Hiroshi Bogéa On line

Repórteres agredidos no Incra

 

Ação estúpida de uma dezena de  assentados coloca por terra toda uma estratégia de busca de apoio da sociedade para o movimento de pressão que as lideranças dos movimentos sociais organizam, há mais de trinta dias, para forçar o Incra a  fazer mais  investimentos nos projetos de assentamento.

Dois repórteres dos jornal Correio do Tocantins e Opinião foram agredidos nas dependências do órgão federal, quando cumpriam pauta de trabalho de suas empresas.

Ulisses Pompeu (Correio do Tocantins) e Laércio Ribeiro (Opinião) foram as vítimas da selvageria de uma dúzia de irresponsáveis.

No interior do gabinete do superintendente do Incra, Luiz Bonetti, o repórter Ulisses fotografava o encontro de lideranças do MST, Fetraf e Fetagri, quando foi advertido por um militante exaltado, para suspender o registro fotográfico das discussões. Por insistir em continuar clicando sua máquina, Pompeu foi praticamente escorraçado da sala pelo manifestante nervoso.

Quando deixavam o Incra, os dois profissionais foram cercados por uma turba exaltada.

Laércio teve a máquina fotográfica arrancada de sua mão e chegou a ser agredido.

A violência de uns gatos pingados, mais uma vez, dará vazão às costumeiras manifestações de criminalização dos movimentos sociais, principalmente quando eles estão no ápice de luta para a obtenção de conquistas que os levem a melhorar a qualidade de vida nos lotes agrários.

O blog lamenta profundamente o episódio, solidarizando-se com os colegas agredidos.

——————————–

Atualização às 21:28

Somente agora à noite o poster conseguiu localizar, pelo telefone, o coordenador estadual  da Fetraf.

Chico da Cib dá outra versão  sobre a  divulgada agressão sofrida pelos  repórteres dos dois jornais de Marabá. Segundo ele,  na sala do superintendente do Incra, ocorreram apenas “uns empurrãozinhos”, sem caracterização de agressão.

Ao ser indagado sobre o incidente fora da sede do Incra, Chico pontuou não ter sido informado de que Laércio Ribeiro tivesse sido agredido, mas prometeu reunir-se, ainda hoje, com as lideranças da ocupação da sede do instituto para apurar o caso, e informar à imprensa.

Chico da Cib adiantou ainda que Luiz Bonetti recebeu documento de reivindicação dos movimentos sociais, com prazo de até sexta-feira, 10, oferecer  resposta do governo.

Post de 

6 Comentários

  1. Comunicação

    9 de junho de 2011 - 19:35 - 19:35
    Reply

    Realmente episodio lamentavel, portanto quero aqui dizer que estive lá, fui muito bem recepicionado pelos camaradas,, fiz uma matéria muito boa, sabemos tambem que por outro lado tem que respeitar os camaradas, não é ir chegando e saindo metendo fotos, como se não tivesse alguem para liderar e acompanhar, por isso é importante ver quem estar na frente , pedir permição e eles colocaram alguem para acompanhar, tambem sabemos que muitas veses eles querem tirar aproveito, falo da imprensa da direita,, certo.. sei que são camaradas e estão pronto para ajudar e ser ajudado pela imprensa…

  2. João Dias

    9 de junho de 2011 - 17:01 - 17:01
    Reply

    Anos 60, e a juventude marabaense, no seu tempo, fez valer os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, positivado por Augusto Comte, dizendo não ao Estado de repressão, de exceção. Virgílio Ribeiro Milhomem (Patola), Ademar Moraes (Bolinha), aterrro, “Tá na hora” e, muito pão com goiabada e caldo de cana nos davam a coragem para resistir.

    Sds. marabaenses.

  3. Anônimo

    9 de junho de 2011 - 14:11 - 14:11
    Reply

    ah… convenhamos que os jornalistas sabem quando os animos estão essaltados e que devem fazer a sua parte para evitar atritos com multidões sem deixar de realizar o trabalho da imprenssa… pode ter faltado tato dos dois lados. Dessa forma, que todos os Chicos ponham o povo na régua. Lamentável episódio!

  4. Virgilio Ribeiro

    8 de junho de 2011 - 21:56 - 21:56
    Reply

    Já participei de muitas lutas, no movimento estudantil durante a ditadura militar e também no movimento sindical dos bancários em São Paulo. Conheço muito bem esse tipo de gente, não devemos considerá-los como ignorantes, pois não o são, na verdade são agentes infiltrados no movimento para destruir por dentro, são covardes que se apresentam como lideres e atacam tanto jornalistas como os próprios companheiros do movimento que se colocam contra eles.
    Eu no meu programa diário o Conexão, tenho me colocado ao lado dessa luta justa, mas não vou tolerar esse tipo de comportamento contras os meus amigos da imprensa que nada mais fazem que seu trabalho de informar.
    Vamos esperar a reação da verdadeira liderança, se não mudarem o comportamento mudaremos nós.

  5. Bico fechado

    8 de junho de 2011 - 20:53 - 20:53
    Reply

    Eu e tantos outros enquanto cidadãos brasileiros, apoiamos movimentos como este e outros que pressione os governantes irresponsáveis do nosso país.
    Mais reprovo atitudes de pessoas inguinorantes ligadas a esses movimentos, que agem sem inteligência e cometem esses incidentes considerados graves, eu ví uma matéria onde o nosso ex-vice prefeito e hoje presidente de uma instituição de suma importância na sociedade marabaense Sr. ITALO, dando seu apoio a esse movimento, como ele ha muitos outros, mais que seja ordeira e pacífica, pois violência gera violência, e o desprezo da sociedade de bem.
    Nesses movimentos ha lideres inteligentes, façam com que estes planejem estratégias sabias sem precisar colocar em riscos a segurança de todos a curva do S é referência de que violência não é atitude sábia.
    Quanto a lideranças eu faço um pedido, peçam desculpas a esses profissionais da imprensa tenha-os como aliados, é a melhor forma de se lutar constituindo aliados, no caso da imprensa considero de tamanha importância.
    To torcendo pela vitória dessa luta. Abss.

  6. Bico fechado

    8 de junho de 2011 - 18:35 - 18:35
    Reply

    Atenção chico da cibe, convoca essas lideranças e procura orienta-los de detalhes fundamentais nesse movimento, é lamentavel atitudes como essa que aconteceu com os reporters nao pode acontecer, sem a participação da imprensa esse movimento nao dará em nada.
    Jamais chegariamos a algum lugar sem a opinião publica, e sem a imprensa como é que o publico toma conhecimento dos acontecimentos?
    Por tanto deve-se respeito a sociedade e a imprensa sem exceção. Abs!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *