Hiroshi Bogéa On line

Ranking das riquezas

Levantamento do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM Amazônia) aponta que o Sudeste do Pará receberá a maior parte dos investimentos do setor mineral nos próximos anos. Até 2012, diz o IBRAM Amazônia, o valor da produção mineral paraense irá triplicar, passando dos atuais US$ 8 bilhões para US$ 25,9 bilhões. Isso graças aos investimentos em novos projetos ou na expansão da maioria dos atuais, o que soma algo em torno de US$ 17 bilhões. Desse total, de acordo com o levantamento, 97% serão efetivados pela Vale, a maior parte deles no Sudeste paraense, que responderá por 86% dos investimentos. O segundo lugar em investimentos pertencerá a Barcarena, Nordeste do Estado, com participação de 10%.

Nesse novo cenário da mineração em 2012, Parauapebas – que em 2007 contribuiu com 35,8% da produção mineral do estado, puxado pelo minério de ferro – continuará em primeiro lugar entre os municípios mineradores, com 34% da produção, que envolverá minério ferro e cobre. Barcarena, que em 2007 alcançou a segunda posição, com participação de 33,3% – especialmente pela produção de alumina e alumínio – vai passar a ser terceiro no ranking (19%). Caberá a Canaã dos Carajás o posto de segundo lugar, em 2012, com participação de 32%, graças à produção de cobre, minério de ferro e níquel.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *