007. Como bem registra o Correio do Tocantins, todos os eventos programados são promovidos por outras entidades: Expoama, Baile dos Anos 60, Festival de Folclore, Marabá Rock, Maraluar e Orla Folia.
Tião antecipou em um ano o clima de final de mandato. Quem adentra as secretarias municipais – excluindo as três citadas – encontra servidores cabisbaixos e falando horrores do prefeito.
Que coisa feia!